Pular para o conteúdo principal

Download - A Astrologia de Rhetorius

Estou muito feliz em ter percebido coisas que há muito tempo considerava mistérios. É com esse prazer que eu disponibilizo para download o artigo de 16 páginas chamado "A Astrologia de Rhetorius".

O texto usa a obra do Escritor Egípcio - que viveu no século VI da Era Cristã - para percebermos princípios de interpretação de um mapa, seja ele natal ou mundano. Também traz especulações acerca do papel dos Termos, dignidade planetária de significado confuso, que tende a ser erroneamente interpretada da mesma forma que os Signos.

Baixe já e comente.

Comentários

  1. I understood your point- Saint Google translator :)

    Yes, it is very interesting - I will check in my charts' archive - and I liked very much your article, as usually.

    ResponderExcluir
  2. obrigado pelo texto

    mas voce foi muito malvado com suas ex´s.. afinal saturno está em exaltacao!

    ResponderExcluir
  3. terminei de ler o texto
    acho muito interessante, e uma das melhores coisas que já vi nos ultimos tempos.
    sobre a parte das casas, confirma algo que ja achava faz tempo... a ideia de morinus de que a posicao determina o planeta para a casa, está totalmente errado.
    saturno na casa 7 é como o diretor financeiro ter seu escritorio no mesmo andar que o pessoal de recursos humanos! Mas isso nao faz com que ele vire o diretor de RH
    quanto a parte de termos achei a diferenciacao perfeita. O povo em geral ignora os termos (inclusive moi as vezes) mas é talvez um dos mais importantes "segredos" da astrologia classica

    ResponderExcluir
  4. saturno na casa 7 é como o diretor financeiro ter seu escritorio no mesmo andar que o pessoal de recursos humanos! Mas isso nao faz com que ele vire o diretor de RH

    Não teria comparação melhor... Por isso o conceito de aversão é perigoso porque ele tende a desprezar o planeta que rege o signo. Em verdade, muita coisa precisa ser escrita sobre isso...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…