Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2006

Exemplo de profecção

Essa técnica me fascina por duas coisas: o poder da natureza do número, e a sua simplicidade. As profecções podem ser usadas em qualquer ano e, combinadas a revolução solar, produzem bons resultados.

Para saber como usar a técnica, é muito simples. Os autores antigos atribuem o movimento de um signo por ano a cada ponto do mapa. Robert Zoller se posiciona de um modo diverso em seu curso. Ele ensina a maneira tradicional de se realizar profecções, mas ensina a dele, que, segundo o autor com trinta anos de experiência, produz igualmente bons resultados. O autor desse blog percebe as duas abordagens e no momento se abstém de concluir algo sobre o assunto, porém tem verificado até o presente momento que as profecções de Zoller, embora mais simples, requerem uma interpretação mais complexa.

No exemplo que darei, com base em minha própria natividade, priorizarei o modo antigo de se "profectar", mas vou ensinar o raciocínio de Zoller, if God wills.

Seguindo a frase em negrito acima, t…

ERRATA - dos inconjuntos.

O autor desse blog não é um especialista em Astrologia mundial, mas prefere tomar o que escreve como exercício. A publicação de uma besteira é um risco, maior porém nesses casos é o risco de se aprender. Agradeço pelas correções atentas de Paulo Silva e Yuzuru, que em muito me auxiliam. No momento o autor confessa não entender um comentário feitos por Yuzuru, pelo simples fato de desconhecer princípios de astrologia helenística, como o conceito de "fall amiss", mas isto não é uma discordância - apenas uma declaração da minha fascinação por Steven Birchfield, autor que é um dos maiores referenciais em astrologia clássica no momento, que é o mesmo de Yuzuru.

Seguindo a carta de ingresso para o Brasil em 2007, Saturno rege a casa 3 (capricórnio) e se encontra em leão no MC. No presente momento, o autor ainda considera Saturno como o responsável dos assuntos representados pela casa 3, ainda que o grande maléfico esteja em um signo que não aspecte seu domicílio - Leão e Capricórni…

Brasil 2007: (L)ulalááá...

Na Astrologia, o zodíaco é o referencial de tempo. O ano-novo astrológico se inicia com o Sol a zero grau de Áries, tradição repetida até hoje. O mapa que representa as condições do ano (contado a partir de 20/21 de março) é a carta de ingresso, um mapa que deve ser levantado quando o sol entra a zero grau de Áries.

Esse mapa não é necessariamente o único. Se o ascendente da carta de ingresso recebe um signo cardinal (áries, câncer, libra e capricórnio), devemos fazer quatro mapas para o ano. Se for um signo mutável (gêmeos, virgem, sagitário e peixes), dois mapas. Se for um signo fixo (touro, leão, escorpião e aquário), apenas um mapa. Os mapas além do ingresso de áries devem ser realizados quando o sol entra nos solstícios (câncer e capricórnio) e no equinócio de outono ( libra). Ou seja, se o ascendente do ingresso for Áries, eu preciso fazer mais três cartas: uma no solstício de verão do hemisfério norte (0 de câncer), outra para o equinócio de outono (libra) e outra para o solstíc…

filosofia e astrologia

É comum atualmente associar-se uma filosofia a astrologia para justificá-la perante o raciocínio moderno. Mais comum é vê-la de mãos dadas ora com Jung, ora com Freud. Vocês mesmo perceberão que o autor do blog recorreu a Freud para explicar um ponto no mapa chamado Almuten Figuris, há alguns posts atrás.

Essa constante recorrência a conceitos modernos negligencia algo importante sobre a astrologia: o modo como os constituintes dessa ciência (planetas, signos, casas, números, elementos) estão dispostos traz em si uma filosofia e religiosidades inerentes. O conhecimento desses saberes antigos poderia nos ajudar a entender como deveríamos encarar a astrologia, antes de criarmos mais um raciocínio baseado num filósofo moderno. Uma vez sabendo o que cada elemento representa, saberíamos o que esperar do céu com maior exatidão. O que se faz hoje em dia é se desfazer da tradição interpretativa astrológica em prol de uma filosofia que levante o estandarte dos conceitos modernos (dentre eles o …

como se aprende astrologia?

