Pular para o conteúdo principal

Horárias sobre forma física

O tema do fitness é uma demanda contemporânea, e tentaremos encaixá-la dentro do framework da astrologia horária, de origem clássica, época na qual não havia muitas preocupações com a forma física - ao menos, não nessa neurastenia que temos atualmente.

Às vezes, quero saber como um medieval responderia à pergunta “vou emagrecer?”. Pode-se abordar a questão de duas formas:

  1. À luz da teoria dos humores
  2. À luz da dicotomia maléficos versus benéficos


A primeira depende de conhecimentos básicos e bem estruturados da teoria dos humores e de medicina galênica. Sabendo que já visitei o tema diversas vezes, considero que posso me arvorar e dar um breve resumo.

1. A teoria dos humores na forma física.

Cada planeta tem uma qualidade humoral correspondente, que é responsável por representar a complexão física da pessoa. Ptolomeu considerava o regente do Ascendente e da Lua (aquele que tivesse mais testemunhos sobre os dois) como o planeta que definiria a forma física da pessoa. Sabendo as qualidades humorais do planeta, saberíamos se a pessoa é corpulenta ou magra, alta ou baixa, de pele clara ou escura, respeitando obviamente a genética do nascido.

Nessa teoria humoral, os benéficos são agraciados com muitas descrições positivas, eventualmente algumas nem tanto para os padrões modernos. Júpiter, por exemplo indica corpulência, coisa que era admirada na antiguidade (com a ameaça de secas e pragas sobre as colheitas, ser gordo era um sinal de que as coisas iam muito bem, obrigado). No geral, os benéficos indicam perfis socialmente atrativos. Entretanto, Saturno pode indicar uma pessoa magra - e, como magreza hoje é algo cobiçado, é aí que a dicotomia benéficos versus maléficos pode ser relativizada.

Saturno e sua enigmática forma física.

A magreza de Saturno, definitivamente, não é bela. Seria uma pessoa com um físico de musculatura depauperada, de quem emagreceu mal, consumindo músculo mais do que gordura. Mas não deixa de ser uma magreza.

Entretanto, Saturno pode significar, para os indianos, que a pessoa é gorda! Na jyotisha, há yogas (combinações) que mostram Saturno como indicador de excesso de peso, quando ele aflige a Lua. Saturno é vento (Vata), que perturbaria e bloquearia o fluxo de líquidos e nutrientes do organismo, resultando em obesidade.

Como horárias tem de ser simples, creio que devemos ver as horárias sobre emagrecimento da mesma forma que fosse uma horária de outro assunto. Por isso, apenas mostrei os humores a você para que saiba da sua existência e do papel importante que eles tiveram na medicina clássica e medieval, mas acho tudo isso muito complicado até para quem é médico. Afinal de contas, a medicina que é praticada hoje é anátomo-histo-molecular-patológica, ou seja, concebe doença dentro de estruturas anatômicas, teciduais e moleculares, e não por humores.

2. A dicotomia maléficos versus benéficos no emagrecimento

Nesta última maneira de ver os planetas dentro de uma horária de emagrecimento, os planetas maléficos indicam que a pessoa não terá a forma que ela deseja, enquanto os benéficos indicam que ela terá. Simples assim! Trata-se da maneira mais simples de encaixar uma questão moderna dentro do framework de um astrólogo medieval como Masha’Allah.

A única exceção a isso, é claro, será quando o maléfico receber o regente do Ascendente. Nesse caso, a pessoa emagrece, mas passando por verdadeiros tormentos: Saturno indica dietas muito restritivas e marte indica excesso de atividade física.

Exemplo

Na horária “Vou emagrecer?”, o regente do Ascendente é Júpiter, retrógrado-praticamente-estacionário em Virgem, separado do regente deste signo, mercúrio, por cinco graus, e separado de Saturno por dois. A Lua, co-significadora do querente, se separa de Saturno recentemente (por um segundo de arco!) e corre em direção a mercúrio. Há uma recepção mútua por exaltação (lua em Virgem, mercúrio em Touro) que garante o sucesso da questão.

A questão, porém, não indica êxito total devido à estagnação de Júpiter, regente do Ascendente. Até 11 de maio, ele retrogradará e se estacionará, sem contato com nenhum planeta do céu da carta em questão, indicando que o querente poderia ser mais “pró-ativo” em melhorar sua forma física, mas não fará muito. Em outras palavras, o querente emagrecerá, ma non troppo.

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…