Pular para o conteúdo principal

Aspectos parte 2 - coisas que não se vêem


Vamos explicar uma teoria muito importante com base no desenho do post anterior editado.


Existem signos que não se vêem. Eles são chamados de signos inconjuntos. Para você saber quais são, peque uma posição qualquer do mapa e conte dois, seis, oito e doze signos a partir daquele que você analisa. Se eu quisesse fazer isso com o marte da foto, os signos inconjuntos são aqueles que recebem uma seta negra de marte. Eles são marcados por uma interrogação.


Se analisarmos a figura, pelo fato de marte estar em Áries, à primeira vista ele não consegue enxergar os signos de touro, virgem, escorpião e peixes. Por não conseguir ver esses signos, marte não consegue participar dos seus assuntos. Marte é indiferente aos assuntos relacionados a essas regiões do mapa! É como se elas não existissem para o planeta vermelho!


Isso tem uma importância capital. As pessoas querem transformar essa relação em outra categoria de aspectos, mas eles não podem sê-los pelo fato dos signos em questão não se verem! Você já deve ter ouvido falar do tal quincúncio e semissextil? Pois é... São desses que falo. Ignore-os.


A aversão é uma coisa descoberta recentemente, quando finalmente se entendeu uma fração do que os autores antigos diziam, principalmente os do período grego da astrologia. Agora, não basta sair por aí metidão a besta dizendo que tudo está em aversão! Existem milhares de condições especiais que podem ligar o marte da figura a escorpião, seu signo de regência. A resposta está na própria figura acima. Medite um pouco e diga a resposta, antes de lê-la abaixo.


Como eu sei que você não esperou porra nenhuma, aí vai a resposta. Na figura abaixo, você me entenderá. Marte não aspecta escorpião, mas ele faz aspecto com Saturno. E daí? Simplesmente Saturno está em Leão, signo que aspecta escorpião (lembre-se, o signo inteiro de escorpião faz uma quadratura com o signo inteiro de leão!). Dessa forma, marte vê a escorpião indiretamente, podendo zelar pelos assuntos da casa que ele rege!
Agora que eu expliquei tudo isso, vamos à importância prática. Se um planeta não puder enxergar o seu signo, nem mesmo com a ajudinha acima, o signo não pode contar com ele para resolver seus assuntos! Supondo que eu esteja analisando uma casa cuja cúspide caia em 19 de Áries, e um dos regentes desse ponto estiver em 08 de Touro. Se não tiver a ajudinha acima, esse regente não pode ser contado na análise da casa em questão! Simplesmente, você o esquecerá para essa casa!


Não existe somente a ajudinha acima... Existem muitas outras, mas que somente com o tempo poderei mostrá-las. Os aspectos são o sentido da visão entre os signos, mas existem outras maneiras de um signo "sentir" que diferem do esquema de aspectos acima! Preciso de mais alguns posts para mostrá-las.

Comentários

  1. A Sandra da comunidade no Orkut tinha me falado que era pra eu imprimir no papel um mapa sem os aspectos que é pra ver e analisar melhor e fazer esse esquema que você faz aí, porque naquela confusão de riscos minha cabeça às vezes vai a mil. É preciso separar mesmo. Vou fazer aqui sozinha. Sobre a aversão o Yuzuru falou uma vez no blog dele.Enfim, depois volto. ;-)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …