Pular para o conteúdo principal

Uma dica para se interpretar revoluções

Muitos autores dão essa dica para se interpretar qualquer mapa ou técnica - de horárias a mapas natais, incluindo profecções - e portanto ela não seria inútil para Revoluções Solares; todavia, como tudo na Revolução depende do mapa natal, a dica que é dada para mapas interpretados isoladamente (como horárias) deve ser adaptada para as Revoluções. Ela nada mais é do que perceber se um planeta aspecta os seus domicílios, sua posição natal ou o Ascendente. Caso contrário, o planeta estará inativo na Revolução.


Vejamos como isso funciona. Na Revolução Solar de 2008, Mercúrio está em Peixes e a Lua em Sagitário. O porquê de ter citado esses dois planetas será dado mais adiante. Vamos seguir o que a dica descreve, porém sempre na perspectiva do mapa natal, ou seja, a Lua em Sagitário da minha Revolução Solar será comparada com o Mapa Natal. A mesma coisa com Mercúrio.


Devemos perceber se a Lua da Revolução aspecta o meu ascendente Natal ou a posição da Lua Natal ou seu domicílio natal, câncer. (Preferencialmente eu priorizo que o Planeta aspecte sua posição natal, embora todas as citadas são importantes para perceber o quanto um planeta está ativado durante o ano da Revolução). Estando ela em Sagitário, a Lua está na minha Casa IX natal, e ali não aspecta os seus domicílios natais, mas apenas o meu Ascendente, mesmo assim por orbe larga. Isso deixa o testemunho da Lua muito fraco esse ano. Ela pode até representar alguma coisa que há de acontecer - principalmente porque ela rege o Ascendente da Revolução Solar - mas será mais fraco que Mercúrio - veremos o porquê no próximo parágrafo.

Agora entenderá por que eu escolhi Mercúrio - para sua força de testemunho contrastar com a fraqueza da lua no mapa da Revolução. Mercúrio está na Casa 8 da Revolução em Peixes. No meu mapa natal, mercúrio também está em Peixes. O fato de um planeta estar no mesmo signo em ambos os mapas dá um forte testemunho de que ele está ativado. Se ele estiver angular no mapa da Revolução Solar, o torna mais importante ainda.

No que tange a interpretação, devemos combinar os significados da posição do mapa natal com a posição da Revolução. Mercúrio no mapa natal indica problemas, limitações, impedimentos, frustrações. Na Revolução, ele se encontra na Casa 8. Isso é uma posição perigosa, pois poderia indicar internações (casa 12) nas quais a pessoa morre (Casa 8), mas perceba o testemunho dos dois benéficos - Venus e Júpiter afastando esse risco. Perceba também que Mercúrio confere sua disposição a Júpiter, que a recebe. Pelo sistema Alcabitius declinação, mercúrio rege a Casa 2 da Revolução, o que nos sugere que o nativo misturará seu dinheiro com o dinheiro da parceira esse ano. Mercúrio enviando sua disposição a Júpiter pode representa que o dinheiro do nativo (mercúrio) derá gasto devido ao Casamento (Júpiter na Casa 8). Combinando tudo isso com o significado da Casa 12 natal, a mulher do nativo pode ter vários empregos para ter esse dinheiro a mais (pois a Casa 12 natal é a 6 da parceira) ou o nativo pode encontrar problemas e limitações ao juntar o seu dinheiro com o da sua mulher.

Perceba que o Casamento traz muitos gastos e excessos pela presença do benéfico em queda na Casa do Matrimonio... Rapadura é doce mas não é mole não...

Conclusões

  • As vezes é importante não se ter aspectos. Essa coisa de criar aspecto para todos os ângulos possíveis (até o ponto absurdo em que Dane Rudhyar diz que "tudo está em aspecto com tudo") suprime as informações úteis. Quando um planeta não está em aspecto, isso também representa alguma coisa. Se fosse astrologia moderna alguns argumentariam que a Lua da Revolução está em aspecto de quincunce com Câncer e Touro. Encontrar um aspecto para tudo estraga algumas boas dicas, portanto use apenas os bons e velhos aspectos ditos "Ptolomaicos" (sextil, Quadratura, Trígono e Oposição) mais a conjunção corpórea, que tecnicamente não é um aspecto.
  • Perceberam que eu nem interpretei a Lua? Ela tem algum testemunho por reger o Ascendente da Revolução, mas não é tão forte assim, logo eu ignorei. Claro que eu não faço isso normalmente... Eu interpreto todos os planetas!

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…