Pular para o conteúdo principal

como interpretar um planeta num signo (os segredos da Índia)

Um dos primeiros passos para estudar astrologia no ocidente é ler as interpretações dos planetas nos signos. Como estamos nos referindo à astrologia moderna, essas interpretações são altamente subjetivas.

Muitas dessas interpretações modernas entram em domínios irrestritos à posição do planeta em qualquer casa. Por exemplo, marte em Câncer pode representar uma pessoa que goste de cozinhar*, sendo esse julgamento para muitos autores independente da casa que marte ocupar. São os famosos 'posicionamentos genéricos'.

*(Isso porque os autores modernos associam Câncer ao ambiente doméstico, por ser o quarto signo (lar) de um zodíaco natural iniciado a partir de Áries).

Os mesmos autores que citam os significados para cada planeta em cada signo dizem rapidamente que é necessário 'filtrar' quais das significações funcionarão para o nativo ou não, a depender do seu mapa natal. Entretanto, nenhum autor me ensinou como fazê-lo e eu mesmo sozinho nunca consegui.

Para mim, foi mais fácil esquecer esses autores e suas interpretações, e delinear o significado dos signos e planetas associados às casas que ocupam, bem ao estilo 'Morin de Villefranche'.

Mas chega de falar do ocidente... Agora, falemos do que ocorreu na Índia, o motivo desse artigo.

Os indianos fazem o mesmo exercício de interpretação dos planetas nos signos. Ele está presente em vários clássicos como Uttar Kalamrita, Saravali, etc.

Evidentemente, as interpretações não são subjetivas, mas sim altamente pragmáticas, voltadas a eventos externos. E não se esqueça: a maioria dos astrólogos indianos advogam o uso do zodíaco sideral.

Citarei aqui um trecho de Saravali:

Mercúrio em Gêmeos: Se mercúrio ocupa Gêmeos ao nascimento, o sujeito terá uma aparência auspiciosa, falará docemente, será muito fluente, um palestrante hábil, honrado, desistirá da sua felicidade (talvez em prol dos outros), coabitará menos, terá duas mulheres, gostará de discussões, será instruído nos Vedas e Sastras, será um poeta, independente, querido, munificente, proficiente no seu trabalho e terá muitos filhos e amigos.
O mais interessante desse tipo de interpretação é imaginarmos como se chega a ela.

À primeira vista, podemos especular que as interpretações são construídas pela experiência do autor; esta impressão se esvai à medida em que lemos a opinião de outros autores modernos, como Dinesh Mathur:
Mercúrio em Gêmeos é bom para a educação pois Virgem é o signo da sua exaltação e os elementos do signo e do planeta são os mesmos;
(a mercúrio, se atribui o elemento terra, e virgem é o quarto signo de mercúrio em gêmeos, representando educação na astrologia indiana).
Júpiter se exalta em Câncer, a segunda casa de mercúrio (em Gêmeos), que mostra discurso. Uma pessoa com mercúrio em Gêmeos, portanto, falará com sensibilidade e sobriedade.
Perceba que Mathur chega às mesmas conclusões que Saravali, mas usando de conceitos astrológicos para construir a interpretação de um mero planeta dentro de um signo! Ou seja, até as coisas mais simples não são criadas do nada!
Essa é uma característica distinta e muito interessante da astrologia indiana:
a maioria das interpretações de planetas nos signos e outros conceitos igualmente simples se valem de um arcabouço de conceitos astrológicos por trás delas, não sendo dadas pela experiência dos autores.
Nunca encontrei algo semelhante na astrologia ocidental!
Isso nos faz concluir que, uma vez se conhecendo a lógica , pode-se chegar a qualquer interpretação. Se o leitor ainda não entendeu muito bem como isso se faz, abaixo eu apresento as diretrizes do que consegui entender. Para se interpretar a posição de um planeta dentro de um signo:
  1. Coloque o planeta como se fosse um ascendente. Exemplo: mercúrio em Gêmeos, independente da casa natal: considere-o como se estivesse na 1.
  2. Com o planeta tomado como ascendente, considere as casas (contadas a partir dele) que mais tem a ver com os significados essenciais do planeta. Exemplo: mercúrio tem a ver com as casas 2 ('discurso' na astrologia indiana) e 4 ('educação' na mesma).
  3. Identifique que planetas regerão essas casas, (ainda considerando o signo do planeta analisado como Ascendente): a casa 2 de mercúrio contém Câncer, signo da lua e exaltação de Júpiter.
  4. Interprete como as casas se manifestarão pelos planetas regentes e pelos planetas que entram em queda:
vamos analisar a casa 2 de mercúrio em gêmeos porque ela tem tudo a ver com um dos significados essenciais de mercúrio: a fala.
Para os indianos, a Casa 2 representa principalmente o ambiente familiar, o dinheiro acumulado, a comida que ingerimos e o discurso da pessoa.
O segundo signo de mercúrio em Gêmeos é Câncer, regido pela Lua, exaltação de Júpiter e queda de Marte:
  • A regência da Lua dá uma voz melodiosa ao nativo
  • O sabor de Júpiter é doce e, portanto, a voz do nativo assim será;
  • Pelo fato de marte entrar em queda no signo de Câncer, isso é ruim para o discurso dele pois entrará em discussões frequentes, seja pela escrita, seja pela voz.
Podemos, com base no esquema acima, deduzir mais coisas:

Quem tem mercúrio em Gêmeos não pensa muito em sexo porque Vênus (significadora de sexo) está em queda na casa da mente: Virgem é a queda de Vênus, e está na 4 a partir de mercúrio em Gêmeos! É por isso que Saravali diz que o nativo 'coabitará menos'!

