Pular para o conteúdo principal

o que os planetas representam em cada situação?

Com alguns anos estudando astrologia, é interessante que sempre voltamos aos princípios básicos.

Não importa a técnica que você usar, se não souber o que os planetas representam no contexto da técnica, palavra alguma sairá da sua boca na hora de dar o prognóstico. E essa é a parte mais misteriosa da astrologia. Curiosamente como disse, a parte mais simples dela também.

Quanto à manifestação do símbolo, os mestres são lacônicos. Os símbolos planetários podem se manifestar numa profusão de possibilidades tamanha, que só resta o astrólogo entremear cada prognóstico com a expressão 'pode ser'.

Alguns tentam fugir desse dilema tentando especificar a manifestação do planeta pelas casas que ele rege. Assim, se Júpiter estiver relacionado à casa 5, há uma chance maior do evento estar relacionado a crianças, pois Júpiter as representa naturalmente. Mesmo assim, isso esbarra numa série de poréns, e só resta ao astrólogo colar mais um 'pode ser' no início da frase.

Longe de ser a solução ideal, só nos resta escolher aquilo que o planeta tem mais a ver com o tema interpretado. Assim, se a Casa 4 rege o reino emocional (pelos indianos), o que seria Júpiter ligado a essa casa? Como eu disse, pode ser muitas coisas. De qualquer forma, o fato das possibilidades serem grandes não implica serem a maioria falsas. Muitas delas podem ser completamente verdadeiras.

O astrólogo tem que saber o que os planetas representam em várias dimensões da vida. Conhecendo de antemão essas categorizações, ele as adapta à casa na qual recai a influência do planeta. Assim, será mais fácil descrever o que o planeta representa.

Em primeiro lugar, é necessário distinguir a dimensão-tema que a casa indica. Uma única casa pode ser abordada sob várias dimensões. Tomemos por exemplo a casa3. Numa dimensão mais abstrata e subjetiva, ela representa as habilidades técnicas da pessoa e sua capacidade de competição (pela astrologia indiana). Numa dimensão mais relacional, ela representa o irmão imediatamente mais novo do nativo.

O que seria júpiter influenciando a casa 3? Se você não souber a dimensão mais etérea do planeta, pode errar feio. Num sentido mais abstrato, Júpiter na 3 ou a aspectando dá habilidades técnicas jupiterianas. Uma delas pode ser a capacidade de aconselhamento e de ver as coisas num sentido mais geral. Perceba que estamos abordando uma dimensão muito subjetiva da Casa 3, coisa incomum de ser ver por aqui, num blogue tradicionalmente ligado à astrologia medieval.

Quanto à capacidade de competir, esse indivíduo não será competitivo - preferirá o 'fair play' se a competição for indispensável. Somente planetas benéficos nas casas de competição e luta - a 3 e a 6 - representam que a pessoa é santa. Isso está presente em mapas de diversos mestres indianos e santos cristãos.

A astrologia medieval e indiana é muito objetiva. Elas tentam ver no mapa as coisas mais palpáveis a olho nu, embora também haja dentro da indiana a preocupação de se conhecer o indivíduo internamente - sendo uma preocupação pouco comum dos autores modernos, embora os princípios mais subjetivas de cada casa já estejam sinalizadas na obra de Parasara.

De fato, o mapa natal representa não somente as pessoas ao redor do nativo, suas circunstâncias de vida. Ele representa a subjetividade do nativo, sua mente e seus costumes - mesmo que você não aborde isso numa consulta, isso está lá, escondido no mapa.

Para que o astrólogo saiba o que cada planeta pode representar em cada dimensão que ele estudar na vida da pessoa, um conhecimento prévio das manifestações planetárias é essencial. Existem vários livros com esse papel, mas eu citaria três, com seus respectivos links:

  1. Graha Sutras: um livro baseado no capítulo sobre os planetas, do Brihat Parasara Hora Sastra. Ensina-nos a identificar o que cada planeta representa na maioria das dimensões de vida terrestre - emoções, manifestações terrestres, elementos, etc.
  2. Introductions to Traditional Astrology - A introdução dá as descrições dos planetas conforme a Grande Introdução de Abu Ma'shar. Compilado por Benjamin Dykes.
  3. The Book of Instruction in the Elements of the Art of Astrology - escrito por Al-Biruni, é o livro medieval com a maior lista de características dos planetas em várias dimensões da vida. Recomendadíssimo. Há uma versão em português com somente as Características dos Planetas que pode ser baixada de graça na barra "BOX" lateral a essa coluna, no blogue, ou clicando-se aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…