Pular para o conteúdo principal

no que penso hoje para a Astrologia

Bem, esse post não tem como objetivo ensinar nada, mas sim mostrar o que está me tomando atenção atualmente no que tange a Astrologia...

Quando um ator ou uma "personalidade" (daquelas que só foram ao Big Brother e mais nada) diz que está "analisando alguns projetos", isso é um eufemismo para dizer que não recebeu proposta nenhuma e está caminhando para ostracismo. No meu caso, digamos que a frase acima seja verdadeira e não represente eufemismo nenhum. Um dos projetos que está na geladeira tem uma esperança de voltar a ser desenvolvido, a criação de um software de Astrologia Clássica. Um amigo meu é programador e demonstra interesse. Não vou dizer que vai dar tudo certo porque as conversas ainda nem começaram. Eu tinha desistido do projeto porque, de todos os meios que tentei, nenhum deles me foi acessível em termos de conhecimento e tempo.

O segundo projeto independe de conhecimentos de informática, estando por isso muito mais acessível para mim. Estou pensando em escrever um livro (que pode ser digital ou não, isso não importa) compilando quatro autores de Astrologia Clássica: Dorotheus, Masha'Allah, Rhetorius e Umar. Esse projeto é ousado no que tange às exigências de tempo para mim, que sou médico, tenho dois empregos e duas pós-graduações. Eu não tenho pressa e o desenvolvo aos poucos, então há uma chance boa dele ser levado a cabo.

O objetivo do livro é juntar esses autores de uma forma sistemática, cruzando referências, comparando as diferenças entre seus textos, ajuntando-os nas semelhanças e criando o que seria um texto não definitivo, mas bem abrangente de Astrologia natal, que considero uma das áreas mais difíceis da Astrologia.

O texto não terá preocupações com a prática, que virá em seguida. Em outras palavras, se os textos originais falarem as coisas mais absurdas, elas serão escritas à risca. A prática é a segunda etapa do estudo, que depende dessa primeira e não pode interferí-la.

Mais uma vez eu afirmo que não tenho compromisso de levar os projetos até o final dentro de um prazo. Até porque a vida tem mostrado que prometer coisas dá azar... Se eu os estou divulgando é que apenas desejo mostrar o que está "na minha cabeça" atualmente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…