Pular para o conteúdo principal

A Casa 6: um estudo compreensivo

Tenho percebido que a Casa 6 representa toda sorte de problemas e inimigos com os quais temos de lidar e tentar resolver, nas mais diversas instâncias da vida: da física à social. Por isso, fica difícil saber se a Casa 6 representa doença ou não, pois isso depende de outros fatores que devem ser analisados em conjunto.

Aprendemos com os indianos que a Casa 6 melhora com o tempo, e por isso é considerado uma casa Upachaya, o que é verdadeiro nas minhas observações. Por exemplo: pessoas com o Sol regendo a 6 podem ter uma relação horrível com o pai na infância e, com o tempo, ela pode melhorar substancialmente - não quer dizer que a pessoa subitamente vai amar o pai, mas talvez o pai pare de infortuná-la com o tempo e deixe de representar uma ameaça como o era na infância.

Doença não é somente uma atribuição da Casa 6, podendo ser encontrada pelo Ascendente, pelo Lote da Fortuna e pelo Lote das Doenças e do Sofrimento Persistente, cuja fórmula é:

Ascendente + Marte - Saturno, em mapas diurnos

Ascendente + Saturno - Marte, em mapas noturnos

Aliás, nenhum assunto é atribuição exclusiva de uma casa: para estudarmos um assunto integralmente, geralmente você precisa analisar mais de uma casa, planeta ou lote. Como exemplo disso, podemos citar a Casa 7 e 9 no que tange a casamento para os indianos: enquanto a Casa 7 representa o parceiro e a vida sexual do nativo, a Casa 9 indica a instituição do casamento. (Astrólogos Ocidentais são livres para discordar desse ponto de vista, claro, mas devem respeitar a formação indiana).

O regente da Casa 6 reflete a causa ou a descrição da doença/problema que a pessoa tem presente na sua vida, e que pode se esforçar para conseguir melhorá-lo ou consertá-lo. Dentro do contexto da Casa 6, a definição da expressão 'problema' pode ser:

  • Na esfera social, pessoas que ameaçam a integridade do nativo, que o fazem sofrer, que o amedrontam e/ou que o prejudicam de alguma forma, seja por represálias a ações praticadas pelo nativo, seja por crueldade mesmo.
  • Na esfera física, uma doença, uma parte do corpo vulnerável, ou que foi atingida por um acidente e que ameaça a vida do nativo ou compromete sua felicidade com o sofrimento físico/psíquico que isso pode lhe causar
O grande desafio é saber a instância na qual esse problema vai ocorrer. Ao contrário do que se pode supor, a Casa 6 pode funcionar em todos os níveis mencionados, ou apenas num deles. Para sabermos isso, é preciso seguir a pista do regente do signo da Casa 6 e analisar os significadores que tenham a ver com ele.

Se a casa 6 for regida por Vênus, mulheres podem ser inimigas da pessoa, ou ela pode encontrar e/ou fazer inimigos na esfera dos relacionamentos, ou a mãe da pessoa (se o mapa for diurno) pode prejudicá-la e minar sua felicidade de alguma forma, ou até mesmo competir com ela. Num plano físico, a pessoa pode ter problemas com os significados anatômicos de Vênus, ou com seu sabor e/ou atividades: Vênus indica atividade sexual, e a pessoa pode ter uma doença venérea ou decorrente de atividade sexual. Além disso, para os indianos, Vênus indica a vitalidade e a fecundidade do corpo, portanto a pessoa pode ter uma vitalidade ruim, com dificuldade de se regenerar de algum problema de saúde, ou ser estéril. Vênus na Casa 6 ou 12 produzem as mesmas coisas.

Isso ocorre com os ascendentes Touro e Sagitário. Algumas pessoas podem ter um ou mais problemas acima.

Um exemplo pode ser elucidativo.

Um grande amigo meu tem Sol em Sagitário e Ascendente em Peixes e, portanto, como regente da 6, o Sol é usado para descrever a causa dos problemas mencionados acima. Essa pessoa tem problemas de Casa 6 manifestados nas duas instâncias acima: seu pai (significado pelo Sol) foi uma figura cruel para si na sua infância e ele o odeia até hoje, embora o respeite e o compreenda. Além disso, ele desenvolveu uma arritmia cardíaca (sol e Leão regem o coração). O regente do Sol em Sagitário, Júpiter, está em aversão ao seu signo, em Escorpião, e isso pode indicar uma relação um pouco turbulenta com o pai.

Por outro lado, conheço outra pessoa com Ascendente Peixes e Sol em Leão (ou seja, no sexto signo) que não tem todos os problemas acima. A pessoa tinha uma relação excelente com o pai, mas este morreu quando ele ainda era jovem. O Sol, nesse caso, se manifesta num nível mais psíquico, pois esse nativo tem transtorno bipolar e já experimentou mais de uma internação numa clínica psiquiátrica. Na medicina chinesa, o transtorno bipolar pode ser definido em muitos casos como "fleuma e calor no coração", indicando o papel do coração num sentido mais psíquico, que foge do referencial somente físico-anatômico da medicina ocidental.

No segundo caso mencionado, o Sol domiciliado representou a boa relação com o pai, mas sua ocupação da casa 6 indicou morte precoce do mesmo (com efeito, o significador de alguma pessoa na 6 geralmente indica a morte precoce desta).

O estudo da casa 6 também pode ser intermediado pela expressão que a denomina e é citada por autores como Firmicus Maternus: mala fortuna. Mais adiante, farei um texto sobre os nomes daemon e Fortuna, que são usados nas casas 11, 12, 5 e 6.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …