Pular para o conteúdo principal

um detalhe interessante

"Quando o Sol estiver unido corporalmente a Júpiter, na casa deste, e o Regente da Casa IV os aspectarem afortunadamente, indica boa posição e fortuna dos pais do nativo"
(Albubather. Sobre las Natividades. Vision Libros, 1986 by Edicomunicación, Barcelona.)

Este é um aforismo encontrado no livro de Albubather (também conhecido como Abubequer na literatura latina) que fala da fortuna dos pais. Perceba que ele cita três significadores:
  • Júpiter, significador essencial de riqueza;
  • Sol, significador essencial do pai (em mapas diurnos) e de notoriedade;
  • Regente da Casa IV, significador acidental do pai.

O Sol significa notoriedade mas nesse caso os pais não seriam famosos, e sim ricos. Os princípios desse aforismo são repetidos nas linhas seguintes, colocando Saturno - o significador noturno dos pais - no lugar do Sol.


"Quando Saturno em sua Casa ou Exaltação, proeminente, estiver no Meio do Céu e Júpiter for regente da Casa 4 e o aspectar favoravelmente, o pai do nativo será afortunado e rico." (ibid.)


O aforismo apresenta algumas contrariedades - é difícil Saturno estar no meio do Céu domiciliado e ao mesmo tempo Júpiter reger a Casa IV - e portanto devemos extrair dele somente o essencial. Saturno também significa o pai em natividades noturnas.

Talvez cada um dos aforismos acima representem o pai em natividades de partições diferentes - o primeiro deles para natividades diurnas, o segundo para noturnas. O autor não enfatiza essa distinção mas outros autores fazem questão de diferenciar a representação paterna a depender da hora do dia em que o nativo nasceu.

Resolvi postar os dois aforismos acima porque eles podem conter a resposta a um velho problema enfrentado por mim na interpretação de mapas. Nem sempre vejo Sol e Saturno representarem eficazmente a vida do pai nas natividades que analiso. Essa minha constatação só me leva a crer que as representações de Saturno e do Sol só terão relevância para a vida paterna se houver o reforço de outro planeta que represente os pais - no caso dos dois aforismos acima, o Regente da Casa IV. Esse reforço, segundo Abubequer, seria dado pelo aspecto do regente da Casa IV a um dos significadores citados. Se essa constatação for verdadeira, então temos uma maneira proveitosa de analisar significadores essenciais.

Os significadores essenciais são planetas que representam um assunto independente da Casa que eles regem. Em mapas diurnos, o Sol é significador essencial de pai, mesmo que ele não possua regência sobre a Casa IV. A mesma coisa Saturno em nascimentos noturnos. A grande crítica desses significadores se inicia com Morin de Villefranche, astrólogo francês do século XVI. Na sua opinião, os significadores essenciais não tem serventia porque seu estado cósmico não muda radicalmente para pessoas que nasceram num mesmo dia. Isso contraria toda a concepção de que cada natividade representa um único destino, a ser determinado pelas determinações locais de um planeta - sua posição por Casa e Regências. O que Morin não contrapõe a essa idéia é que um significador essencial tem a sua determinação local alterada ao longo das horas de um mesmo dia. Por exemplo, todas as pessoas que nasceram no dia 27 de março de 1982 possuem o Sol em Áries em oposição a Marte em Libra. O que muda é a posição desses astros ao longo do dia, que os coloca em diferentes casas ao longo das horas, determinando questões diferentes para esse significador essencial de pais que é o Sol. Seguindo a linha de raciocínio de Abubequer, chegaria a hora na qual o aspecto de marte com o Sol representaria com maior relevancia uma questão paterna importante por virtude de marte reger alguma hora a Casa IV - isto é, quando os signos de Áries ou Escorpião tomassem o Fundo do Céu ou fossem o quarto signo a partir do Ascendente.

O ponto de vista de Abubequer deve ser testado não somente com os significadores paternos, mas sim com qualquer outro assunto. Por exemplo: Vênus é significadora essencial de casamento. Em alguns mapas, contudo, percebo que Vênus não tem muita relevância para esse tema. Será que o aspecto de Vênus ao regente da Casa VII não tornaria suas questões mais pertinentes ao matrimônio? São questões que a prática responderá definitivamente.

Comentários

  1. Olá, passeando pela rede encontrei teu site. Parabéns, muito esclarecedor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…