Pular para o conteúdo principal

artigo em PDF - Segunda Edição

baixe no box ao lado o artigo em PDF que estuda a função dos signos na interpretação clássica, ou clique no nome do artigo abaixo.

Exemplos de aplicação dos signos.pdf

Comentários

  1. Rodolfo, outro dia mesmo eu estava pensando em como é meio nebuloso o lance dos signos na astrologia mais clássica...Mas agora lendo o seu artigo acho que vai ajudar...Tb estou lendo o Dorotheus e já vi que ele fala alguma coisa, mas ainda não cheguei lá. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Nalu

    A pressa é inimiga da perfeição... Eu mandei o artigo sem escrever coisas que acho interessantes e fundamentais. Por isso fiz essa segunda edição, espero que você baixe essa, agora sim está completa.

    ResponderExcluir
  3. Dr R,

    Aplicando a questão da regência em outro mapa, no caso, com o ascendente.
    Ascendente em Touro na primeira casa, com a cúspide a 24º11'.
    Regente natural do signo na casa 12, cadente, em touro (domicilio), mas combusta (a 8 graus do sol), e aplicando - o quanto isto debilita, ou não Vênus ?
    Existe algum alívio pelo fato de Vênus ser o regente da casa 12 (não pelo signo, mas pela própria casa 12 em si - conforme o Christian Astrology, do Lilly, ou não tem nada a ver) ?
    http://i3.photobucket.com/albums/y98/livionakano/Astrosfera/JCSN.jpg

    Sendo em Touro, poderíamos procurar pela exaltação - Lua em Capricórnio (queda), se opondo a Saturno em Cancer e Marte em Leão) e cadente, na casa 9 - não parece muito mais promissor, parece até pior.

    ResponderExcluir
  4. Prosseguindo, com os regentes da triplicidade, já assistimos Vênus e Saturno - falta Mercúrio.

    Mercúrio está domiciliado, em Gêmeos (por um triz, a 0º47'), angular na casa 1, mas - está retrógrado!

    No "relato de caso" discriminado neste tópico, Marte também não é relevante, além de aspectar com o regente do ascendente, Jupiter, mas também por ser a exaltação do signo onde ele se encontra (capricornio) - ou não ?

    ResponderExcluir
  5. Esse FS eu estudei as propostas suas de signos inteiros. Isto dá uma mudança grande para um mapa como o que tinha destacado.

    recepção é algo mais complexo do que havia entendido. Acho que vou estudar mais um pouco e trazer as duvidas depois.Se preferir, podemos discutir esse mapa que tinha proposto à parte.


    Percebi que o SF não encontra, discrimina ou destaca nas configurações iniciais de instalação, sobre combustão, que é especialmente relevante neste caso.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…