Pular para o conteúdo principal

Lua Natal do dia: Capricórnio (e o perigeu lunar)


"O indivíduo sempre dá carinho e suporte à sua mulher e seus filhos, mas é um hipócrita na religião. A metade inferior do seu corpo é esguia. Seus olhos são bonitos e graciosos e sua cintura delgada. Ele é aberto a exortações, tem uma memória muito retentiva; é afortunado, mas ocioso. Não consegue suportar frio e é propenso a viajar. É forte e liberal, compositor de obras literárias. É avarento e consegue intercuso ilícito com mulheres mais velhas e de casta inferior."

A Lua hoje está em Capricórnio e, pelo tamanho que apareceu nos céus, provavelmente chegou a distância mais próxima possível da Terra, chamada de perigeu. Muitas pessoas usam essa distância e a chamam de Lilith, e me espanta que nas culturas mais tradicionais não se use o perigeu lunar, pois ele é muito evidente nos céus. Assim como os nodos, o perigeu se move. 

Quanto à Lua em Capricórnio, esse é o posicionamento planetário mais malfadado dos livros modernos. Costumam falar coisas não muito agradáveis dessa Lua. Uma delas é que a relação com a mãe pode não ser muito agradável e, de fato, o tema da rejeição e da frieza materna é muito comum nesse caso. Se a mãe cuidou bem do nativo, normalmente ele se sente preterido. 

Conheço duas pessoas com essa lua, sendo um delas um grande amigo de infância e adolescência. Será fácil para mim desmentir ou ratificar o que está ali em cima. Mas antes, vamos a uma análise mais técnica da Lua.

A Lua está no nono signo a partir da sua mulatrikona, que fica em Touro, e a sete signos do seu domicílio, Câncer. Portanto, temas como religião, dharma, escrita de histórias (um tema da nove) sexo e filhos são percebidos na expressão da sua personalidade e necessidades emocionais. Filhos são indicados também pela casa 7, pois são um produto do ato sexual. Combinando isso com Saturno - planeta regente de Capricórnio - percebemos a solução que o autor encontrou para escrever seu texto e combinar todas essas informações. 

É preciso um pout pourri de Saturno para entender a que me refiro. Saturno é descrito como um hipócrita segundo a maioria dos autores de astrologia tradicional do ocidente, e aqui não foi diferente. Saturno indica as trevas, pois é o planeta que tem seus dois domicílios opostos aos dos luminares. As trevas escondem a verdade e por isso que Saturno é hipócrita no sentido de não se mostrar totalmente, mas não em dizer aos outros o oposto do que pensa. Baseado nisso, temos até de rever o uso da palavra "hipócrita". 

Dharma seria a conduta geral do indivíduo na sociedade onde ele se encontra, e é um dos temas da casa 9. Pessoas com uma casa 9 bem situada são plenamente adaptadas à cultura natal: além de não terem problemas com a lei local, elas seguem a cultura natal e a ratificam. Se a pessoa for carioca, ela é católica e vai na procissão do padroeiro da cidade, São Sebastião. Se for paraense de Belém, todos os anos ela acompanha o Círio de Nazaré. Se a pessoa nasceu num lar evangélico, ela nunca se afasta da sua igreja natal. Se nasceu numa família de filósofos existencialistas e todos ao seu redor são ateus, ela se torna um deles. É por essas razões que podemos facilmente concluir que o interesse em astrologia e religiões orientais dentro do Brasil reflete aflições da casa 9 no mapa da pessoa! Isso merece um artigo à parte...

Combinando o que foi dito do dharma com o significado de Saturno, podemos concluir que uma pessoa com essa Lua pode esconder que não concorda com algumas coisas da sua cultura mas, mesmo assim, adere a elas parcial ou totalmente, como a maioria. 

O envolvimento com mulheres mais velhas e de casta inferior é resultante da combinação de casa 7 (contando até Câncer) com Saturno, que significa anciãos e a classe mais inferior da sociedade. Portanto, se o autor estiver correto, homens com essa lua vão se envolver com mulheres mais velhas e de origem humilde. Se a pessoa não for de origem humilde, ela pode ser alguém despreocupada com ideais, que apenas se preocupa em ganhar o pão de cada pra se sustentar e chegar em casa pra assistir seu programa de tevê preferido - a simplicidade da vida é uma característica da casta de Saturno. 

A memória retentiva de Saturno pode se dever ao fato dele ser um planeta lento e ter dificuldade de se expressar - lembre-se de que as trevas não se revelam facilmente, e com isso a pessoa pode ficar retendo coisas na sua mente porque não se expressou adequadamente no momento certo. Entretanto, quem tem Lua e Capricórnio com um marte "arretado" em seus mapas pode se expressar na hora certa e não levar desaforo pra casa.

Saturno é aberto a conselhos porque é um planeta de casta inferior, e tende com isso a representar pessoas humildes, mesmo que sejam ricas. Você não vai ver uma pessoa com essa Lua vociferando em alto som o que seria para elas a verdade absoluta, como acontece com outras Luas. 

Quanto ao fato da palavra "preguiçoso" ter sido usada, eu não acho adequada. O que vejo é pessoas com Lua em Capricórnio não tendo um desenvolvimento profissional mundano ideal para ela. Em alguns casos, isso pode representar que a pessoa não tem a carreira que gostaria e acaba escolhendo uma outra coisa. É injusto o termo "preguiçoso" porque a Lua em Capricórnio suporta uma grande quantidade de trabalho. 

Como vocês podem notar, é preciso muito cuidado para se ler esses textos, principalmente porque o tradutor do sânscrito para o inglês moderno pode não ter sido alguém preparado para captar as sutilezas. Se pensarmos dessa forma, talvez o texto original (do Brihat Jataka) seja muito fidedigno ao que pensamos hoje em dia de pessoas com essa Lua, pois eu, que conheço dois casos próximos e outros nem tanto, concordo que o texto se sincroniza bem com o comportamento dessas pessoas, mas com as devidas explicações.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …