Pular para o conteúdo principal

Filhos - parte 2

Nalu é uma leitora desse blog e me pediu para mostrar minha posição quanto aos filhos nascidos de cesariana: o mapa deles funciona bem?

Como se trata de uma técnica usada mais frequentemente no século XX (embora existam registros anteriores de sua aplicação), não há posição de nenhum autor tradicional acerca da veracidade de um mapa de uma pessoa nascida via parto cesáreo, contudo não precisamos de uma justificativa teórica se a prática confirma que grande parte dos mapas de pessoas nascidas nessa circunstância respondem bem a interpretação e técnicas preditivas.
Uma vez demonstrada minha posição, vamos em seguida delinear o mapa de um homem que possui mais de quatro filhos.



O ascendente está em signo fértil, peixes. Quando isso acontece, os planetas que prometem filhos representarão um ou mais ao mesmo tempo. De fato, o nativo tem muitos filhos e de dois casamentos diferentes. Vamos analisar a figura e perceber se detectá-los seria possível.

Em primeiro lugar, precisamos catalogar os planetas que prometem crianças no mapa. Qualquer planeta nas casas 1, 4, 5, 7, 10 e 11 serão bem vindos:

Casa 1 – O sol, mesmo com qualidades dúbias para a geração (por ser quente e seco), é catalogado por se encontrar bem próximo a cúspide da casa 1.

Casa 10 – A lua está em Sagitário, signo moderadamente fértil, e minguante. A parte da Fortuna está em Capricórnio, signo tendendo a esterilidade, mas podemos da mesma forma contá-la. O regente da Fortuna é Saturno, que não é contabilizado por estar em signo estéril.

Casa 11 – Vênus está presente em signo moderadamente fértil e tem aqui um papel duplo, pois é um benéfico em casa fértil e ao mesmo tempo rege a parte dos filhos. Quando isso acontece, temos de considerá-la duas vezes. Se ela fosse ao mesmo tempo regente da parte da Fortuna, consideraríamos três vezes.

Conclusão – Vamos contar o número de possibilidades para filhos, que geralmente é maior que o número de planetas. A presença de um benéfico em signos mutáveis fala a favor de dois filhos, e assim temos os seguintes testemunhos:

Vênus – dois filhos.
Lua – Dois filhos.
Fortuna – Um filho.
Total: 5 filhos.

Segundo Bonatti, se há maléficos na casas 1, 10, 7 , 5 ou 11 sem aspecto de benéficos, o nativo não tem filhos, coisa que não acontece aqui.


O uso dos regentes da triplicidade de Júpiter - Essa é uma técnica um pouco dúbia, que permitiria detectar o número de filhos pela análise de júpiter, além de dar um panorama grosseiro do tempo em que eles nascerão. Não tenho bons resultados com ela, mas ainda a aplico para dominá-la. O nativo teve filhos depois dos 25 anos de idade e no seu segundo casamento teve mais dois ou três, quando já tinha mais de cinqüenta anos.


Júpiter está em Aquário, signo moderadamente fértil. Seus regentes da triplicidade de ar são Saturno, Mercúrio e Júpiter, nessa ordem. Saturno representa os primeiros 25 anos de vida (em média), Mercúrio e Júpiter os últimos 2/3, nessa ordem. Se o primeiro regente estiver oriental, o nativo tem filhos no primeiro 1/3 de vida, o mesmo raciocínio com os outros planetas. Assim, se o homem estudado for muito fértil e todos os regentes da triplicidade de júpiter estiverem orientais, ele terá filhos em todas as três principais épocas de sua vida. Se você acha isso absurdo, pergunte se é possível a João Gilberto, gênio da Bossa Nova que anda na casa dos 70 anos e teve recentemente um filho com uma fã...


Antes de analisarmos um a um, é necessário dar um adendo aqui. Essa técnica é difundida em todos os livros medievais e gregos do período clássico tardio, mas é claro que alguns autores divergem levemente na sua aplicação. isso decorre de erros na tradução dos textos, associado à experiência de cada autor.

Somente Saturno seria analisado por Paulus Alexandrinus, autor grego, pois ele é o regente in sect da triplicidade de ar, ou seja, durante o dia é ele que rege essa triplicidade. Como ele está ocidental, não representa filhos no início da vida. Mercúrio e Júpiter parecem reforçar mais o fato do nativo ter muitos filhos e são analisados junto com Bonatti. Eles estão em signos férteis e orientais ao sol, indicando filhos no meio e no fim da vida. Essas definições dependerão da expectativa de vida. Ter filhos na meia idade pode ser aos 32 anos, se o mapa indicar apenas 48 anos de vida (16 + 16 + 16).


Estudo do regente da casa V - Bonatti usa aqui outro sistema de contagem do tempo, baseado na posição do Almuten da V. sua posição próximo ao ASC fala de filhos no início da vida, no meio do céu na metade da vida e na casa VII no fim. Pode-se também avaliar esse mesmo planeta pela sua posição em relação ao Sol. O Almuten da casa V é a Lua, que se encontra na casa 10, três signos afastada do Sol o que indica filhos na meia idade.


Estudo da Parte dos Filhos (pars Filiorum): A parte dos filhos está na casa 7, representando filhos no fim da vida. Não está fora de curso (ou seja, aspecta a um planeta), representando para Bonatti que o primeiro filho não morre. Esse é um exemplo de como as partes árabes são preciosas na confirmação de achados oriundos do estudo da natividade. Se tivéssemos dúvidas de que o nativo teria muitos filhos, a pars filiorum nos dá outra indicação de fertilidade: Júpiter aspecta a parte por um trígono. Um aspecto de benéficos a parte dos filhos por sextil ou trígono indica muitas crianças.


A relação do nativo com suas crianças - O almuten da casa 1 é vênus, está na 11 e se separa de marte, regente da casa 2 e 9. Marte também é um dos regentes ativos da casa 5 e dessa forma o nativo mantém boa relação com as crianças. Essa não é a maneira ideal de ver, mas para sabermos se a pessoa se relaciona bem com os filhos, o Almuten da casa 1 deve manter alguma boa relação com o Almuten da V. Para mim, isso dá margem a várias configurações, o que é bom, uma vez que o amor entre pais e filhos não deveria ser representado apenas por um aspecto específico, já que é uma coisa muito comum. Com esse pensamento, sinais de amor e concórdia seriam não somente aspectos, mas o Almuten da V estar em um dos signos regidos pelo Almuten da I, ou vice-versa.Se o regente da casa V está na 10 ou o aspecta, é um sinal de muitas crianças benevolentes, coisa que acontece aqui.


Análise de Mercúrio e Júpiter - verificamos se esses planetas estão em casas boas da figura, sem impedimentos. Não indicam coisas boas, pois estão cadentes. Mercúrio está em signo muito fértil, mas debilitado. Seus regentes da triplicidade estão em mal estado. Assim, se julgássemos a situação dos filhos somente por essa evidência, não obteríamos sucesso. Para Bonatti, o mal estado desses dois planetas indica que o nativo tem poucos filhos ou o pai presencia a morte deles. Vênus impedida por Saturno e esses dois planetas em mal estado, declaram a esterilidade do indivíduo. Se você crer da mesma forma que James Holden, que posicionamentos contrários não se anulam no mapa natal, então apesar do grande número de filhos, ele poderá ver a morte de alguns.


Narrei aqui a maioria dos procedimentos que Bonatti usava para delinear o número de filhos de uma pessoa. O leitor encontrará vários posicionamentos antagônicos, mas procure não sintetizar tudo que ver, anulando uma posição em detrimento da outra. A idéia que James H. Holden defende é demonstrada pela minha experiência: posicionamentos opostos não se anulam.

Um exemplo que confirma a frase acima é o estudo da qualidade da alma do nativo em questão: ele possui a lua em sextil com júpiter, e dessa forma o grande benéfico representa que o nativo é calmo, popular, generoso e agradável, contudo o sol, indicador de fama, é aflito por um maléfico, representando falta de popularidadee grosseria. Ora, qual dos dois está certo? À medida em que convivo com esse homem na minha faculdade, percebo que os dois posicionamentos funcionam simultaneamente a todo o vapor: ele é um professor universitário conhecido pelo seu carisma e bom humor com os alunos, e ao mesmo tempo tem de ser frio e dar pouca atenção aos seus pacientes, pois o tempo disponível é pequeno face ao grande número diário de atendimentos em seu ambulatório. Por conta disso, ronda em torno dele algumas críticas acerca dos seus métodos: por ser muito bondoso, teve de aprender a dizer não aos pacientes com uma certa grosseria, caso contrário alguns deles tomariam todo o seu tempo, e ele precisa atender no mesmo dia um número imenso de pacientes. Falta de tempo para os outros é tipicamente saturnino.

Resumo da ópera - Se pudéssemos escrever para o nativo tudo que foi dito nos parágrafos anteriores sem astrologuês, ficaria assim:

Você terá muitos filhos, mais de cinco, depois do primeiro terço de vida. Não serão agressivos contigo, todos te amarão e serão benevolentes contigo. O primeiro filho sobreviverá, mas você poderá viver para testemunhar a morte de um ou mais deles [esse último trecho eu tenho lá as minhas dúvidas, de qualquer forma eu não o escreveria pois isso assusta a pessoa sem o seu consentimento.]

Comentários

  1. Rodolfo, muito Obrigada pela resposta, valeu. Já copiei o post e imprimi para ler com calma, pois na primeira lida achei muito interessante, mas tem muita informação pra mim. Gostei de saber que a análise dos filhos tem todas essas nuances, e estou tentando evitar a tentação de analisar meu próprio mapa, já que tenho muita vontade de ter mais filhos e não sei vai acontecer. E também porque o assunto é fascinante. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Assunto interessante, imagino que tenha amigos obstetras.
    Não sei como é aí no RJ, mas aqui em Bauru, tem uma certa concentração de "eletivas", especialmente na manhã e no final do dia, resultando em muitos sóis nas casas XII, XI, VII e VI (Tirando a VII, mais em casas cadentes, observando causalmente pelo serviço daqui).
    Fico pensando nas "consequências" desses partos eletivos.
    Poderia sugerir para seus amigos, para fazer mais perto das casas X , especialmente os meses que o Sol for dispositor, ou seja, Leão... heheh

    ResponderExcluir
  3. Oii adorei o post, mas como poderia analisar isso de acordo com meu mapa? Como ler os aspectos e o q cada planeta mostra pode explicar aq ou fazer um post sobre?

    ResponderExcluir
  4. Tenho asc em peixes e Júpiter estacionário em peixes no final da casa 12, tenho lua em gemeos e Sol Venus e marte em câncer na casa 4 mercúrio em leao na casa 5, tenho casa 7 em virgem casa 10 em sagitário Plutão nela e casa 11 em aquário com Urano e Netuno e parte da fortuna em touro. Pode me ajudar a dizer algo sobre o número de filhos?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…