Pular para o conteúdo principal

por que astrólogos erram?

No exercício de qualquer saber, erros acontecem. A diferença é que alguns saberes são "espertos" e consideram o erro como parte dos seus sistemas.

Por exemplo, como eu falei noutros artigos, a estatística criou a margem de erro. Ou seja, quando se faz um estudo, considera-se que erros podem acontecer e, portanto, há uma porcentagem dedicada a isso

Considerar o erro como parte do sistema é uma tentativa de alcançar a perfeição. Ele deixa de ser algo 'alienígena' que invade o saber num súbito rasgo, destituído de sentido.

Normalmente, quando um astrólogo erra, é mais comum se culpar a técnica. Mas os astrólogos sérios, aqueles que estudam uma técnica ad nauseum, já perceberam que toda técnica tem uma margem de erro.

Portanto, há que se dar voz ao erro na astrologia. Se você usou a técnica da maneira correta e, mesmo assim, errou, isso não significa de modo algum que ela deva ser jogada no lixo, porque toda técnica tem sua porcentagem de acerto, que pode ser alta ou baixa. Se errou nesse mapa, pode acertar noutro, e isso pode acontecer no mesmo dia. Ou não.

K. N. Rao, um renomado astrólogo indiano, autor de mais de dez livros do gênero, disse que as melhores técnicas astrológicas tem uma porcentagem de 40% de acertos. Isso é considerado muito baixo para a maioria das pessoas e, num estudo científico, pode significar que as técnicas não funcionam. Mas o mundo continua a girar e os astrólogos continuam a orientar as pessoas.

40% pode ser muito pouco, mas isso varia dentro de uma única consulta. Numa leitura, você pode estar dentro dos 40% quando diz que a pessoa se casará nesse ano e acertar, mas sair dos 40% quando disser que o irmão da pessoa adoecerá no mesmo período e isso não ocorrer.

No feedback da consulta, se você fez tudo certo, é muito provável que o cliente retorne com um grau considerável de satisfação. E assim a vida continua. Todavia, existem momentos nos quais o astrólogo confronta o erro de um modo nunca dantes experimentado.

Nos testes de internet, há apenas uma pergunta que deve ser respondida. É uma chance de 50% de acerto, na maioria dos casos. Esses testes são bons para aprender, mas podem ser detrimentais se encarados da forma errada.

A forma errada de encarar os testes de internet é ser rígido demais consigo mesmo. Se você for um astrólogo amador, não se dedica o bastante e pode achar que não presta como astrólogo porque errou um teste.

Nos parágrafos anteriores, vimos os erros de interpretação causados pela própria astrologia. A seguir, citarei as principais razões pelas quais qualquer astrólogo - seja amador ou profissional - erra. Os itens a seguir não estão em ordem de importância.

Amadorismo sem compromisso: 

se você não dedica mais tempo à astrologia, não espere que seu resultado seja excelente.

Algumas pessoas são superdotadas e conseguem lidar com múltiplos interesses simultaneamente, e com a mesma eficácia que você teria ao lidar apenas com um deles. Steven Birchfield é engenheiro naval, trabalha feito um condenado mas, quando se debruça sobre um mapa, descobre coisas impressionantes sobre a pessoa. Isso não significa que você tem de se chicotear por não ser assim.

Experimente interpretar um mapa por dia, pelo menos. Lembre-se: tanto a ida ao boteco da esquina quanto a viagem dos seus sonhos começam com a mesma coisa: um passo a frente.

E isso serve para mim: o fato de uma pessoa escrever um blogue de astrologia não significa que ela pratique constantemente. Repito, gosto de compartilhar conhecimento. O blogue não é uma demonstração de força.

Costumo interpretar muita horária mas, devido ao meu estilo de vida, posso passar meses sem delinear uma natividade. Portanto, não é de se esperar que eu seja um astrólogo tão bom quanto eu poderia ser, não? Mesmo assim, dou meus acertos e tenho meus 'clientes' fiéis. Só não sou muito bom em testes de internet...

Erros de atenção

Numa astrologia lotada de informações que necessitam memorização, é comum 'trocar as bolas' e dizer que mercúrio se exalta em aquário quando, na verdade, é em Virgem.

Para mim, é fácil citar de cor os regentes da triplicidade de todos os signos, mas é preciso pensar que isso pode ser difícil para os iniciantes. E olha que, mesmo assim, existem momentos nos quais até mesmo um astrólogo experiente pode ter lapsos de atenção e trocar tudo. Aconteceu comigo diversas vezes.

