Pular para o conteúdo principal

O retorno do podcast

http://astrosphera.podomatic.com/

Clique no link acima para ter acesso ao meu novo podcast.

Ainda há apenas dois pequenos episódios, um introdutório e outro sobre o excelente blogue do Anthony de astrologia clássica. A tendência, porém, é fazer muito mais, porque gosto de falar.

Se você me acompanha há mais de dois anos, deve se lembrar de que esse blogue já teve um podcast. Ele acabou quando o G-cast - o servidor gratuito de hospedagem - fechou, sem dizer muita coisa a respeito.

O lado ruim de se ter diversas mídias para trabalhar é que, no meu caso, sempre volto à mídia predileta e negligencio as outras. Com o tempo, eu deixei de lado o podcast porque já tinha espaço aqui para falar. Mas o podcast pode ser muito útil para duas coisas: a primeira, focar num outro tipo de conteúdo no qual o blogue não costuma entrar. A segunda, muita gente prefere ouvir a ler.

Na maioria dos programas, o podcast tenderá a se diferenciar do blogue. Pretendo dizer o que ando estudando e as minhas reflexões como estudante de astrologia. O podcast será um espaço mais livre que o blogue para meus erros e indecisões. Enquanto no blogue eu costumo colocar opiniões mais embasadas dos conceitos astrológicos, o podcast será uma espécie de diário da minha experiência enquanto leitor e estudante de astrologia, incluindo minhas dúvidas e respostas mais comuns a elas. Nada impede, contudo, que o conteúdo do podcast eventualmente se aproxime do conteúdo deste blogue.

Como você pode ouvir o podcast?

Para ouvir o podcast, há no momento duas maneiras:

  1. Ir até o link acima (que coloco aqui de novo), que é a página inicial do podcast, que mostra todos os podcasts já feitos. 
  2. Clicar na etiqueta do iTunes (na barra lateral do blogue, imediatamente à direita desse texto) para baixar o podcast direto no iTunes e levá-lo consigo em qualquer mp3player. Obviamente, você precisa ter o software da Apple para isso (mas ele é gratuito e roda em macOS ou Windows)

Futuramente, pretendo dar ao leitor a facilidade de ouvir o podcast na própria página do blogue, mas o player embutido anda com problemas que ainda não consegui resolver. Além disso, falta eu me inscrever na lista de podcasts do iTunes - assim você pode baixar o podcast diretamente no software.


Comentários

  1. Olá. Primeiramente parabéns pelo excelente trabalho. Estou lendo cada tópico do seu blog e é viciante.

    Tenho uma dúvida e gostaria de ouvir uma resposta sua: quando mercúrio está no grau 29 de um signo (por exemplo, grau 29 de virgem), posso considerar q a pessoa terá característica dos dois signos (virgem e libra, como no exemplo)? Vi q alguns astrólogos interpretam assim e gostaria de saber sua opinião. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Sahl diz que um planeta que esteja no último grau do signo já tem a força que teria no signo seguinte, porque é como se ele estivesse num umbral e já colocasse um dos pés para fora de casa.

    serapio diz que planetas nos 3 últimos ou nos e primeiros graus dos signos influenciam o signo seguinte e o anterior.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

Como interpretar uma revolução solar - segunda edição

Eu tenho meus problemas em editar artigos antigos porque eles refletem meu pensamento num dado tempo e espaço, e considero um sacrilégio apagar essa memória. Como eu tenho novas ideias sobre como interpretar revoluções solares, achei conveniente criar um novo artigo com o mesmo nome, se diferenciando apenas com o subtítulo “última edição" Revolução solar são trânsitos sofisticados sobre o mapa natal Simples assim. Eu me cansei de interpretar revoluções solares isoladamente e dar com os burros n’água. Interpretar revoluções solares baseando-se nas posições de casa e de planetas natais é a solução para deixar tudo claro como cristal. Vamos começar com a minha revolução de 2016: O ano de 2016 teve dois principais acontecimentos: eu viajei para a Itália pela primeira vez e meu filho nasceu. Se usarmos somente a revolução solar, fica fácil ver que o filho nasce, pela presença do regente do ascendente da RS, lua, no quinto signo, escorpião, em sextil a júpiter e em trígono com vênus. …