Pular para o conteúdo principal

calcule as horas planetárias na sua cidade

As horas planetárias são um assunto muito interessante. Pena não dispor de uma vasta bibliografia como a astrologia natal.
Ela serve para se começar eventos e para perceber porque eventos rotineiros acontecem de forma mais fácil ou mais difícil que o usual.
Muitas pessoas querem ver acontecer na hora do planeta eventos que tenham o mesmo significado dele, como um médico atender um idoso na hora de Saturno. Entretanto, tais coincidências são mais raras.
O que é mais fácil de acontecer é o planeta facilitar ou dificultar, a depender do seu significado benéfico ou maléfico, as atividades que ocorram na sua hora.
Assim sendo, na hora de Saturno, um médico poderia atender também pessoas jovens, mas o atendimento seria difícil, seja por revelar alguma precariedade do local de trabalho, seja porque o paciente não colabora com detalhes na anamnese.
Há duas correntes sobre o uso das horas planetárias. A primeira é a mais difundida, que consiste em contar as horas a partir do nascimento e pôr do sol local.
A outra corrente, muito pequena, são as das pessoas que contam as horas planetárias a partir do nascer do sol de Yamakoti, um lugar que teria existido no meio do Oceano Pacífico. Nesse caso, as horas são mundiais: a partir do nascer do sol de Yamakoti, se contaria a primeira hora do dia.
A escolha de Yamakoti é baseada no Surya Siddhanta, um livro indiano clássico de cálculo astronômico. Segundo esse texto, o começo do mundo teria sido enquanto o sol nascia em Yamakoti.
Quem quer aplicar as horas planetárias na prática, há um excelente programa chamado Chronos, que as calcula e a coloca na barra inferior do Windows.
E se você quiser usar Yamakoti como referência ao invés do seu horizonte local, basta acrescentar 00N00 latitude e 165E46 longitude no programa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…