Não há muito o que se fazer em relação a isso, apenas medidas de controle fisiológico: tenha uma boa noite de sono, não interprete mapas de madrugada (salvo se o seu bioritmo for noturno) e, se você sofrer de déficit de atenção, procure um psiquiatra, faça terapia cognitivo comportamental e tome ritalina.

Erros de testemunho

Esse tipo de erro está entre a astrologia e o astrólogo, mas eu resolvi postar aqui.

Talvez não haja conserto para isso. Talvez tenhamos identificado, através desse erro, onde entra a intuição, e o que diferencia o astrólogo bom do medíocre.

Sinceramente, eu quero pensar que esse erro desapareça com a prática, mas é duro de admitir que ele sempre pode ocorrer, até mesmo com o astrólogo mais dedicado.

Como seria o "erro de testemunho"? Como você deve ter visto em outras postagens daqui, quando analisamos um mapa natal ou revolução solar, uma pessoa pode ser representada por vários significadores. É aí que entra o erro de testemunho: um desses significadores pode indicar uma coisa diferente dos outros; essa coisa pode ser interpretada corretamente pelo astrólogo e, mesmo assim, NADA acontece.

Vamos deixar as coisas bem claras: o astrólogo pode ter dormido bem essa noite, não sofre de déficit de atenção, memorizou tudo que era necessário para interpretar o mapa, vem treinando com mapas todos os dias, está usando uma técnica com alta porcentagem de acertos - ou seja, ele está preenchendo 100% dos requisitos que eu citei até agora. Mesmo assim, diante de um mapa, ao intepretar um planeta, com o mais profundo rigor teórico, ele erra: não acontece NADA sobre o planeta em questão. Porém, ao usar a mesma técnica com outro planeta, acontece TUDO que o astrólogo narrou. Onde está o erro? Na técnica? No astrólogo?

Na verdade, o astrólogo ainda não dominou uma habilidade: pesar e combinar os testemunhos. Infelizmente, receio que seja uma coisa que ninguém ensinará a ele, pois não há livros para isso.

Talvez a maioria dos estudantes vão em busca do próximo livro para realizar a fantasia que um renomado autor lhes ensinará o ensinamento mais poderoso da astrologia: pesar os testemunhos. Ao invés disso, eles só encontram mais um livro de astrologia, recheado de coisas que eles já conhecem e que não trazem diferença alguma na sua prática. Sinceramente, acho que o mercado editorial astrológico é movido principalmente por essa mola mestra, oculta nas engrenagens, mas substancial o bastante para enganar os leitores.

É por não dominarmos esse assunto que é tão difícil julgar mapas que possuem vários significadores para uma mesma pessoa. É o que acontece numa revolução solar, quando temos o regente do ano, o regente do Ascendente e o regente da Profecção, todos os três a representar a mesma pessoa, o nativo cujo mapa se analisa.

Já vi revoluções solares nas quais a pessoa tem um significador em combustão pelo sol, o que seria um sinal de problemas de saúde ou sofrimento. Entretanto, havia outros significadores da pessoa que estavam ilesos, e a temida combustão pelo Sol apenas significou que ela escondia do seu marido uma traição...

Se eu começasse a julgar pelos significadores que estavam bons, era fácil concluir que a combustão seria algo não muito ruim; entretanto, como eu pensei que a combustão era o testemunho mais forte, temia que ela sofresse algum problema de saúde.

Pesar e combinar os significados é uma das coisas mais difíceis de se fazer. Você pode saber toda a teoria, mas não dominar isso. Tal qual uma sobremesa, aprender os rudimentos dessa habilidade pode ser a coisa mais deliciosa da astrologia. Entretanto, não há uma regra clara para se combinar os testemunhos. Se houvesse, seria um saber quase infalível.

Portanto, preciso discordar dos meus colegas e defender aqueles que ainda consideram a intuição algo importante. Enquanto ninguém escrever sobre como pesar os testemunhos, ainda precisaremos contar apenas com ela. 

Comentários

  1. Olá, Rodolfo,
    Sempre um excelente artigo! Só acho que se esqueceu de algo que eu descobri aqui mesmo: o cliente pode não ter "sorte" com práticas divinatórias e isso pode ser analisado no próprio mapa.
    Gostaria de sugerir também que considerasse continuar a série sobre as luas natais.
    Obrigado e um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Tem razão. Acho que vou editar o artigo pra colocar isso. Obrigado!

    Vou ver as luas natais que faltam e colocar aqui.

    ResponderExcluir
  3. Caramba, vc sintetizou exatamente o que eu penso sobre interpretação de mapas. CONCORDO COM EXATAMENTE TUDO. E sobre o que o Anônimo aí em cima comentou, vc tem uma postagem falando sobre isso, até relacionando a casa 9, enfim...excelente postagem!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…