Conhecendo a lógica por trás da interpretação, podemos deduzir como qualquer posicionamento de um planeta nos signos funcionará. Resta saber quando isso pode ser aplicado com êxito, mas essa pergunta, de fato, cabe à prática nossa de cada dia.

Da minha parte, basta concluir ou não se a minha prática confirma o que disse sobre mercúrio em Gêmeos. Conheço uma pessoa que tem mercúrio em gêmeos na 1 e muitas características confirmam os achados acima:
  • Tem a voz muito suave, opta por palavras bonitas e sabe dizer coisas difíceis com muita delicadeza e sem ofender as pessoas devido à boa escolha dos termos (lua e júpiter dominando a casa 2 a partir de mercúrio)
  • Entra em discussões devido à paixão pelos seus ideais (marte tem sua queda em câncer, que no caso fica na 2ª a partir de mercúrio)
  • Ela liga para sexo, mas tende a racionalizá-lo, dotando-o de um valor simbólico forte e que acaba por engessar o modo de fazê-lo. Com isso, o sexo deixa de ser instintivo e passa a ser extremamente racional, o que pode ser desestimulante para algumas pessoas (virgem na casa 4 a partir de mercúrio, signo onde Vênus tem queda).

Uma pausa para as críticas ao método acima.

O principal problema desses posicionamentos é que todos dizem respeito ao nativo, da mesma forma que os livros 'receitinha de bolo' de posicionamentos dos planetas na Astrologia moderna.

No caso acima, eles se encaixaram quase como uma luva à pessoa, mas ela é suspeita, uma vez que realmente tem mercúrio no ascendente.

É natural que a rigorosa voz da razão nos perturbe numa hora dessas quando, por exemplo, usarmos o mesmo esquema acima para interpretarmos planetas como júpiter em Gêmeos ou Saturno em Virgem: será que todas as pessoas com esses planetas terão a mesma interpretação? Saturno fica dois anos e meio no mesmo signo!

É natural pensarmos que o exercício acima que fizemos com mercúrio seja válido somente para planetas rápidos como ele e a Lua. Só que os livros fazem o mesmo exercício até mesmo com saturno!

Eu não tenho ainda uma opinião formada a esse respeito, mas tenho uma sugestão que pode ser muito útil, pois nos possibilitará usar o modelo de interpretação acima também para planetas lentos. Vou citar o meu Saturnão em Virgem no zodíaco sideral e mostrar aos leitores uma maneira mais racional de aplicarmos o esquema acima.

Meu Saturno fica em Virgem na Casa 7. Saturno é significador natural de problemas, dívidas, solidão, separação. A casa que significa essas coisas é, naturalmente... a 12!

Seguindo estritamente a lógica treinamos com mercúrio em Gêmeos, devemos olhar os planetas que regem a 12 de saturno e interpretarmos o que eles representam para esse contexto.

A 12 de Saturno em Virgem fica em Leão, domicílio do sol e local inímico aos planetas que sejam inimigos do sol. Um deles é o próprio Saturno.

Se o sol rege a 12 de saturno, ele qualifica as coisas que a 12 representa. Podemos supor então, que os inimigos (a casa 12 também são inimigos secretos para os indianos) sejam pessoas poderosas, autoritárias ou até mesmo o chefe dele. É nesse trecho que entra a minha interferência.

Na verdade, todos os chefes aos quais me subordinei se tornaram grandes amigos meus e nunca levei sequer uma 'rasteira' de nenhum deles. Entretanto, uma pessoa muito próxima a mim teve um sério problema com seu chefe, que culminou com sua demissão. Essa pessoa foi minha mulher, representada pela casa 7, casa esta onde Saturno em Virgem se encontra...

Esse ano, porém, eu fui demitido do meu emprego mais rentável não por ter atritos com meu chefe, mas simplesmente pelo fato de ser oneroso ao Governo do Estado do Rio de Janeiro manter um profissional por carteira assinada! Eles demitiram a todos cujas carteiras foram assinadas pelo vínculo de Fundação!

Se levarmos em conta esse evento inauspicioso, ele pode ser representado pelo Sol na figura no Estado do Rio! O grande problema racional é que milhões de pessoas têm Saturno em Virgem em seus mapas siderais, e nem por isso todas elas sofreram demissões como eu! É nessa hora que entra a irritante expressão 'necessidade de se confirmar no mapa'...

Por hora, eu defendo o uso do esquema de interpretação dos planetas nos signos relacionando-os às pessoas representadas pela casa onde o planeta estiver, mas você há de concordar que ele funcionou para mim independente da casa onde Saturno estava.

Nem sempre temos todas as respostas.

Comentários

  1. Que honestidade e inteligência, rigor e a bela qualidade da humildade - vc tem, rapaz!
    Só escrevi isso p vc saber disso.U grande abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…