Pular para o conteúdo principal

Exemplo de delineação da Fortuna


Com base na natividade acima, vamos delinear a parte da Fortuna, que é representada por um "X" circundado por um círculo. Ela se encontra na casa 9, que representa viagens e estudos superiores, dentre outras coisas que não interessam agora, como a doença do pai ou a internação da mãe...

A 19 graus de Capricórnio, os regentes da Fortuna são Saturno, Marte, Vênus e Lua. Vamos delinear todos os regentes, um a um, mas antes ver o que a Fortuna na casa 9 pretende.

Em qualquer mapa, a Fortuna envolve satisfação material, necessidade de ser abençoado na área onde se encontra. O nativo quer receber, mais do que fazer, embora evidentemente ele o faça para receber. É um ponto de satisfação, mais do que de realizações. A Parte do Espírito, ao contrário, é um ponto que indica a área da vida pela qual você quer ser reconhecido, ficar para a posteridade. Vamos diferenciá-las para você nunca mais errar.

Imagine um homem que se candidata a vereador para aumentar a sua renda, enquanto outro buscaria o mesmo objetivo, mas com uma motivação diferente: ser lembrado pelos grandes feitos, por uma boa causa. (Entenda, isso não tem nada a ver com desonestidade. O vereador pode ser honesto, mas ele busca sua "fortuna" na política). Aquele que busca recompensas materiais tem mais a ver com a parte da Fortuna, enquanto o último com o Espírito.

A Fortuna em capricórnio diz que a nativa sente a necessidade (signo feminino) de iniciativas (cardinal) visando segurança material (Terra) no campo dos estudos superiores, ou a fim de conhecer novos horizontes (casa 9). Quando analisarmos os regentes, vamos perceber se eles ajudam ou não essa empreitada.

Marte e Saturno são os planetas que aspectam mais aproximadamente a Fortuna, mas estão cadentes. Marte em Libra está em detrimento, mesmo recebido por Saturno. Saturno está exaltado, mas todo planeta que está conjunto a outro em seu detrimento (marte) está debilitado. Dessa forma, condições árduas de trabalho impedem a nativa de viajar, bem como atividades regidas por marte e Saturno - as casas 12 (hospitais, sofrimento, impedimentos), 7 (parcerias, namoros, adversários), 10 (carreira, honra, autoridade).

A lua também rege o ponto, mas se encontra longe demais da Fortuna. Se ela estivesse próxima, poderíamos dizer que ela prejudica pelas atividades que rege - casamentos, relacionamentos, trabalho árduo.

Vênus em Gêmeos é o último regente. Ela está em aversão, pois Gêmeos não aspecta Capricórnio. O que fazer? Calma. Estamos frente a uma situação de aversão mitigada: pelo programa Solar Fire não dá pra ver, mas Vênus se aplica a Saturno e marte em trígono, dessa forma se comunicando com a Parte da Fortuna! Vênus é o planeta que poderá realizar a motivação da nativa, de viajar e realizar seus objetivos na área acadêmica. Ela está na casa um, porém no segundo signo, assim a iniciativa da nativa (casa 1) em adquirir dinheiro (casa 2) faz com que ela consiga o desejado. Vênus rege as casas 1, 6 e 11 (por exaltação), assim sua iniciativa, seu trabalho e seus amigos terão um papel fundamental nessa realização.

Esta mulher está com 24 anos e no ano passado viajou para a Argentina. Ela juntou dinheiro do estágio que fazia, seus amigos emprestaram dinheiro e roupas de frio. O trígono com marte e Saturno fez com que ela tivesse a ajuda de sua mãe (casa X) e sua tia (casa XII, irmã da mãe), embora isso não seja exclusivo: foi pela iniciativa dela que a viagem aconteceu. Seus parentes não entregaram NADA de bandeja: é por isso que dizemos que marte e saturno não são capazes de realizar per se!

Se não tivesse considerado toda a técnica necessária para analisar o mapa, nunca teria chegado a essa interpretação com a mesma consistência.

Comentários

  1. A aluna aqui não compreendeu algumas coisas:

    - "a Lua também rege o ponto." Que ponto? Não entendi, ela não faz aspecto e nem dispõe a Fortuna. O que entendi errado aí?

    - Vênus em Gêmeos também não aspecta. Você fala em Vênus porque ela é a dispositora de Marte, que aspecta a Fortuna?

    ResponderExcluir
  2. Vênus aspecta a fortuna indiretamente: ela manda um raio pra marte e ele manda pra fortuna.

    O tal "ponto" que a lua aspecta é a parte da fortuna!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …