Pular para o conteúdo principal

O Retorno de Saturno

De vez em quando, é bom dar margem aos mitos urbanos da Astrologia e mostrar se eles podem ou não ser verdadeiros na prática. Essa abordagem é a mais comum por aí, porque seguramente é aquela que mais dá mais audiência aos sites.

Os termos e perguntas que mais pipocam na internet são "inferno astral", "Ascendente começa a funcionar depois dos trinta", etc. Um tema que entra nessa lista de celebridades míticas é o famigerado Retorno de Saturno.

Eu poderia ter escrito sobre isso há muito tempo. Como se pode ver na coluna de postagens mais populares, os títulos mais apelativos são os que tem mais acessos. Só que minha diretriz para escolha de temas é sempre deixar o leitor a par das minhas últimas reflexões, vivências e estudos astrológicos - sendo que isso nem sempre é apelativo...

Por exemplo, o artigo sobre Tajaka foi criado porque estou estudando o mesmo livro que indiquei no site scribd. Como no dia 27 de março de 2011 eu completei 29 anos, estou próximo do meu retorno de Saturno, então estou vivenciando certas coisas que já se repetiram na minha vida e que gostaria de compartilhar.

Vamos desmistificar (ou não) o retorno de Saturno:
O Retorno de Saturno é simplesmente o momento em que esse planeta retorna à mesma posição que ocupava no mapa natal.

Saturno é o planeta mais lento da astrologia tradicional, e portanto isso acontece a cada vinte e nove anos, aproximadamente.
Essa expressão já foi usada por alguns artistas, como Renato Russo:
E aos vinte e nove, com o Retorno de Saturno,
Decidi começar a viver.
(Música 'Vinte e Nove', Legião Urbana, álbum "O Descobrimento do Brasil")
Ou, pela banda canadense R.E.M., com a música do homônima:
Saturn return when you chase down its moons
Throw them into a new gravity.
(Música 'Saturn Return', REM, álbum 'Reveal')
Ou seja, há uma aura de 'misticismo poético' cercando esse conceito. Se astrologia já é mística pra cacete, imagina o Retorno de Saturno!

O astrólogo faz do retorno de Saturno mais um dos seus inúmeros instrumentos de trabalho. Como tudo dentro da astrologia, existe mais de uma maneira de trabalhar com ele. Eu vou citar o modo mais moderno e depois o modo clássico.

Na Astrologia moderna, independente do que Saturno significar no mapa da pessoa, o momento do retorno de Saturno serve para a pessoa colher aquilo que ela plantou durante os vinte e nove anos e meio anteriores e de começar um novo ciclo de maturidade. É um momento de peso na vida de alguém.

Já ouvi gente dizendo que, depois dos trinta, as pessoas ficam mais interessantes, etc. Trinta é um número arredondado para o retorno de Saturno que, na verdade, ocorre com vinte nove anos e meio.

E quem sou eu para definir o que ocorre a partir dessa idade! Talvez muitos escritores tenham arranhado a borda dessa significância, e não seria um simples astrólogo que definiria isso. De qualquer modo, eu humildemente posso dizer que nos trinta, fazemos uma chamada em nós mesmos: continuar tendo comportamento infantilóide em algumas áreas da vida ou amadurecer a alma o mínimo possível?

Com 18 anos, o corpo já está pronto, mas a alma, longe disso. Os trinta anos são a primeira chance da alma ter alguma maturação para encarar a vida adulta com dignidade, vida na qual sobrevivia com sofreguidão desde os dezoito.

E haverá outros ciclos de Saturno: o homem moderno vive no mínimo dois deles. O homem medieval tinha a expectativa de vida de apenas um ciclo de Saturno. Moliére, quando queria representar velhos caquéticos em suas peças, escolhia pessoas de quarenta anos de idade!

Eu acho que o estudo do ciclo de Saturno sem a análise do mapa natal reflete o processo genérico de amadurecimento do homem, mas existem pessoas que fogem dele. Pessoas que sofreram muito e foram obrigadas a amadurecer muito cedo. Pessoas que acham a vida uma Disneylândia e que nunca amadurecerão, no sentido positivo da palavra.

Como eu sou um astrólogo de inspiração árabe-medieval, meu modo de proceder com o retorno de Saturno seria o mesmo de Abu Ma'shar:
'Quando um planeta retorna à sua posição natal, realiza-se as coisas que ele representa na natividade'.
(Abu Ma'shar, on solar revolutions)
Agora você tem o dever de interpretar o seu Saturno no mapa natal. Quando chegar o seu retorno, saberá como ele funcionará.


O mapa acima tem dois zodíacos: o sideral é o mais externo. O mais interno é o tropical.

Veja, por exemplo, o meu caso: Saturno está nos ângulos. Maléficos nos ângulos são difíceis porque o nativo se identifica com eles, vivenciando na carne todas as qualidades que eles representam.
Saturno é trabalho e maturidade, austeridade e estoicismo, mas também é melancolia, depressão, misantropia, peso.
No meu caso, acho essa posição de Saturno problemática porque está na Casa 7 (relacionamentos e desejos, para os indianos). Minha relação com meus desejos e parcerias é bastante complicada. A tendência é desistir deles, só que assim eles voltam pra você de alguma forma: é fundamental lutar por eles para se dar movimento à vida!

Mais problemático ainda é que o Sol, o significador de vitalidade, está em oposição a Saturno. Todos os trânsitos de quadratura e oposição de Saturno sobre o Sol me são acachapantes. Eu sinto fisica e mentalmente que estou carregando três sacos de cimento nas costas.

Talvez essa descrição de Saturno esteja lhe amedrontando, mas acalme-se: Saturno pode ser muito melhor pra você. Tudo depende das casas que ele reger.
Um Saturno regente de casas maléficas (6, 8 e 12) acentua a malícia de Saturno para deprimir e extenuar. (Para saber quais casas ele rege, identifique onde estão os Signos de Capricórnio e Aquário). No meu mapa (zodíaco sideral), Aquário está na 12.

Já a sua regência sobre as outras casas implica bons resultados, mas com muito trabalho e constante reorganização e vigilância.

Se no mapa natal, Saturno estiver ligado ao Sol de forma tensa (quadratura e oposição), a pessoa experimenta muito peso na sua rotina nos períodos de Saturno e do Sol, ou quando Saturno entrar em trânsito com o Sol.

Saturno em configuração com a Lua não é tão ruim, mas a pessoa pode ser muito isolada, ser extremamente organizada e/ou não ter grandes interesses materiais. A palavra chave dessa combinação é ascetismo.
É claro que falamos de um modo simbólico. Saturno não faz, mas representa essas coisas.





Comentários

  1. Ola Rodolfo
    Meus saturno e sol estão que nem os seus casas 7 e um, respectivamente, em oposição com orbe de (zero graus) e a 2 (dois) graus do Asc.!!
    Eu casei no retorno de Saturno (30 anos) e divorciei aos 60 anos +/- !!!
    Aos 90 anos estarei "fora" mas se não estiver te informo do que aconteceu RsRsRs

    Abraços
    Mihail

    ResponderExcluir
  2. Tenho saturno na 7 em sagitário tbm e estou preocupada com aproximação sobre o saturno natal. Como foi o seu retorno na 7?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…