Pular para o conteúdo principal

Revolução Solar Sideral

Baseado nos princípios postulados no post anterior, confabulo aqui sobre achados astrológicos obtidos pelo zodíaco sideral. Abaixo eu mostro a minha revolução solar para 2006. Neste ano, quatro coisas importantes me aconteceram:
  • Foi um período intenso para relacionamentos;
  • Comecei a estudar e a dar aulas de astrologia medieval;
  • Comecei a trabalhar em hospitais, daí retirando a minha fonte de renda e me possibilitando relativa independência financeira;
  • Gravei um CD com meus amigos e banda.
O objetivo desse estudo é perceber se a Revolução Solar Sideral consegue mostrar com clareza estes acontecimentos. Três de quatro já pode ser considerado um bom número.


Abaixo, o meu mapa natal:




Neste estudo, vamos proceder da mesma forma que no zodíaco tropical. Iniciarei o estudo do ano com as profecções para em seguida perceber achados na Revolução Solar sideral com precessão equinocial, método utilizado na Índia.


A profecção com 24 anos retorna a casa 1, com peixes ali posicionado. Temos três planetas importantes esse ano: o regente da casa 1, Júpiter, que se encontra na casa oito, indicando angústia mental e tribulações; o almuten da casa 1, Vênus, indicando grupos artísticos e amigos afeminados ou mulheres; finalmente, e segundo Abu Mashar o mais importante, o Sol por ocupar a casa 1, regente da seis, indicando muito trabalho em hospitais. Todos os achados condizem com a experiência do autor.


A Revolução Solar pode ser verificada na figura abaixo, onde temos Touro como ascendente anual, que cai na casa 3 do meu mapa sideral, indicando um período de muitos estudos, pois intensificaram-se os estudos astrológicos e da faculdade de medicina. No ascendente temos marte em Touro, tornando o nativo excessivo em atividade venérea, segundo Bonatti, ainda mais pelo fato do planeta vermelho reger a casa sete.

Para confirmar os achados da profecção, analisamos os planetas citados como regentes do ano: Júpiter está na casa seis, indicando que o nativo sofreria muita angústia devido a uma doença ou condição de trabalho, o que se verificou verdadeiro. O sol está na casa onze, indicando que esse ano as condições de trabalho poderiam se dar entre amigos, o que não é verdadeiro, mesmo que o nativo tenha facilidade em fazer amizades. O fato é que o nativo gravou um CD com seus amigos. Finalmente temos Vênus na casa 9, em capricórnio, indicando amigos ligados ao exterior e à astrologia, que nesse momento foi verdade pelos contatos que realizei para estudar essa ciência. O Sol na casa 11 pode indicar que o nativo começa a ganhar dinheiro da sua carreira ( a casa 11 é a segunda casa a partir da décima, carreira) através do trabalho em hospitais (sol na casa 12 e no primeiro signo do mapa natal e regendo o sexto signo).

Pelo que foi interpretado até agora, concluímos que o zodíaco sideral tem produzidos resultados que não deixam a desejar frente ao zodíaco tropical. Resta-nos saber se outros mapas mostrariam a mesma acurácia, sem o viés de sugestionabilidade do examinador, pois a mesma pessoa que realiza o estudo é a dona do mapa analisado.


Não houve em tempo algum tentativa de se deturpar a interpretação astrólogica para favorecer o zodíaco sideral. Isto é fácil de ser averiguado porque as casas e os planetas receberam as determinações usuais contidas em dezenas de livros astrológicos.Basta o leitor consultá-los e perceber que não houve nenhuma alteração.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …