15 de set de 2011

Planetas em detrimento e em queda

O leitor pode encontrar no blogue da Margherita Fiorello outro bom artigo sobre esse conceito.
O conceito de planeta em detrimento foi popularizado por Morin de Villefranche e seus seguidores. Antes desse autor, porém, não há muita literatura que ensinaria como aplicá-lo.

Abu Ma'Shar, na sua 'Abreviação da Introdução à Astrologia', não cita o conceito. O único autor que faz uma alusão indireta a ele seria Sahl bin Bisr, na sua obra 'os 50 julgamentos'. Ali vemos o seguinte:
'Se o regente do Ascendente estiver no sétimo signo/casa, o consulente temerá o propósito da questão'
Indiretamente, Sahl faz menção ao conceito quando descreve a presença do regente do Ascendente na Casa 7. Fundamentalmente, o planeta em detrimento nada mais é do que a presença de qualquer planeta no sétimo signo a partir de um dos seus domicílios. Fora esta
citação, quase nada se fala dos planetas em detrimento.

Durante a idade média no ocidente, bem como na Astrologia indiana até hoje, o conceito de planeta em detrimento não era valorizado na interpretação. Podemos deduzir, pelo julgamento de Sahl, que os efeitos dessa posição seriam mais psicológicos sobre o tema significado, porém não há sinal de que isso seja considerado um impedimento.

Aliás, nenhuma posição zodiacal planetária é capaz de impedir, porque os signos são sujeitos
aos planetas e, portanto, são eles que impedem, a saber, os planetas maléficos. De qualquer forma, a posição de um planeta num signo fornece detalhes do grau de lucro/prejuízo ou facilidade/dificuldade que a questão representada pelo planeta indicaria.

A posição planetária degradante mais valorizada pelo medievo ocidental e pelos indianos até hoje, incontestavelmente, é o conceito de queda, que os indianos chamam de debilidade. Abaixo o leitor pode ver os signos da queda dos planetas:

Lua - Escorpião
Mercúrio - Peixes
Vênus - Virgem
Sol - Libra
Marte - Câncer
Júpiter - Capricórnio
Saturno - Áries

Existem muitas implicações envolvendo a queda dos planetas que podem interferir sensivelmente na realização das questões. Isso, porém, não entra em contradição com a afirmação de que os signos não são capazes de impedir, porque tais impedimentos são mediados por planetas.

Uma das coisas que eu noto repetidamente em questões horárias que não se realizam consiste na aplicação de um planeta a outro que esteja no signo da sua queda, conceito esse também referido por Sahl e Abu Ma'Shar nas suas Introduções à Astrologia. Veja a questão abaixo:


A pergunta é ingênua (tem amor nesse mês?) mas mesmo assim a horária é capaz de revelar o contexto. O regente do Ascendente é Saturno, que está exaltado em Libra, casa 10 e décimo signo a partir do Ascendente. Saturno está em oposição partil (exata) à Lua em Áries. Lua rege a Casa 7, das parcerias.

Como há um contato entre Lua e Saturno, de fato houve ou haverá um contato entre a consulente e um homem no passado recente, presente ou futuro imediatos à questão. Entretanto, esse contato é por intermédio da oposição, um aspecto 'tenso' e que, segundo Sahl, não condiz com o estabelecimento de um relacionamento. Eu esperaria sextil, conjunção ou trígono para tal. As quadraturas ou oposições só proporcionariam um relacionamento se houvesse recepção entre os significadores, coisa que não ocorre aqui.

De fato, a consulente conheceu um homem pelo qual se apaixonou rapidamente, mas houve hesitação por parte dela em conhecê-lo na data em que houve o encontro e, portanto, nada além de um flerte ocorreu.

Mesmo se o aspecto entre lua e Saturno fosse suave, existiria outra razão pela qual o relacionamento não ocorreria. Como a Lua está no signo da queda de Saturno (Áries), o contato entre os dois com qualquer tipo de aspecto não produz nada. Saturno contribui para destruir a proposta Lunar por relacionamento, uma vez que ela está no local da sua queda.

A regra acima pode ser explicada por uma analogia. Quando se está no local da queda de um planeta, isso equivale a você querer algo cuja realização implica a humilhação da coisa representada pelo outro planeta. Logo, o planeta se recusa a fazê-lo e o evento não ocorre, mesmo com aspecto aplicativo entre os significadores.

Esse tipo de configuração pode ocorrer para representar casos nos quais o homem é casado e deseja se envolver com uma mulher que não tolere ser amante. Nesses casos, normalmente o planeta que representa o homem se encontra na queda do planeta que representa a mulher e, portanto, isso seria uma humilhação para a mesma e relacionamento algum acontece.

Não tenho informações suficientes para supor que o homem da questão seria casado ou comprometido. Na verdade, o aspecto de oposição entre os significadores por si só já impede uma união e nesse caso não podemos notar a representação do fenômeno da aplicação a um planeta no local da sua queda. Por outro lado, já vi casos nos quais ocorrem sextis e trígonos aplicativos entre os significadores das partes e relacionamento algum acontece, o que pode ser explicado pelo conceito demonstrado.

Existe um caso contrário a este, no qual a questão pode se realizar: Quando um planeta está na sua própria queda, se ele receber outro planeta no seu domicílio ou exaltação por aspecto aplicativo, a questão pode ocorrer, embora com amargura, pois a queda de um planeta é o local da sua ira. Esse exemplo pode ser visto em Masha'Allah na sua obra 'De receptione':

No exemplo, Masha'Allah responde a uma horária sobre a possibilidade do consulente conseguir um posto no reino ou não. Câncer ascende, e por tanto a Lua é significadora do consulente. A Lua em libra se aplica a Saturno em Áries e portanto ele a recebe em sua exaltação garantindo ao consulente que ele teria o que desejava. Todavia, como Saturno está em Áries, signo da sua queda, aquilo que o homem almejava seria com amargura, "devido ao ódio que Saturno tem em relação a esse local (Áries)".

O aprendiz precisa observar tais detalhes na interpretação de modo a julgar corretamente e a entender questões que seriam realizáveis mas que não logram êxito. São as sutilezas da astrologia...

2 comentários:

  1. Pode ser que esta questão se deva ao fato que os aspectos são mais efetivos quando saem de um domicilio para o lugar de posição do planeta.Assim um planeta no domicilio de outro e enviando um aspecto ao planeta em queda,o aspecto é bem efetivo.

    ResponderExcluir
  2. Tenho Sol em Hayz, contudo sou libriana ou seja o sol esta em queda. será que isso funciona como compensação? o mesmo Sol não possui muitos aspectos mais forma um sextil com Saturno e um quintil com Úrano. isso tem alguma relevância?

    ResponderExcluir

Contato e Créditos

rtveronese@gmail.com Para dúvidas, reclamações, críticas e consultas.