Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2007

combinando técnicas parte 2

Esse é mais um post sobre o assunto que não tem mais fim: como combinar as diversas técnicas preditivas da astrologia medieval? Você pode ignorar várias coisas, mas anualmente é fundamental ver o estado cósmico de dois planetas: o regente do ano na revolução solar e o regente do ano na profecção. Em que mapas eu vejo os dois? No mapa natal e na Revolução Solar, oras! Vejamos o exemplo da minha revolução para 2006. O regente do ano da RS é Saturno. Ele se encontra na casa 6, em detrimento. Realmente, foi um ano de trabalho pesadíssimo, cuja causa foi problemas financeiros (sol em áries na casa dois). No mapa natal, Saturno está na casa sete e rege as casas dez e onze. Esse ano o trabalho intenso do nativo prejudicou (e muito) um relacionamento e sua vida social, redundando no seu fim. Dessa forma, chegamos a uma regra de ouro: "Se o planeta analisado encontra problemas na revolução solar,
ele prejudica seus significados no mapa natal. "
O regente do ano da profecção é Marte, pois …

De visu novo

Descobri que posso modificar o padrão do Template. Finalmente consegui postar minha imagem criada para o título de um site que visava produzir. Agora só falta o blog permitir uploads. Quando isso acontecer, terei tudo que imaginava para um site de astrologia.

Penso em postar os meus estudos de astrologia num arquivo do Rapid Share, ou outros "Shares" da internet. Gostaria de receber sugestões e críticas, como a de Yuzuru. Espero que tenham gostado.

Eu, pelo menos, adorei a nova formatação, rs...

conferindo a natureza dos planetas em seu mapa

A melhor maneira de se estudar astrologia é correlacionar os eventos terrestres com o céu do momento em questão. Deixe de pensar no que poderia ter sido, para enxergar o que realmente foi. Essa constatação solidifica o modo correto de se interpretar. Uma das grandes lições que tive em astrologia védica é perceber a importância das casas que um planeta rege. Por si só, isso é mais relevante do que a natureza planetária. Por exemplo, Júpiter pode reger a casa 12, mas se você pensar que ele sempre tem natureza benéfica, há de se decepcionar quando o contrário acontecer, já que a reg~encia sobre a casa 12 dá a ele uma natureza desintegradora. Na astrologia védica, júpiter seria maléfico por reger a casa 12, independentemente do seu estado cósmico. Na astrologia ocidental, Júpiter só seria elevado a condição de maléfico acidental se estivesse retrógrado, em queda ou detrimento, e regendo casas maléficas (6, 8 e 12, eventualmente a 7, de inimigos declarados). Perceba que a astrologia ocident…

Mercúrio Retrógrado - Relato de Caso

Neste período em que observamos a retrogradação de Mercúrio em Peixes, correlaciono este dado com eventos da minha vida. Essa observação é importante para aprendemos a relevância dos trânsitos. Por mais que eles indiquem eventos corriqueiros, aprendemos muito sobre a capacidade do planeta transitante representar eventos conforme sua determinação local natal. Também observo seu papel em outros sistemas, como o zodíaco hindu, o que tem gerado impressionantes descobertas para um astrólogo ocidental como eu. Desde o início da retrogradação experimentei uma viagem à terra natal de minha namorada que durou oito dias, em outro estado da região sudeste. Passei por cidades que nunca percorri antes. Pelo tempo de duração da viagem, parece que falamos da casa nove, mas fui a um local onde havia conhecidos meus e dela, misturando-se com significados de casa três, contudo a maioria se tratava de parentes dela, voltando para a casa nove (parentes da parceira). Conheci também a religião na qual se cr…

Da retrogradação (em trânsitos)

Os planetas retrógrados em trânsitos podem gerar eventos perceptíveis. o que me deixa dúvidas é prever se estes serão bons ou ruins.

Mercúrio entrou em retrogradação na segunda-feira, aproximadamente. Esse evento pontual sugere outra verdade: para uma corpo parar, ele tem de se desacelerar gradativamente. Essa desaceleração representa um período de atividades mais intensas na casa onde o planeta se encontra.

Para entender essa afirmativa, pense numa viagem de carro pelo interior do Brasil. Imagine que você é localizado num mapa por um sistema de GPS, e alguém fica lhe observando e anotando o tempo que você fica em determinada cidade. Pois bem, esse observador constata que você fica mais tempo em algumas cidades.

Muitas pessoas que olham o mapa pensam que vocês pararam de verdade, que não estão fazendo nada, mas você é humano, tem necessidades fisiológicas, e precisa ocasionalmente parar para se alimentar e dormir. Para fazê-lo, você pára em determinada cidade.

Mas isso não implica que voc…

maléficos... Para quem?

Na astrologia védica, os planetas maléficos que regem casas benéficas são chamados de benéficos funcionais. Em alguns ascendentes, como por exemplo Touro, Saturno é um planeta extremamente benéfico, por que rege as casas nove e dez. Quando um planeta rege duas casas boas, uma angular (casas 1, 4, 7 e 10, chamadas de kendras) e outra do triângulo do ser (casas 1, 5 e 9, chamadas de trikonas) é chamado de yogakaraka, e sua posição traz muitos benefícios para a casa onde se encontra. Nesse caso, um aspecto de Saturno a qualquer planeta é excelente para os assuntos que esse planeta rege.

Algumas pessoas acostumadas com astrologia tradicional do ocidente, e que ainda não tem muita experiência, acharão a afirmativa anterior absurda. Para a astrologia que praticamos no aqui, essa informação é um paradoxo: sendo Saturno um maléfico, ele nunca traria coisas boas, mesmo regendo casas boas. Se o leitor chegou a essa conclusão, saiba que está errado. A astrologia védica pode ter muitas coisas dife…