Pular para o conteúdo principal

Sobre objetos perdidos.

Baixe aqui um estudo de 5 páginas que realizei sobre como encontrar objetos perdidos dentro de casa utilizando a Astrologia Horária.

Download "Horária_documentos.pdf"

.

Comentários

  1. Algumas notas sobre o método de Mashalah comparado com o renascentista.

    1 - regente dos papéis pode ser casa 2 ou 4: mercúrio é regente natural de documentos entao é o significador.

    2 - mercúrio está em conjuncao com venus (e quase com saturno): pode estar perto de coisas femininas, como roupas, e mais ou menos perto de alguma coisa velha, negra, relógio.

    3 - num signo de terra, está dentro de algo, ou perto do chao, num local mais escuro.

    4- na casa 4, implica em terra, bases, um porao, fundacoes. No caso especifico imagino que represente o quarto de dormir como "base do lar".

    ResponderExcluir
  2. Vamos lá

    1 - concordo com a Casa 2, mas a 4 ainda não... poderia me dar a fonte de documentos serem representados por essa Casa?

    3 - (fora de ordem mesmo) - de fato, os documentos estavam no chão e dentro da escrivaninha - as duas coisas indicadas por um signo de Terra.

    2 - Ao lado da escrivaninha, há a cama e o armário com roupas femininas. Está certo. Ná época pensei em Vênus como Regente do Ascendente e representando alguma coisa que tinha a ver comigo - no caso, minha mulher - aliás foi ela que achou os documentos. Perceba que na figura não há nenhum retorno de luz indicando isso, só mesmo Vênus a reger o Ascendente.

    4 - Já a interpretação da Casa 4 não tinha muito a ver a não ser em repetir os significados do signo de terra: o chão, coisas escondidas. E Saturno não tem a ver com a questão enquanto significador de relógio e coisas negras, pois não havia nada disso ao redor. Talvez ele entre aí como significador de sombras... O local era pouco iluminado.

    ResponderExcluir
  3. Acho legal conceber os signos como substância, isto é, locais e coisas. Essa concepção é pré-renascentista. A minha crítica não tem a ver com o método que você empregou, ele é claro e interessante. Na verdade, eu critico o sistema duplo de coordenadas super confuso praticado por alguns leitores de Lilly.

    ResponderExcluir
  4. "concordo com a Casa 2, mas a 4 ainda não... poderia me dar a fonte de documentos serem representados por essa Casa?"

    Lilly fala sobre objetos perdidos tanto no capitulo da casa 2 quanto no da casa 4... frawley misturou os dois... o que ele faz é ver os regentes da casa 2 E 4 e procurar se um deles é significador essencial da coisa procurada. Como no caso, regente da 2 era mercurio, significador de papeis, entao ele é o objeto.

    "Na verdade, eu critico o sistema duplo de coordenadas super confuso praticado por alguns leitores de Lilly."
    O sistema de coordenadas de lilly é totalmente inútil, e quem diz que não é por que nunca usou.

    Frawley usa um sistema melhor. Use o significado natural da casa, por exemplo, casa 5 o objeto está com os filhos ou em algum lugar da casa relativo a diversao. Por exemplo, uma vez ele achou um casaco de pele baseado que ele estava na casa 5 (diversao), num signo de fogo (restaurante).

    Ah, por último, eu nao vejo muita utilidade nos sinais de "será que vou recuperar" quando a coisa está dentro de sua própria casa. Também nao vejo muita validade em fazer "timing" nesse tipo de carta... supondo que voce tivesse entendido a carta, voce teria encontrado os documentos em alguns minutos, concorda ?

    ResponderExcluir
  5. não, yuzuru... aí seria a Astrologia mudando o destino que ela mesma traça no mapa. Isso rende uma discussão longa a meu ver.

    Além do mais, sabe o que aconteceu? eu procurei os documentos na mesma maleta E NÃO OS ENCONTREI. A horária foi levantada uma hora depois de eu os ter procurado... é mole?

    Isso acontece muitas vezes comigo, e com pequenos objetos... acho que existe a hora certa das coisas serem encontradas. nada de Jung nesse papo. Mas Mashallah nem se preocupa com essa união entre o regente da 2 e o da 1 na sua técnica.

    ResponderExcluir
  6. Disculpe-me mas o português nao é o meu idioma nativo. Estava lendo o segundo método de localizaçao mas nao compreendo duas coisas:
    Primeiro, acreditava que o Sol a 19:48 estava a 20º grau. Acho que os astrólogos clásicos só utilizavam graus ordinais.
    Segundo, porque nao se soma 240 (20 x 12) com o GRAU do Ascendente 51 (21 + 30) em vez do inicio do signo?
    O resultado é o 21º grau do Capricórnio, um signo de Terra como debemos esperar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …