Pular para o conteúdo principal

A Firdaria e suas surpresas

A Firdaria consiste numa divisão de 75 anos de vida a cada um dos sete Planetas e os nodos lunares. Uma vez completada essa divisão, repete-se o esquema desde o início até a morte da pessoa.

A diferença entre a Firdaria e os outros tipos de divisões dos tempos é que a nela há uma ordem fixa para dois tipos de mapa:

  • Para mapas diurnos (Sol acima do Horizonte), inicia-se a disposição dos anos com o Sol.
  • Para mapas noturnos (Sol abaixo do Horizonte), inicia-se a disposição dos anos com a Lua.

Depois de cada um dos luminares dispor da infância, a disposição planetária se segue nessa ordem:

  • Mapas Diurnos: Sol > Vênus > Mercúrio > Lua > Saturno > Júpiter > Marte > Nodo Norte > Nodo Sul.
  • Mapas Noturnos: Lua > Saturno > Júpiter > Marte > Sol > Vênus > Mercúrio > Nodo Norte > Nodo Sul.

Perceba uma coisa: a ordem dos planetas é fácil de ser entendida: eles aparecem numa ordem decrescente de velocidade e de distância da Terra - o que é tradicionalmente chamado de "ordem Caldaica". Quando a divisão chega no astro mais rápido - a Lua - ela imediatamente segue com o astro visível mais distante da Terra, Saturno.

Há uma outra distribuição além desta, mas eu optei pela Firdaria acima ensinada por Abu Ma'shar. De qualquer forma, aí vai as duas:

  • A Firdaria ensinada por Bonatti tem sempre os períodos do nodos lunares fixados depois de Marte.
  • A Firdaria ensinada por Abu Ma'shar coloca os nodos sempre no final de cada distribuição dos outros planetas. em outras palavras: os nodos só assumem sempre depois que todos os planetas visíveis já foram ativados.
Mais uma coisa: cada grande período de um planeta é dividido em subperíodos, que seriam melhor chamados de participantes. O primeiro participante sempre é o regente principal da Firdaria, e os outros planetas se seguem na ordem caldaica. Por exemplo: o período de Marte inicia-se com o Mesmo Marte sendo ao mesmo tempo Principal e Participante. Quando esse subperíodo se acaba, quem assumirá a Firdaria de Marte é o Sol, imediatamente inferior a ele na tal ordem Caldaica, e assim sucessivamente até Marte acabar com a distribuição. Pra você entender, ficaria mais ou menos assim:
  1. Marte-Marte
  2. Marte-Sol
  3. Marte-Vênus
  4. Marte-Mercúrio
  5. Marte-Lua
  6. Marte-Saturno
  7. Marte-Júpiter
Já deu pra ver que os nodos lunares não entram como participantes... Eles só entram como Regentes Principais.

Com base no que foi exposto, só nos resta entender como a Firdaria funciona, a parte mais difícil do texto.

Como isso tudo funciona? É o que veremos no próximo post.

Comentários

  1. nos 2 ciclos dos nodos, com que planeta começa cada um deles, para quem nasceu de dia e quem nasceu de noite?

    fisico.duck@gmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…