Pular para o conteúdo principal

A difícil arte de ser simples

Astrologia é muito difícil porque consiste em reunir diversos fatores e sintetizar uma interpretação. O que em tese é muito fácil é a metodologia de estudo.

Em se tratando de Astrologia tradicional - incluindo a indiana e a clássica do ocidente - a metodologia é até simples. Eu poderia listá-la em dois passos:
  1. Primeiro passo é estudar o mapa natal e ver a promessa de acontecimentos. Por exemplo, se a pessoa casará ou não, quantos filhos terá, qual será a sua profissão, etc. Essa etapa seria o "o quê?"
  2. O segundo passo é situar o que foi conseguido no primeiro passo: é o "quando?"
Perceba que as etapas são simplórias de serem entendidas. Extremamente difícil é o trabalho necessário para concluir as metas de cada uma. Essa dificuldade é muito grande na primeira etapa, e na segunda, é menor, e portanto é mais tentador passar à segunda sem investir na primeira. De fato, a astrologia indiana é tão boa na segunda etapa que eu vejo vários exemplos de previsão sem que ocorra anteriormente uma delineação adequada do mapa natal.

Não pense que essa dificuldade se restringe somente à jyotisha. Em se tratando de interpretação natal com propósitos preditivos, a astrologia do ocidente está anos luz atrasada. Começou-se a esboçar um embrião de interpretação natal preditiva no boom do estudo da Astrologia medieval, com Robert Zoller. Esse meu discurso do post de hoje foi ensinado por ele.

O astrólogo que prevê sem ver o que acontece no mapa natal cai no grande risco de jogar fora tudo seu trabalho realizado na segunda etapa. Por exemplo: se o astrólogo prevê no mapa natal que no ano em questão a pessoa terá um filho, isso pode ser completamente errado se o mapa natal mostrar sinais de esterilidade.

Após alguns anos que terminei o curso de Zoller, vejo que ele sugere algo universal. Em qualquer astrologia preditiva que se queira realizar - do Ocidente ao Oriente - os eventos precisam estar prometidos no mapa natal. Em seguida, há de se prever quando isso vai acontecer. Esse é o mesmo procedimento. Obviamente, o que muda é a maneira de se conseguir em cada astrologia.

Das duas etapas citadas acima, é premente que se desenvolva a primeira. Provavelmente a maioria dos estudantes não sabe ler uma carta natal completa em termos preditivos. Quando alguém vende um "mapa completo", isso significa que a pessoa usa nele todas as técnicas de interpretação natal que ele saiba, mas isto quase sempre está longe de tudo que se possa prever dentro de um mapa.

Talvez os melhores astrólogos saibam, porém, caso isso seja verdade, eles não revelam a metodologia completa - uma coisa triste de se admitir. A astrologia vive num tenso equilíbrio entre o cuidado de não passar esse conhecimento para mãos de insensatos e a necessidade de transmití-lo para que ele não morra.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…