Pular para o conteúdo principal

O significador principal - como escolhe-lo?

Quando se deseja analisar um assunto - casamento, pais, filhos, ou seja mais lá o que for - é necessário relacioná-lo a um planeta do mapa. Esse astro será chamado de significador do assunto. Em Astrologia Medieval, existem duas maneiras mais comuns de se escolher um significador.
  • Por regência
  • Por poder
Os textos medievais tendem a confundir o estudante acerca de qual das duas maneiras é a mais adequada. Em algumas passagens, as instruções são claras, como no estudo do Hyleg e do Alcocoden; no estudo da Casa 2, Bonatti desenvolve um método que inclui o estudo da Parte da Fortuna levando em conta tanto a Regência quanto o poder do ponto. Segundo ele, devemos saber quais planetas regem o grau da Parte da Fortuna (o que constitui numa relação de Regência - o item 1 da lista) e se estes planetas estão em bom estado no mapa (o que se encaixa no segundo item - Poder). SE o planeta fosse aflito, ele era rejeitado. Poderia ocorrer casos nos quais dois regentes da Fortuna estivessem em bom estado mas um deles aflito, o que nos compeliria a escolher o planeta sem aflições.

A despeito do estudo do Hyleg e da Casa 2, há tópicos dos livros cujas instruções são confusas. Muitos capítulos dos livros de natividades deixam o estudante em dúvida sobre qual dos métodos acima é o mais adequado, ou se é necessário um "mix" dos dois, como no estudo da Casa 2. Por exemplo, estudando as doenças que podem acometer o nativo, é necessário analisar os seguintes pontos:
  • Lua;
  • Regente da Lua;
  • Mercúrio;
  • Regente da Casa 6;
  • Cúspide da Casa 6;
  • Planetas na Casa 6;
  • Parte da doença;
  • Regente da Parte da Doença.
A dúvida que Bonatti e outros autores nos impõem é como escolher, diante de todos esses pontos, o significador de doença. Alguns interpretam que devemos escolher o planeta que tenha maior número de dignidades em todos os pontos acima (Método de Regência). Outros sugerem que devemos analisar todos os pontos da lista e ver qual deles é o mais poderoso (Método de Poder): o planeta com maior força será aquele que preferencialmente estiver nos angulos e em dignidade essencial.



Se fossemos escolher no mapa acima qual planeta é o significador de doença, devemos proceder método a método a fim de esclarecer as diferenças. Em primeiro lugar, pelo método de Regencia, o planeta que mais dignidades tem em todos os pontos que possuam relação com doença é Venus.

De acordo, porém, com o método baseado no Poder de um planeta, aquele que possui mais significação de doença é a Lua. Analisando todos os integrantes da lista nos dará certeza disso: mercúrio está em mal estado; Vênus, regente da Lua, está sucedente e por isso menos poderosa que a Lua, a Parte da doença está em Áries, cadente e seu regente está em mal estado e igualmente cadente. Finalmente, o regente da Casa 6 é o já citado mercúrio, o planeta que está na Casa VI é marte (já excluído). De todos os pontos citados, a Lua possui maior força, por estar mais próxima de um angulo e no signo da sua exaltação, o que a qualificaria como significadora de doença.

A importância de um significador reside principalmente nas técnicas preditivas. Sendo (teoricamente) significadora de doenças, a Lua indicaria em técnicas preditivas momentos no qual o nativo sofreria alguma enfermidade. Na Firdaria Mercúrio-Lua meus problemas de ansiedade se tornaram mais graves, implicando em psicoterapia. Dentre todos os significadores de doença, contudo, o mais importante e que causou mais dano foi marte, na Firdaria Mercúrio-Marte, quando me acidentei. Isto porque Marte possuiu grande poder na Revolução Solar de 2007, enquanto é aflito por Saturno. Pelo fato de Marte estar na minha Casa 06 natal, sua presença na 10 o deu grande poder. Soma-se a isso que eu sempre tive doenças tipicamente marcianas, marcadas por febres fortes e que duram pouco tempo.

A importância de marte para doenças só indica que a posição de um planeta é mais importante que sua regência, isto é, se a Casa estiver ocupada. Talvez Marte na Casa VI tenha escolha preferencial sobre os outros planetas, pelo simples fato de Marte estar na Casa do seu Gozo (em inglês, joy).

O Almuten indica algum problema, da natureza fleumática da Lua, o que gerou problemas de natureza psicológica, mas o pior significador de doença foi sem dúvida marte. Ele seria "menos pior", não fosse o enorme poder que adquiriu na Revolução Solar. Infelizmente é impossível analisar somente o mapa natal para se concluir com precisão...

Independente as técnicas preditivas, a Lua teria grande importância se estivesse em mal estado, porém poderosa (nos angulos) e ao mesmo tempo associada ao Ascendente e/ou ao seu regente, o que representaria que o nativo teria muitas enfermidades nessa vida. Como isso não acontece, a minha fratura até hoje foi a única coisa realmente preocupante que sofri.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…