Pular para o conteúdo principal

Astrologia Médica segundo Ptolomeu

Antes de criticar Ptolomeu, leia o Tetrabiblos e você se surpreenderá. Muita coisa pode ser aplicada. Continuando o artigo anterior, vamos postar aqui como ele nos ensina a delinear as doenças pelo mapa natal.

Para Ptolomeu, doença é representado por maléficos ocupando ou fazendo aspecto difícil com casas 6 e 7. Eu diria que não somente a casa, mas o sexto e sétimo signos a partir do ascendente. Essa afirmativa requer mais estudo.

Cada planeta representa uma parte do corpo específica, assim como os signos das casas mencionadas. Quais são importantes na hora da análise? Ptolomeu não dá dica nenhuma aqui. Temos de aprender na marra a priorizá-los. Ele diz que as partes do corpo atingidas pela lesão podem ser deduzidas:
  • dos signos das casas 6 e 7;
  • dos planetas que afligem essas casas;
  • dos planetas aflitos pelos maléficos acima relacionados, se isso acontecer.
Logo penso nas alternativas que fogem à técnica: e se uma pessoa não tiver quadratura ou oposição de maléficos às casas seis e sete? Significa que ela será saudável e terá poucas doenças? Talvez sim, não posso dizer com certeza. Nesse caso, acho que deveríamos analisar com carinho a casa onde se encontra o maléfico, ver que signos ele aflige por quadratura e oposição, mesmo que estes não sejam o sexto e sétimo signos, enfim, eu só chegaria a alguma conclusão depois de muito testar.

No meu mapa, virgem e libra são o sexto e sétimo signos a partir do meu ascendente, respectivamente. Em libra, eu tenho marte e Saturno, ambos se opõem ao Ascendente. Saturno está exaltado em libra, e dessa forma duvido sobre sua ação maléfica no sétimo signo, ambora marte se aplique a ele por conjunção de orbe larga. Marte, ao contrário, está em detrimento, retrógrado e faz uma oposição ao sol. Então temos quatro elementos: o signo de Libra, Marte, Saturno e o Sol. Marte está oriental, mas está muito próximo do ocidente: está dúbio de ele representa doenças ou lesões.

Vamos listar aqui o que cada signo planeta representa em astrologia médica, segundo o Tetrabiblos:
  • Sol: parte direita do corpo, o olho direito, o coração, cérebro e sinews (não procurei ainda uma tradução inglês-português para isto).
  • Marte: orelha esquerda, rins, veias e genitais;
  • Saturno: Ouvido direito, baço, bexiga, fleuma (uma categorização medieval de fluídos que representa tanto a "água do cérebro" quanto os vasos linfáticos, dentre outros) e os ossos;
  • O signo de Libra: Quadris, rins.
É coisa pra caramba... Muitas partes listadas do meu corpo nunca tiveram doenças, entretanto dêem um grande desconto por estar com 25 anos ainda. Por isso que a melhor coisa é pegar mapas de pessoas bem vividas.

Existe outro planeta no meu mapa que faz aspecto de oposição com a casa VI. É mercúrio. Ele foi deixado por último para reflexão: será que poderíamos contar com ele? Mercúrio está na casa XII, em Peixes. É um benéfico, mas por virtude de estar numa casa maléfica e em detrimento, ele pode ser considerado um maléfico acidental. Ele se opõe a casa seis, Virgem e não faz aspecto com planeta algum. O que deveríamos esperar de mercúrio? Voltemos ao Tetrabiblos:
  • Mercúrio: discurso, pensamento, língua, bile, nádegas;
  • Virgem: Vísceras baixas (intestinos delgado e grosso, apêndice).
Esses símbolos indicam doenças mais adequadas a minha realidade. Tenho uma tendência clara a melancolia. Várias vezes minha analista pensou em me indicar a um psiquiatra, mas venci muitas coisas sozinho. Mercúrio rege o pensamento. Outra parte regida por ele, as nádegas, não possui nada, mas não tenho problemas em afirmar que apresento muito sangramento anal se minha dieta se descuidar. Virgem traz um risco de patologias envolvendo vísceras, mas graças a Deus isso ainda não me ocorreu.

Um insight me ocorreu agora, se poderíamos usar os dispositores dos maléficos para qualificarmos que tipo de lesão as partes do corpo recebem. Mercúrio em Peixes rege as nádegas e o pensamento (duas coisas completamente díspares entre si, convenhamos...), ele é dispositado por Júpiter e assim as lesões nas nádegas (mercúrio) consistem em sangramento (Júpiter) anal (Escorpião). Marte e Saturno estão em libra, e dessa forma dispositados por Vênus, indicando que as lesões marciais e Saturninas são melhor indicadas por problemas venusianos nessas áreas:
  • Vênus: rege o sentido do olfato, o fígado e as carnes (músculos e gordura que modelam o corpo e nos deixam bonitos).
  • Aquário: rege a circulação e os tornozelos.
É, os pontos listados não ajudam muito. Soma-se a isso que Vênus não indica uma coisa que possa ser encontrada dentro das partes do corpo indicadas por eles, mas sim fora! Ela representa o fígado. Será que o nativo terá problemas naquelas partes do corpo devido a problemas hepáticos e musculares? Ainda está cedo para dizer. De fato, quando há uma lesão muscular intensa, a pessoa corre o risco de dano renal, porque as proteínas do músculo são eliminadas via renal, assim como grande parte dos produtos de degradação do organismo. Pode ser uma metástase de um câncer hepático para aquelas regiões também.

Confesso que prever doenças para si é um pouco desagradável... Melhor mesmo é testar essa técnica em outros mapas, de pessoas mais velhas.

Comentários

  1. Rodolfo, você acaba de receber o prêmio "thinking blogger"; está lá no meu blog! ;-)) É uma singela lembrança pela contribuição pensadora do seu blog!

    ResponderExcluir
  2. Rodolfo, "sinews" são os tendões, o que é compreensível para o vínculo com o Sol porque são os pontos "em torno dos quais" o movimento muscular ocorre, ou o ponto estático aonde a força se aplica.

    Mas me surpreendi mesmo foi com a regência do fígado pra Vênus. Não seria Júpiter neste caso? E as nádegas pra Mercúrio parece-me uma analogia levada longe demais (acho até mais parecidas com Vênus -- o ponto aonde nos posicionamos mais "confortavel e estaticamente").

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…