Pular para o conteúdo principal

Aspectos da Astrologia Indiana: dois tipos (Parte 2)

Na primeira parte, eu ensinei como perceber os aspectos indianos. Hoje vamos aprender a interpretar os aspectos. Os autores que usam os dois tipos de aspectos simultaneamente são em número pequeno. Eu diria que só conheço Narasimha Rao e Sanjay Rath. Eles deram as caras por aqui nos posts mais recentes. Ambos fazem parte do Sri Jagannath Center, que conta com várias filiais pelo mundo, mas principalmente EUA e Orissa, na Índia.

Sanjay Rath diferencia os aspectos da seguinte forma:

  • Os aspectos por Signo é como a vizinhança do planeta, aquilo com o qual ele tem de se acostumar e conviver.
  • Os aspectos planetários indicam o desejo do planeta.
Eu prefiro explicar os dois tipos de aspecto de outra forma. Pode ser que eu esteja errado, mas em todos os textos dos dois autores que continham as interpretações de cada tipo de aspecto, eles mostraram um entendimento muito similar ao que eu obtive dos dois tipos de aspectos, só que eu acho a explicação deles um pouco confusa.

Aí vai minha interpretação. Vamos supor que marte represente dois eventos diferentes, mas em ambos os casos esteja influenciando por aspecto. Qual dos eventos abaixo seria indicado por aspecto de signo e qual deles seria indicado por aspecto planetário?

1 - O irmão da pessoa tem características marciais: ele tem a cara com expressões rudes, o queixo bruto e nariz levemente aquilino.
2 - O tio da pessoa (que no mapa é representado por marte) brigou com o pai dela pela herança do avô.

Eu vou dar a resposta:

O número 1 pode ser representado por aspecto de signo porque estamos falando de coisas que tem significados de marte e que moldam a forma da pessoa. Essas coisas não são temporárias, elas nunca mudarão - a menos que o irmão dela faça cirurgia plástica!

O número 2 pode ser representado por aspecto planetário de marte porque, sendo o tio representado pelo maléfico, indica que ele tem o desejo de interferir numa questão do mapa que ocorreria sem problemas se não houvesse aspecto.

Chegamos a conclusões interessantes:
  • Os aspectos por signo representam descrições da forma de pessoas, objetos que se queiram ver no mapa do nativo. Se eles representarem situações, elas são crônicas na vida da pessoa. Por serem aspectos que indicam a estrutura das situações, eles não devem ser considerados mais suaves. Existem situações na vida de uma pessoa que não são nada suaves... e, pior ainda: são crônicas!
  • Os aspectos planetários representam coisas motivadas pelo desejo do planeta, pontuais e agudas. O termo desejo pode indicar que o planeta representa uma pessoa e, como qual, interferirá nos assuntos analisados no mapa devido aos desejos da pessoa representada. Quando o planeta representar coisas abstratas ao invés de humanos, nada muda no modo como se deve interpretá-lo: ele continua representando eventos pontuais, que interferem na estrutura do mapa de modo abrupto, etc. Nesse caso, para quem acredita, o desejo do planeta vem da parte do deus que ele representa.
Essas são as diferenças entre os dois aspectos. Eles não são de escolas diferentes, como muita gente acredita. Tanto Parasara quanto Jaimini os ensinam nos seus Sutras.

uma outra coisas que recomendo muito é ser simples na interpretação.

Primeiramente, interprete os significados do planeta que mais tenham relação com o assunto que você queira analisar.
Por exemplo: se você quiser saber da vida familiar e notar que há o envolvimento de saturno, é mais fácil pensar nele como sendo o representante de um irmão mais velho do que pensar em coisas muito mais raras e inespecíficas de saturno, como seu papel em representar servos, pêlos do corpo, etc...

Para você usar o significado mais próximo que o planeta tiver em relação ao assunto, é preciso conhecer as listas intermináveis de significados mais comuns dos planetas. Se eu nã0 soubesse que Saturno pode representar irmãos mais velhos, eu nem teria idéia que poderia usar esse significado. Então, chegamos no ponto do aprendizado em que não há grandes mistérios, mas o mais simples estudo das enormes tabelas de correspondências entre os planetas e os objetos, pessoas, animais, vegetais, profissões deste mundo.


Espero trazer exemplos em posts futuros.





    Comentários

    1. Hari Om
      Rodolfo, parabens pelos posts interessantes de astrologia vedica.
      evencio

      ResponderExcluir

    Postar um comentário

    Postagens mais visitadas deste blog

    Como interpretar uma Revolução Solar?

    No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
    Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

    Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

    Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

    o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

    Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

    Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

    Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

    Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…