Pular para o conteúdo principal

similaridades entre o zodíaco sideral e tropical

Já falei muito tempo das diferenças entre os dois zodíacos, porém é a sua similaridade que explica porque muitos achados são parecidos em ambos os mapas.


A astrologia védica trabalha com o zodíaco sideral de Lahiri, oficializado pelo governo da Índia. Não é somente nisso que a difere da astrologia medieval. As regências planetárias são as mesmas, porém o significado das casas varia. Vejam os exemplos:


  • Família: A casa 2 rege a harmonia familiar. A casa 4, ao invés da 10, rege a mãe. A casa 9 rege o pai e em algumas escolas a casa 10.
  • Amigos: o ambiente íntimo que você frequenta é dado pela casa 4, e portanto isso inclui seus amigos.
  • Dinheiro: a casa 2 representa tudo aquilo que tem valor e você retém, dentro e fora do corpo. Por isso que planetas na casa 2 dizem representam que tipo de comida a pessoa prefere. Maléficos aqui dão preferência a comidas amargas e picantes, mas também representam que a pessoa ingere toxinas. É o posicionamento de fumantes e alcóolicos. Cigarro não é comida, mas se põe na boca e seus produtos entram no corpo. É a casa 4 que rege grandes, como casas, apartamentos e carros.
  • Sexo: a casa 12 rege prazeres de cama. A casa 7 classifica a esposa. Sexo não é assunto da casa 5. Esta representa inteligência, filhos e criatividade com pinturas ou escrita, mas outras casas representarão outros dotes artísticos: a casa 3 rege drama e dança; a 2, discurso, oratória, locução, pois é terreno da boca, memória também, pois assimilamos também o conhecimento enquanto alimento. Essas considerações parecem poéticas e sem praticidade, mas funcionam muito bem na interpretação.


Como você leu acima, deve ter concluído que a interpretação das casas é muito diferente da nossa. Pela enorme diversidade de interpretação, fica difícil c0ncluir que as semelhanças entre as duas astrologias (medieval e védica) superem as diferenças. A questão, contudo, não reside aí, mas sim em perceber as semelhanças de interpretação entre a astrologia medieval praticada nos dois zodíacos.


Em primeiro lugar, há um tipo de técnica muito comum na medieval que pode gerar o mesmo resultado em qualquer zodíaco, sideral ou fixo. São técnicas que procuram perceber a posição do planeta in mundo, ou seja, como ele está em relação ao horizonte. Como vocês perceberão no meu mapa, tanto no zodíaco sideral quanto no tropical, saturno está na cúspide da casa 7. Qualquer técnica que dependa da escolha de um planeta angular olhará atentamente para esse Saturno, podendo até escolhê-lo, seja qual for o zodíaco. Quando interpretamos a profissão do nativo, escolhemos o planeta que esteja no primeiro signo, se ele estiver ali, é claro. Em qualquer zodíaco, o nativo com mercúrio na casa 1 terá uma probabilidade muito grande de ter mercúrio como significador de profissão. A diferença é que no zodíaco sideral ele pode estar em gêmeos, enquanto no zodíaco tropical ele pode residir em Câncer.


A segunda técnica comum na astrologia medieval depende dos aspectos. Um bom exemplo é a descrição da esposa do nativo pelos os aspectos que a lua faz. A troca de zodíaco não muda a distância entre os planetas, e os aspectos continuam. (Se você é como eu e não usa aspectos fora do signo, então perceberá que alguns aspectos somem e outros aparecem com a troca de zodíaco, mas isso é assunto para outro tópico).


Como exemplo, veja a minha lua. Ela se encontra em Touro no tropical (a esquerda) e em Áries no zodíaco sideral, mas em ambos faz oposição a Júpiter. isto porque Júpiter acompanha o movimento de precessão feito pela lua. Quando você quiser converter seu mapa tropical em sideral, subtrairá de todos os planetas cerca de 23 graus. Como a subtração é feita para todos os pontos do mapa, a diferença entre eles não mudará. Em ambos os mapas minha mulher tem características jupiterianas.


Em contraste a tudo que foi dito, as técnicas que dependem de regência são as que mais sofrem modificações, algumas até radicais. Tropicalmente, meu ascendente é Áries, então seria regido por marte em libra. Sideralmente, sou um pisciano e meu regente é Júpiter. Precisamos estudar essa região da interpretação e comparar as diferenças entre os dois zodíacos. Aqui que reside o desconhecido, os maiores tabus da astrologia ocidental: explorar pelas regências o zodíaco sideral.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…