Pular para o conteúdo principal

Evidências do zodíaco tropical - parte 2

Não sei porque, mas não coloquei uma importante evidência do zodíaco tropical no post anterior:
  • O uso das regências na astrologia horária.
Cansei de fazer horárias no zodíaco tropical e acertar o prognóstico.

Errei muito também mas, graças a Deus, os erros crassos foram percebidos e atribuídos, de tal forma que o zodíaco tropical se mostrou infalível em horárias.

Posso dizer que o zodíaco tropical é 99,9% 'infalível' em horárias porque eu fiz muito mais horárias do que mapas natais, sempre usando as regências.

A horária é algo bom para aprender astrologia porque nós podemos ver se ela é correta ou não. A maioria das perguntas terão seu desfecho em curto e médio prazos, então se você não conseguir aprender astrologia com horárias, esqueça.

O eminente astrólogo indiano, K. N. Rao, disse que a astrologia ocidental usuária do zodíaco tropical, tem dado maus resultados, excetuando-se o ramo da astrologia horária.

Ora, se a horária funciona e é dependente de regências, isso fala a favor da utilização do zodíaco tropical. Vamos postar aqui uma horária e você entenderá essa afirmação:


O mapa acima é um desenho especial do Solar Fire Gold, posicionando na parte mais externa o zodíaco sideral Fagan-Bradley e internamente o zodíaco tropical.

A horária era sobre um negócio, se ele daria certo ou não. Usando o zodíaco sideral, note que o regente do Ascendente é Saturno, que está exaltado na casa X, indicando sucesso.

Como um maléfico rege o ascendente e ao mesmo tempo resolve a questão, isso indicaria que a pessoa teme sua impulsividade em entrar num negócio que tem uma boa chance de dar errado, porém Saturno está exaltado numa casa que guarda grande relação com a questão e tudo isso é muito bom.

Soma-se a isso que a Lua também pode ser usada como um testemunho acessório, uma co-significadora da questão. A Lua em Leão é perfeitamente recebida pelo Sol e isso indica um excelente desfecho para a questão.

Se usássemos o zodíaco sideral:
  • O regente do Ascendente seria júpiter, no início de Peixes e cadente dos ângulos por divisão. O sucesso também é prometido, mas com atraso.
  • A Lua está em Câncer, e portanto domiciliada. Se aplica ao Sol em Escorpião. Como o Sol está na queda da Lua, esta trataria de destruir a questão.
Usando o zodíaco sideral, há ainda uma probabilidade de sucesso, com atraso, mas o co-testemunho da Lua indica que o negócio não vai adiante pela iniciativa do próprio consulente.

Até agora, de fato há um atraso, o consulente está preocupado mas não pensa em desistir. Júpiter regendo o Ascendente e a total ausência de maléficos na questão indicariam a falta de preocupação do consulente, mas isso vai totalmente contra o que está acontecendo.

Existem outras horárias que fiz usando o zodíaco tropical, mas essa por hora é suficiente para mostrar o que ocorreu até então quanto a esse negócio. Ao analisarmos a sutilezas, percebe-se que o zodíaco tropical pode funcionar bem e sem regras 'largas'.











Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …