Pular para o conteúdo principal

verdades e mentiras da astrologia tradicional.

Cada subtítulo deste post contém uma frase comumente difundida no meio Astrológico. O texto seguinte a cada uma consiste nos meus comentários

Posição é mais importante que regência?
Talvez essa tenha sido uma das frases mais repetidas do blog até hoje. Ela significa o seguinte: imagine uma Casa Astrológica ocupada por um planeta que não a rege, por exemplo, Vênus em Aquário na Casa 11. Agora imagine o regente dessa mesma Casa em outro signo: o regente de Aquário é Saturno e no exemplo ele se encontra em Libra. Diante da configuração acima, qual planeta é mais importante para ditar os assuntos da Casa 11: o planeta ocupante da 11 ou seu regente? A frase do subtítulo dá a resposta: o planeta posicionado na Casa é mais importante que o planeta regente da mesma.

Nesta altura do campeonato eu já interpretei algumas dezenas de mapas de acordo com a ótica medieval e posso afirmar que a frase acima é desnecessária. Se você quiser saber tudo sobre um assunto do mapa, vai ter de analisar todos os planetas que possuam relação com a Casa em questão. Não seria exagero no exemplo acima, olhar o que Vênus e Saturno representariam para a Casa dos Amigos. Cada um pode trazer informações relevantes, e desconsiderar um em detrimento do outro se trata de uma escolha artificial e improdutiva.

Também é necessário definir o que é "planeta mais importante". Esse é mais um termo relativo. Se analiso a Casa dos Amigos, eu quero saber qual é o planeta mais importante em relação aos Amigos e mais a nenhum assunto. O planeta importante geralmente é associado ao conceito de "Almuten", o planeta que mais dignidades tem em todos os pontos relativos a questão analisada. Se voce não sabe do que estou falando, baixe no post anterior um artigo explicando esse conceito importante.

Ocorre que nem sempre o Almuten está na Casa associada a ele. O meu Almuten dos amigos é Saturno e ele está na Casa 7 do meu mapa, e não na 11. Sendo Saturno o Almuten, ele influencia os assuntos da Casa e dá o veredicto de sua qualidade e quantidade. Essa constatação por si só já mostra que a regra "posição é mais importante que regência" é imperfeita.


Aspectos
Esse segundo subtítulo não será uma desmistificação como no tópico acima, antes uma maneira de se perceber como os aspectos funcionam quando se analisa um assunto.

Em primeiro lugar, um planeta significa coisas acidentalmente (quando ele se relaciona com as Casas Astrológicas e com outros planetas, afetando a todos os nascidos da mesma hora) e essencialmente (o seu relacionamento com o zodíaco, afetando a milhões de pessoas ao mesmo tempo). Em verdade, os aspectos entre os planetas duram dias e fazem parte dos fenômenos que afetam milhões de mapas.

Quando dois planetas se unem por aspecto, o que acontece? Normalmente, quando um planeta mais rápido se aplica a um mais lento, os assuntos representados pelo planeta mais rápido, tanto essencialmente quanto acidentalmente se ligarão aos assuntos representados pelo planeta mais lento, tanto essencialmente quanto acidentalmente.

A segunda pergunta mais comum é: como ligar os dois planetas? Que tipo de ligação é essa? Quando o aspecto é aplicativo, pode representar uma relação de Causa, no qual o planeta lento provoca uma reação no planeta rápido.

Um bom exemplo é a natividade de uma mulher norte americana conhecida por tentar matar suas crianças a fim de convencer o seu ex-amante a voltar para ela. Neste mapa, o regente da Casa V é a Lua, que se aplica a Vênus. O aspecto faz com que Venus assuma os assuntos da Lua, e cause a eles coisas boas ou ruins conforme o estado cósmico venusiano. Venus está em mal estado (combusta e em quadratura com Saturno) na Casa VI. Nesse mapa, Venus rege as Casas IV (família, aquilo pelo qual a pessoa será reconhecida, prisão) e IX (Justiça, lei), porém nenhuma dessas Casas tem uma relação clara com o assunto. Os significados essenciais de Venus, contudo se encaixam muito bem. Segundo os Astrólogos Clássicos, Venus em signo de animais quadrúpedes (Leão, áries, Capricórnio) inclina o nativo a promiscuidade, principalmente se Venus estiver em signo masculino, contrário a sua natureza. Devido a sua vida promíscua, a mulher teve um número considerável de filhos para uma sociedade ocidental industrializada (dizem que foram 4 no total). Devido a sua paixão proibida (venus corrompida por Saturno) ela provocou a morte da uma de suas crianças.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …