Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

Dwadasamsa ou dodekatemoria: o signo dividido por 12.

É interessante notar que alguns conceitos da Astrologia védica (ou jyotish, ou indiana) também dão as caras na Astrologia Medieval e Clássica do Ocidente, com o detalhe de que ninguém ou quase ninguém os usa há muito tempo.
Voltando a estudar astrologia védica, eu me deparei com algumas coisas interessantes e que preencheriam as lacunas deixadas por autores como Rhetorius quanto ao uso desses conceitos. Isso porque os indianos usam até hoje na sua astrologia conceitos que apenas eram citados nos livros de astrologia clássica do ocidente.
Dentre alguns conceitos indianos que notamos, eu diria que o mais incidente na Astrologia Clássica do Ocidente é a Dwadasamsa, que era chamada de Dodekatemoria.
Dodekatemoria é uma expressão grega que significaria "12" (dodeka) "porções" (moria). Trata-se uma divisão de cada signo em 12 ou 13 partes iguais. A verdade é que alguns astrólogos clássicos dividiam por 12, outros por 13 - o que me deixa um pouco perplexo, uma vez que a de…

tem louco pra tudo. (zodíacos sideral ou tropical?)

Já vi muita gente mudando do zodíaco tropical para o sideral, mas humildemente confesso que não acreditava que o contrário existisse. Até que eu vi esse site, com o artigo de uma astróloga jyotish norte-americana na qual ela alega que usa o zodíaco tropical na astrologia jyotish. Tem louco pra tudo, porque uma pessoa dessas enfrenta séculos de tradição astrológica indiana, amplamente usuária do zodíaco sideral.
Vamos explicar melhor esses termos. A Astrologia Jyotish é aquela aplicada largamente na índia e que possui várias vertentes. A maioria (senão todas) as vertentes dela usam o zodíaco sideral, que considera o início do zodíaco baseado na posição de uma estrela. Essa estrela pode variar de autor para autor, alguns usando zeta piscium, outros beta arietis, etc.
Já o zodíaco tropical tem seu início fixo, baseado no momento em que o Sol chega ao equinócio de áries, que é a interseção do equador celeste (a projeção do equador terrestre) com a eclíptica (o caminho que o Sol percorre a…

porque voltei a estudar jyotish

Essa pergunta ninguém fez a mim. Foi uma auto indagação irresistível num momento em que me vi voltando a estudar o que talvez seja a astrologia mais complexa do mundo.
Ocasionalmente, nossos movimentos ao longo da vida são impulsionados por razões desconhecidas, mas são coisas assim que moldam nosso destino. São chamados irresistíveis. Apesar de não saber o que o motiva, ele me foi útil desta vez. Através desse impulso, eu consegui desconstruir uma visão que tinha da Astrologia indiana: que ela era uma bagunça.
Eu sabia que há várias vertentes astrológicas na índia; isso para mim era um sinônimo de bagunça porque eu estou acostumado com a astrologia medieval, que tem poucas variações entre os autores. Todavia, se o estudante deseja aprender astrologia jyotisha com base nos textos clássicos, a variabilidade (que eu chamava de bagunça) tende a desaparecer.
De fato, há variabilidade na transmissão oral da astrologia entre as famílias indianas, mas nem tanto assim nos registros escritos. E…

Viagem à Índia (com tudo pago)

Enquanto não tenho coragem de ir à Índia como alguns colegas meus o fizeram, eu retomo meus estudos de Astrologia Jyotisha (em sânscrito, ciência da luz), coisa pela qual tenho interesse flutuante há mais ou menos cinco anos. Dessa vez, decidi apostar mais fundo e adquiri os clássicos da Astrologia Védica... de graça.
Ao contrário do que muitos talvez pensem, estudar jyotisha é muito mais acessível do que astrologia medieval. Obviamente, a principal e melhor fonte de informação são os livros, estes muito, mas muito mais acessíveis com o advento da internet. Gloriosos sejam os ebooks!
A razão para entender essa diferença de acesso se justifica principalmente porque a maioria dos tradutores de astrologia medieval estão vivinhos da silva e precisam comer e se vestir. Como as traduções do grego e do latim são muito trabalhosas, nada mais justo do que cobrar por elas, não? É justíssimo, face ao grande favor que eles fizeram para nós, iletrados do Quadrivium, de tornar acessível esses textos…

Participe do Grupo "Astrologia Medieval"

Pensando nas pessoas que desejam aprender e discutir Astrologia Medieval mas não encontram lugar nem literatura disponível, resolvi criar um grupo de discussão no Google em português sobre o tema.

Quem já tem uma certa experiência com internet possui um compreensível ceticismo quanto a grupos de discussão. Eles começam com alguma empolgação manifestada em participações freqüentes e depois viram mais um "vazio demográfico" na internet. Há ainda os grupos que se desfazem por causa de verdadeiras fogueiras de vaidade...

Não quero afirmar que esse grupo será diferente. Ele pode ser suscetível a todas as intempéries citadas, mas a finalidade a qual ele se destina tende a colocá-lo sob uma postura diferente, que pode também alterar a postura das pessoas que participam do grupo.

Nesse grupo, será permitida a criação de tópicos de discussão, embora essa não seja a atividade principal - o que o diferencia dos outros grupos. Na verdade, ele é uma extensão e complementação do que faço aqu…