Pular para o conteúdo principal

Revolução Solar é o cacete.





Robert Zoller diz que a combinação de Firdaria e Profecção é suficiente para prever eventos significativos na vida do nativo. Como as profecções se repetem, a Firdaria tem o papel de filtrar eventos indicados pela primeira. Ou seja, não basta a pessoa ter um ano financeiramente bom indicado pela profecção se a Firdaria indica gastos pela presença de um maléfico na casa 2. É esquisito pensar que fatos com o mesmo padrão se repetem em nossas vidas de 12 em 12 anos. Essa esquisitice é dada apenas pelo uso isolado da profecção. Zoller às vezes radicaliza dizendo que somente a profecção é suficiente para um bom prognóstico do ano. Não sou muito empático com essa idéia.

Seguindo a lógica do parágrafo anterior, o uso da Firdaria combinada às profecções permitiria fazer prognósticos acurados com apenas uma folha, que poderia ser a Figura 1. Como sou preguiçoso e versátil, no momento estou estudando essa combinação, que me permitiria fazer delineações com os meus clientes sem me desgastar com as chatíssimas e complicadas revoluções solares. Eu concordo com Zoller quando ele diz que essa técnica é cercada de polêmica, pois alguns defendem a precessão da Revolução Solar, o que geraria um mapa completamente diferente da Revolução não precedida. Ou seja, ao invés de queimar neurônios testando qual revolução é a mais correta (a precedida ou a não-precedida), prefiro gastar minhas valiosas energias com técnicas menos polêmicas. Al Biruni diz que a profecção certa deve ser feita com meses lunares, mas eu prefiro seguir o mês solar habitual defendido por Bonatti.

Vamos iniciar esse estudo tentando vislumbrar que sinais representariam a minha entrada na faculdade de medicina. Soube que tinha passado por uma secretária da coordenação de assuntos acadêmicos da UFF no início de Janeiro de 2001. Naquela época, ainda estava com 18 anos, e a profecção tinha chegado a casa sete do mapa natal. Esse ano eu me involveria com um namoro (foi o meu primeiro) e com assuntos ligados a carreira, amizades e estudos universitários, pois saturno e júpiter estão nessa casa, trazendo seus assuntos para o ano em questão (saturno rege as casas 10 e 11, júpiter as casas 9 e 12). O regente do ano é Vênus, que se encontra na casa onze do mapa natal e promete uma parceria com uma amiga.

Agora vamos contar as casas em questão. o primeiro mês para o ascendente seria a casa sete, e assim construímos uma tabela:


  1. 27/03 a 27/04 = casa 7

  2. 27/04 a 27/05 = casa 8

  3. 27/05 a 27/06 = casa 9

  4. 27/06 a 27/07 = casa 10

  5. 27/07 a 27/08 = casa 11 - vênus

  6. 27/08 a 27/09 = casa 12 - mercúrio e sol

  7. 27/09 a 27/10 = casa 1 - Lua

  8. 27/10 a 27/11 = casa 2

  9. 27/11 a 27/12 = casa 3

  10. 27/12 a 27/01 = casa 4

  11. 27/01 a 27/02 = casa 5

  12. 27/02 a 27/03 = casa 6

Os meses em negrito correspondem a entrada do ascendente em casas com o regente do ano e com o regente da Firdaria do momento (mercúrio-mercúrio). Em tese, eu soube da notícia de que tinha passado em janeiro de 2001, quando o ascendente estava na casa 4. O que tem a ver a casa 4 com estudos? confesso que não sei.

Talvez a casa nove em profecção pode nos ajudar a saber qual seria o mês certo. Usando a tabela acima como referência, ela se encontrava na doze no momento certo. A casa 12 contém mercúrio, regente de gêmeos, signo para o qual foi a casa nove naquele ano. Trocando em miúdos: a casa nove do ano tinha Gêmeos na cúspide, e o evento se deu em janeiro de 2001, quando por profecção mensal a casa 9 chega ao seu regente anual.

Conclusão: escreverei mais sobre a combinação de técnicas acima, mas no momento basta dizer que nem sempre os eventos prometidos serão dados pela projeção do ascendente. A casa nove era importante na questão. A ênfase nas casas para o ano pode ser dada pelo regente anual do ascendente, ou pelos planetas que se encontram na casa do ascendente projetada. Por exemplo, se a casa um do ano possui os regentes natais das casas nove e dez (como no exemplo), eu procuro a data em que essas casas projetadas chegam aos seus regentes por profecção mensal. Parece complicado, mas outros posts ajudarão a esclarecer.

Comentários

  1. Nao vejo nenhuma polemica, Rodolfo... a "precessao" é uma dessas técnicas estranhas feitas pelos modernos, sem muita base em qualquer coisa fora "eu faco do jeito que quiser".

    Mesmo porque nao faz nenhum sentido usar um zodiaco tropical e depois ficar preocupado pela precessao ! Use um zodiaco sideral de vez, oras !

    ResponderExcluir
  2. na na ni na não... Junctinus cita a precessão no seu tratado, escrito no século dezesseis...

    ResponderExcluir
  3. pra ver como a picaretagem vem de longe ;-)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…