Pular para o conteúdo principal

Leituras obrigatórias da Astrologia Indiana (Védica)

Recentemente tenho me deparado com autores de Jyotisha (Astrologia Védica ou indiana) que foram bastante iluminadores quanto ao modo de se praticar essa arte milenar.

Muitos autores praticantes de Astrologia Védica tendem a simplificá-la para o olhar ocidental sem denominar seus livros como introduções. Talvez nem mesmo eles pratiquem de outra forma, ignorando vários pontos ensinados por Parasara e Jaimini.

A Astrologia Indiana da qual me orgulho de ter conhecido é Parasara e Jamini na íntegra, bem como seus comentaristas mais ilustres, além de Vaharamihira.

Essencialmente, porém, basta ler Parasara e Jaimini. Portanto, primeiramente, leia as melhores traduções dos autores:
Em seguida, você precisa aprender como aplicar Parasara, além de entender que a diferença entre Parasara e Jaimini inexiste:
Dos três livros acima, você pode escolher a ordem de leitura como lhe for mais conveniente. Os dois primeiros são os clássicos - equivalem ao que seria para nós o "Tetrabiblos". O terceiro foi criado por um autor recente e explica tudo aquilo que você encontra neles. Nos três livros, astrologia indiana pura, sem simplificações.

Finalmente, depois de ler os três acima, está na hora de ver mais exemplos de prática. "Vedic Astrology - An integrated approach" tem muitos exemplos, mas são insuficientes comparados à real necessidade do estudante de sedimentar a teoria (sem desmerecer N. Rao, autor dele, que fez um excelente trabalho).
Ele depende dos conceitos ensinados nos três livros anteriores, porque o autor toma como garantido o conhecimento prévio do leitor e não dá muitas explicações. Se ele não fizesse isso, talvez o livro teria o dobro de páginas que tem - e olha que ele já tem seiscentas! O livro acima merece ser lido e relido umas três vezes no mínimo, tamanha a densidade de informação nos exemplos que ele dá. Sanjay Rath é o mesmo que traduziu os Sutras de Jaimini (indicados acima) A maioria dos exemplos são de pessoas comuns, embora haja exemplos de personalidades como Madre Teresa de Calcutá e Nostradamus. E se você duvida do horário de nascimento das "celebridades", fie-se nos mapas dos homens comuns, nascidos em Nova Déli, Orissa, Cuttack...

Se você parar nos três acima, já terá uma base melhor que a de muitos Jyotishas norte americanos. Todavia, algumas coisas não vai entender por faltarem alguns conceitos. A resposta para estas dúvidas (não todas, eu admito) estarão nos livros abaixo:
Esse livro tem a melhor explicação das bases metafísicas da Navamsa que já encontrei - e olha que ele não se restringe somente a ela, mas engloba muitos tipos de mapas divisionais. Todos os autores utilizam a Navamsa sem explicitar as razões para tal prática, o que chega a ser irritante. Aqui você entenderá o porque da importância desse mapa divisional e de muitos outros. Esse livro é bom porque não possui apenas as bases filosófico-religiosas para o uso dos mapas divisionais, mas também é recheado de exemplos com excelente didática.
O livros acima mostram vários tipos de Dashas e as maneiras de empregá-los. Pra quem não sabe, os dashas são as técnicas preditivas mais importantes - o coração da prática preditiva da astrologia indiana. (Os trânsitos são vistos na prática como adjuvantes dos dasas e muitas vezes tendem a ser ignorados nos exemplos que li). Dentre todos os dashas, eu gostaria de enfatizar o Narayana Dasa, que funciona muito similar à nossa profecção, só que em ritmo irregular - o que a torna pessoal e intransferível. Sanjay Rath dedica um livro inteiro só para esse Dasa.

Existem duas maneiras de conseguir os livros acima. A maneira politicamente correta (comprando e esperando três semanas pra chegar pelo USA Priority Mail) e a segunda, bem... No segundo modo, todos os livros estão no cyberespaço. Ponto.

Nos próximos posts, vou falar do que é o melhor programa de Astrologia Védica... Inteiramente de graça: Jagannatha Hora.

Comentários

  1. Eae cara, andei procurando por os livros que tu citou mas não encontrei em nenhum lugar.
    Onde eu consigo eles? c:
    Valeu

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…