Pular para o conteúdo principal

OK, vou falar do Tsunami.

O astrólogo só consegue prever o céu que ele observa atentamente. Não havendo observação, não há previsão!

Apesar de estudar japonês e de gostar da cultura japonesa em suas manifestações mais populares, eu nunca me liguei no Japão no que tange a Astrologia Mundial. Portanto, enquanto astrólogo, era incapaz de prever algo sobre aquele país.

Evidentemente, podemos aprender alguma coisa com eventos que já aconteceram, e é imbuído desse espírito que interpreto o mapa japonês, mas antes, um pequeno histórico dos Tsunamis do Oceano "Pacífico".


Os maléficos e os Tsunamis

Para vermos a situação de um determinado país, levantamos a carta do momento em que o sol entrar no primeiro minuto do signo de Áries. Só que isso nem sempre é suficiente.


Em 2004, Saturno estava no ascendente da Carta de Ingresso de Banda Aceh, na Indonésia, e representou com exatidão aquele Tsunami devastador. Saturno estava em Signo de Água no zodíaco tropical, o que tem total sincronia com o veículo pelo qual a tragédia se deu - água aos borbotões.
Os astrólogos medievais diziam que, quanto o Ascendente da Carta de Ingresso for um signo cardinal (Áries, Câncer, Libra ou Capricórnio), devemos dividir o ano em quatro partes, cada uma representada por um mapa.
Portanto, se em 2004 o Tsunami se deu em dezembro, o mapa acima não valeria para descrevê-lo. O mapa correto seria o ingresso do sol no primeiro minuto de capricórnio:

Coincidência? O Ascendente no mesmo signo E QUASE NO MESMO GRAU que aquele do Ingresso do Sol em Áries. Saturno lá ainda... Em signo de Água.
Quando Saturno ou marte ou os nodos estiverem no Ascendente da Carta de Ingresso de um determinado país, não espere por coisas boas.
No próximo mapa, você entenderá porque incluí os nodos dentre os supracitados.

Agora veremos o caso japonês.

Na carta de ingresso do sol em 00ºÁries calculada para o Japão, o nodo norte está em conjunção com o Ascendente.

Os astrólogos medievais, principalmente Abu Ma'shar, davam importância aos nodos lunares. Talvez porque Abu Ma'shar vivesse numa cidade que reunia Astrólogos árabes, helênicos e indianos, ganhando influências de várias vertentes.

Com o tempo, porém, a importância dos nodos lunares na astrologia ocidental foi diminuindo, mas continuou crescendo na Astrologia Indiana. Tanto que hoje os nodos são muito mais valorizados em livros modernos do que nos clássicos.
Abu Ma'shar dizia a mesma coisa que todos os outros astrólogos contemporâneos a ele:

O nodo norte é benéfico e tem as qualidades de Vênus e Júpiter e aumenta as coisas, enquanto o sul é maléfico, tem as qualidades de marte e de Saturno e diminui.

Não é bem assim na minha experiência. Nesse caso, sou mais inclinado ao que os indianos reportam: os nodos são maléficos. O nodo sul é como marte, e o sul como Saturno.
Para os indianos, Rahu é como Saturno e ketu é como marte. Rahu é ambicioso e extrovertido, ketu espiritualizado* e introvertido.

*Independente da religião, pessoas com ketu na 1 são muito espiritualizadas, e as que o tem na 7 ou tem o parceiro assim ou simplesmente se mantém solteiras, pois ketu representa castidade.

Em matéria de nodos, fico com os indianos. Sendo assim, o nodo norte conjunto ao ascendente representa coisas tão maléficas quanto seria se Saturno estivesse ali.

Muitas pessoas como eu começaram a estudar astrologia indiana e, mais a frente, abandonaram a ocidental. Não é o meu caso. Eu tenho boas razões para isso, e uma delas é achar que a Astrologia mundial medieval é mais complexa que a astrologia mundial indiana.

O principal argumento para se jogar fora a astrologia do ocidente é o uso do que seria, para os indianos, um zodíaco errado. As opiniões sempre foram quase coesas na Índia, até a primeira década do século XXI, quando na Internet surgiram vozes esparsas de estudiosos indianos, que especulavam o uso do zodíaco tropical na astrologia indiana...

Há autoridades em sânscrito e em astronomia antiga que defendem o uso do zodíaco tropical nos sutras de Jaimini. Infelizmente, não tenho os artigos que postulam essas idéias - muito avançadas para a maioria dos astrólogos indianos e redigidos por intelectuais talvez avessos à Internet...
Na minha experiência pessoal, o zodíaco tropical funciona, principalmente na Astrologia Mundial. É o que podemos ver nos mapas acima.
Usando-se o zodíaco tropical, a maioria dos terremotos acontecerão quando o Ascendente das Cartas de Ingresso receber signos de terra ou de água, o que faz todo o sentido em se tratando do veículo pelo qual a tragédia se deu. A mesma correspondência se perde ao usarmos o zodíaco sideral.

Em alguns casos, porém, o elemento do signo no zodíaco sideral corresponde melhor ao evento, como é o caso do marte que figurou nas cartas de ingresso esse ano.

Leão é um signo de fogo, sendo o signo imediatamente anterior - Câncer - um signo de água. Marte está no primeiro grau de Leão, mas as tragédias não envolveram o elemento fogo, mas sim água.

Se usarmos a precessão dos equinócios, Marte vai para Câncer, signo que, na minha opinião, tem muito mais a ver com as tragédias envolvendo água esse ano, no Brasil e no Japão.

Podemos afirmar que marte tem relação com esses eventos porque ele está no ascendente ou no descendente das Cartas de Ingresso dos países que sofreram com enchentes ou Tsunami. Ou seja, nesse ano, as tragédias são melhor demonstradas com o zodíaco sideral do que com o tropical.

Enquanto você não encontrar uma resposta decente para esse dilema, continue no zodíaco que sempre usou. Independente do que você escolher, poderá prever muitas coisas. Isto porque grande parte da interpretação de mapas dependem da posição do planeta nas casas, e não nos signos. ou seja, marte e saturno no ascendente dos mapas em questão já são motivos de preocupação...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…