30 de nov de 2010

A difícil arte de ser simples

Astrologia é muito difícil porque consiste em reunir diversos fatores e sintetizar uma interpretação. O que em tese é muito fácil é a metodologia de estudo.

Em se tratando de Astrologia tradicional - incluindo a indiana e a clássica do ocidente - a metodologia é até simples. Eu poderia listá-la em dois passos:
  1. Primeiro passo é estudar o mapa natal e ver a promessa de acontecimentos. Por exemplo, se a pessoa casará ou não, quantos filhos terá, qual será a sua profissão, etc. Essa etapa seria o "o quê?"
  2. O segundo passo é situar o que foi conseguido no primeiro passo: é o "quando?"
Perceba que as etapas são simplórias de serem entendidas. Extremamente difícil é o trabalho necessário para concluir as metas de cada uma. Essa dificuldade é muito grande na primeira etapa, e na segunda, é menor, e portanto é mais tentador passar à segunda sem investir na primeira. De fato, a astrologia indiana é tão boa na segunda etapa que eu vejo vários exemplos de previsão sem que ocorra anteriormente uma delineação adequada do mapa natal.

Não pense que essa dificuldade se restringe somente à jyotisha. Em se tratando de interpretação natal com propósitos preditivos, a astrologia do ocidente está anos luz atrasada. Começou-se a esboçar um embrião de interpretação natal preditiva no boom do estudo da Astrologia medieval, com Robert Zoller. Esse meu discurso do post de hoje foi ensinado por ele.

O astrólogo que prevê sem ver o que acontece no mapa natal cai no grande risco de jogar fora tudo seu trabalho realizado na segunda etapa. Por exemplo: se o astrólogo prevê no mapa natal que no ano em questão a pessoa terá um filho, isso pode ser completamente errado se o mapa natal mostrar sinais de esterilidade.

Após alguns anos que terminei o curso de Zoller, vejo que ele sugere algo universal. Em qualquer astrologia preditiva que se queira realizar - do Ocidente ao Oriente - os eventos precisam estar prometidos no mapa natal. Em seguida, há de se prever quando isso vai acontecer. Esse é o mesmo procedimento. Obviamente, o que muda é a maneira de se conseguir em cada astrologia.

Das duas etapas citadas acima, é premente que se desenvolva a primeira. Provavelmente a maioria dos estudantes não sabe ler uma carta natal completa em termos preditivos. Quando alguém vende um "mapa completo", isso significa que a pessoa usa nele todas as técnicas de interpretação natal que ele saiba, mas isto quase sempre está longe de tudo que se possa prever dentro de um mapa.

Talvez os melhores astrólogos saibam, porém, caso isso seja verdade, eles não revelam a metodologia completa - uma coisa triste de se admitir. A astrologia vive num tenso equilíbrio entre o cuidado de não passar esse conhecimento para mãos de insensatos e a necessidade de transmití-lo para que ele não morra.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato e Créditos

rtveronese@gmail.com Para dúvidas, reclamações, críticas e consultas.