Pular para o conteúdo principal

minha visão da Astrologia

Na comunidade 'Astrologia sem Censura' recentemente surgiram debates a respeito de assuntos éticos referentes a pesquisa e publicação de mapas. Ouvi opiniões de pessoas que estimo pela seriedade e respeito aos participantas da comuna, mas não me abstive de emitir minha opinião escrita.

Todos os meus posicionamentos reforçam a necessidade de preservar o anonimato das pessoas, e tão somente isso. Não creio que seja necessária uma censura maior do que essa, ao contrário da opinião de alguns dos meus debatedores.

Nós tiramos uma fotografia de um instante do céu, que não pertence a ninguém. Acompanhado dessa fotografia, tecemos conclusões e interpretações, baseadas na vida do indivíduo que nasceu no mesmo instante que a foto foi tirada.

Assim como um escritor se baseia em fatos para escrever suas histórias, sem contudo revelar nomes, ou criando estapafúrdios pseudônimos, o trabalho do Astrólogo tem as mesmas características.

Outra coisa interessante que venho notando é uma relutância em prever eventos. A principal pergunta retórica que ouço contras as previsões é:


Para que prever? Vai adiantar alguma coisa?

Eu diria que a frase acima revela uma visão implícita de destino imutável. Se o destino não vai mudar, então eu não quero prevê-lo, pois posso ver alguma coisa que me trará sofrimento.

Não compartilho dessa visão, porém está longe de mim adotar o oposto - uma perspectiva polianesca de que tudo pode mudar e sempre pra melhor. Algumas coisas são muito atávicas em nós, outras podem 'evoluir'.

De fato, muitas previsões não poderão ser mudadas. São previsões que dependem de toda uma estrutura de vida que o nativo viveu até então. Diante dessa perspectiva, a pergunta não quer calar: para quê prever?

A resposta depende de cada praticante da arte. Existem muitos Astrólogos profissionais, que se sentiriam ofendidos com a minha resposta, porém não quero generalizá-la - ela é pessoal e intransferível. Para mim, a Astrologia é um grande hobby, que difere da colagem de aeromodelos porque tem em si um componente sério - o respeito a dignidade humana.

Conclusão: Mesmo que não tenha sentido prever as coisas que não poderão mudar, eu faço isso por puro prazer de contemplar as estrelas.

Comentários

  1. Bonito, falou bonito. Que mais posso dizer?

    Eu desejo sim mudar o que posso mudar. Não jogo fora o "jeito" que me foi passado "no passado", quando fiz meu mapa pela primeira e única vez com uma astróloga moderna, mas também desejo que falem comigo como adulta que sou preparada para o pior e também para o melhor. Pergunte a quem te pergunta isso: "por que que não prever"? Devolva com isso e acaba a discussão. ah, sim, com a sua bela frase das estrelas e sobre a dignidade humana. Fica parecendo que você é o malévolo no meio de tantos "zens" e bruxos capazes de fazer o "bem". Só que no dia-a-dia ninguém está lá ajudando, né? É a gente que se ferra! ;-)

    ResponderExcluir
  2. Rodolfo,

    faz parte do "core" da astrologia, duas nocoes, a de destino e a de mudanca... se nao fosse a nocao de mudanca do destino, nao existiria a astrologia horaria (tomar decisao) ou eletiva (escolher o melhor momento pra fazer as coisas) e a magia (mudar o destino).

    O fato é que essas discussoes tolas aparecem no orkut tao frequentemente:

    1 - como a gi falou "eu sou melhor que voce" a arrogancia da espiritualidade da casa 12.

    2 - luta de poder, como voce ja deveria estar acostumado na comunidade que dirige, há mais cacique do que indio. Toda vez que fulaninho quer lutar pelo poder poe a bandeira da "ética".

    3 - Incompetencia pelo desconhecimento dos proprios instrumentos e fundamentos da astrologia

    ResponderExcluir
  3. Há mais cacique do que índio é ótima. Não pode mesmo. Aí vira zorra. E grupo é sempre pior do que equipe. ;-)) Chamem José de Alencar e a Iracema, o Ubirajara.

    Ou de repente, ao invés de lança é na peixeira mesmo. hehehe

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…