Não atualizo esse blog há um certo tempo. Estou numa fase de transição para um site. Pra ser franco, do site só criei a imagem inicial, rs...

Mas a astrologia... Que pergunta! Como praticá-la? Seria o autor do blog um guru que pratica meditação transcedental e já frequentou o caminho de Santiago para ler um mapa? Astrologia compete com a religião de alguém?

Todas as respostas são escolhas dentre um emaranhado de idéias. Não pretendo ser um dogmático de visões cristalizadas, mas também não sou alguém sem nenhuma resposta construída sobre o tema. Astrologia é um saber, e como todo requer estudo. Falo pelo menos da astrologia medieval: estuda-se, e muito. Nossa conduta é bastante similar a de um acadêmico: artigos, livros, novas traduções, congressos. E por quê?

Quando vemos o mapa, não entramos em um transe místico dependente de alucinógenos. Nossa análise é um julgamento, e como todo, precisamos de provas, testemunhos. Quanto maior o número de testemunhos, maior a nossa certeza com o terr…

Recomendo - Astrologia Horária on line.

O site do astrólogo medieval Paulo Silva é o único em português que dispôe de inúmeros artigos e estudos para os interessados perceberem o poder dessa ferramenta, reavivada na contemporaneidade. Agora, o site dispõe de um serviço chamado de "Astrologia Horária", um ramo da medieval que se preza a responder qualquer pergunta, levantando-se um mapa no momento em que o astrólogo entende a questão.

Paulo Silva não revela detalhes pela modéstia, mas eu, enquanto amigo dele, posso assegurar de que, após todos os cursos e as melhores qualificações que um astrólogo pode obter (estuda-se e MUITO), ele nunca errou uma horária sequer. E eu sou testemunha disso: ele me disse que eu não reprovaria em Ginecologia e Obstetrícia, numa época onde tudo apontava para isso. E acertou!

Basta escrever sua pergunta, acertar o modo de pagamento, e enviar no e-mail do site.

Recomendadíssimo!!!

Da determinação tríplice dos planetas

Um planeta está determinado a três casas ao mesmo tempo:

1 - À casa na qual se posiciona;
2 - Às duas casas que rege.

Na prática, nós vemos que 1 guarda relação com 2, mas 2 não guarda necessariamente relação com 2. O que significa isso?

Se eu tenho Saturno na casa 7, ele está determinado a parcerias. Se Saturno rege as casas 10 e 11, a vida social e a profissão estão ligadas ao casamento do nativo. Dessa forma, 1 (posição) se liga a 2 (regência).

O fato de Saturno reger as casas 10 e 11 ao mesmo tempo não significa que haja uma grande relação entre essas duas casas. Pode até haver, mas o link seria mais forte se o regente da 10 estivesse na 11, e vice-versa.

A dupla regência de um planeta sempre foi o assunto mais confuso para mim. Mas a saída reside na separação dos assuntos. Todos os astrólogos nos estimulam a fazer conexões criativas, mas aqui um pouco de "desassociação" cai bem. No exemplo de Saturno, eu devo analisar a casa 10 e a 11 separadamente, senão há de se formar um m…

Almuten Figuris

Almuten Figuris representa "o eleito do mapa", uma expressão latina. É o ponto mais "psicológico" da astrologia medieval. É o planeta que rege as ações do nativo.

Eu gosto de abordar astrologia medieval de um modo bastante prático. Dispensarei as considerações filosóficas por trás desse ponto para dizer a minha opinião sobre o que ele representa, não sem antes dar uma breve explicação da teologia medieval, necessária ao entendimento do ponto.

Segundo os pagãos, cada homem na terra possui uma entidade, de quem recebe proteção. A proteção mediada por esse "espírito" vem por intermédio de "sugestões intelectuais": como se uma pessoa suspirasse em nossos ouvidos um conselho.

Apesar dessa entidade ter uma constituição tão elevada e dominante sobre o nativo, ela pode provocar, com seus "conselhos", um comportamento compulsivo frente a todos os desafios que a vida impõe. Sem perceber a si mesmo, ou a essa entidade, o nativo pode repetir os mesmo…