Pular para o conteúdo principal

possessões demoníacas ou retardo mental?!

Nos livros de astrologia clássica, as possessões demoníacas, bem como os adivinhos, videntes e magos eram localizados no capítulo sobre a Casa VI, chamada de mala fortuna. A primeira impressão que se tem dessa categorização é a de que tais práticas e faculdades eram reputadas como doença. Poderíamos crer que tais coisas eram atípicas e, pela mesma razão, se atribuíam à Casa VI. O fato é que as configurações astrológicas reputadas como simbolizadoras de doença mental e possessões não eram restritas à Casa VI, mas envolviam os ângulos em configurações nefastas entre os planetas.

Assim diz o Livro de Aristóteles:
Saturno ao leste com a Lua, e Mercúrio em oposição (a ambos), com os benevolentes (vênus e Júpiter) completamente privados de um olhar (sobre o eixo Lua-Saturno-Mercúrio) geram os possuídos por espíritos ou idiotas.
Se você não entendeu o linguajar acima, não se preocupe: o autor simplesmente se refere a Lua e Saturno no Ascendente, em oposição a Mercúrio no Descendente, sem nenhum aspecto de Vênus e Júpiter.

Vamos comentar a passagem. Temos uma mesma configuração para representar duas coisas bem distintas aos nossos olhares contemporâneos. Quem já viu uma possessão demoníaca (ou pelo menos quem acredita que elas existam) sabe que é bem diferente de um idiota, nome hoje considerado pejorativo para quem possui retardo mental severo. Entretanto, a mesma configuração aqui representa os dois eventos. O que isso poderia indicar?

Antes de entrarmos numa profunda reflexão e crermos que a possessão demoníaca nada mais é do que um enfraquecimento da mente como o retardo mental, talvez a razão para uma diferença tão grande resida simplesmente no vocabulário. Entre nós e o tradutor medieval desse texto (o ilustre Hugo de Santalla) há quase 900 anos de diferenças históricas, sociais e médicas. Não se usam os mesmos termos hoje para as mesmas condições, sendo que essas mudanças de nomenclatura refletem mudanças científicas e históricas sobre as concepções de saúde e doença. Em outras palavras: talvez o autor esteja se referindo a duas condições, mas que para nós se resumam na mesma coisa: um severo retardo mental.

Uma das características da "possessão demoníaca" era a grande agressividade do possuído (é só se lembrar do filme "o Exorcista"). Pois uma das características do retardo mental severo são as explosões de raiva e a exacerbação da libido. Certamente um medievo poderia considerar tais eventos uma possessão demoníaca recaindo sobre o seu pobre filho idiota!

Entretanto, só podemos concluir que o termo "possessão demoníaca" se refere a retardo mental severo pelo contexto proporcionado na citação acima, uma vez que tal expressão é cunhada em diversas ocasiões para se referir a fenômenos diversos.

Com tudo isso em mente, podemos concluir que é necessária alguma bagagem para se ler os textos clássicos. Começar por eles pode ser enganador, mas é um mal necessário para quem deseja se embrenhar pela Arte. Uma conseqüência disso pode ser frequentes desentendimentos. Por um erro de interpretação, o leitor desavisado pode concluir que possessão demoníaca era a mesma coisa que mediunidade e desejar encontrar no mapa do Chico Xavier uma oposição Lua+Saturno-Mercúrio... Decerto ele não encontrará, e sem saber comparará Chico Xavier a um retardado mental.

Futuramente, penso em escrever um artigo sobre a concepção dos astrólogos clássicos acerca do contato com os espíritos, o que para alguns é hoje chamado de mediunidade. Talvez como você já suspeitava, isso não é coisa recente na história da humanidade... Será que a Astrologia Clássica dá seu ponto de vista sobre isso? Sim!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …