Pular para o conteúdo principal

Resultado do Teste Dimock

O resultado do teste não foi nada bom para mim, rs... Meus parabéns ao Ricardo, que acertou usando progressões secundárias.

Minha aposta foi que a mulher o tinha deixado, mas na verdade ele sofreu uma cirurgia. A profecção tinha chegado a casa sete do mapa natal, portanto pensei que fosse algo do gênero. Isso somado a outros testemunhos.

Faltou olhar as progressões e as direções.

Da próxima vez, eu acerto, rs...


Porque o tio Rodolfo errou?
Com as técnicas que uso, eu poderia ter acertado. Juro que isso não é conversa pra boi dormir. Esse teste mostrou a importância do regente do ascendente da revolução solar. Vejamos o por quê.
Com o ascendente em Peixes, há um retorno, e Júpiter rege o seu ascendente nesse ano. Anos em que o ascendente volta a si podem de fato gerar problemas de saúde (porque a casa um é o corpo físico), se o regente do ascendente nesse ano estiver numa casa determinada a saúde. Ele está sim, e debilitado - Jupiter em Virgo, na casa seis.
Eu poderia ter omitido tudo - Firdaria, profecções, etc- mas focalizaria com exatidão a grande tendência do ano pelo regente do ascendente da Revolução Solar. É claro que o ano do homem não se resume a uma cirurgia, mas o grande problema é que Dimock não relata mais fatos além desse.
Conclusão - Da próxima vez, a melhor coisa é ver o regente do Ascendente da Revolução primeiro. As direções primárias podem também ter algum favorecimento na questão. Isso sem contar as progressões secundárias.

Comentários

  1. Aceita a derrota com honestidade, Rodolfo !
    heheheh, brincadeira, também cai do cavalo :-P

    "A profecção tinha chegado a casa sete do mapa natal, portanto pensei que fosse algo do gênero."

    Já errei mais de uma vez por causa dessa consideracao, dai larguei mao !

    O que estou com raiva é por causa do maldito "mapa diario" foi por causa dele que exclui cirurgia !

    Isso pra me ensinar a nao por muita fé em astrologia moderna !

    ResponderExcluir
  2. eu juro que termino o curso do zoller e faço outro de astrologia védica! todos os indianos acertam essa porcaria!

    ResponderExcluir
  3. Vocês são astrólogos profissionais! Podem errar à vontade. ;-) Quando vi esse post lá no Yuzuru, nem pensei em tentar, nem de brincadeira. Muito chão ainda.. Tenho paciência e um dia faço o tal curso. Olha, só pra dizer a vocês que por experiência própria quando o ascendente "volta a si", rola isso que vocês falaram, complicações de saúde. Nem me lembre.. ;-((

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Sempre tive tara por direções e nunca vi falhar, só quem falhava era eu em intepretar.
    Acho importante saber o limite de cada métodos o mapa diário acho acho importante com muitos outros, mas para detalhar e não como base.
    Profecções e firdarias são novas para mim e tenho usado, às vezes, mostram que a posição é importante, porém é difícil definir o que quer dizer, como entrou em conflito com as direções não considerei.
    Mas é difícil mesmo prever algo se vc não verificar com seus métodos vários de um mesmo tema, no caso das direções eu vi muitas vezes mapas com as mesmas posiçõe e darem os mesmos resultados.
    Todos erramos contudo nós 3, nos expomos, coisa q muitas pessoas de nome não fazem, porque sabem q tmb poderiam ter errado.
    Acertei uma e já errei 5 vezes mais e é assim a vida.
    Parabéns aos q erram, contudo não desistem de se aperfeiçoar.
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. O que o Rodolfo comentou da revolução dava pra dar mais uma viajada.
    Leão domina a 6 doença onde leão domina é importante, a lua se aplica a saturno dono da 12 e domina a 5 que se relacionarmos a leão poderia dizer coração, mas não sei se seria valida a analogia, pq teria a ver asc é cabeça fica com áries etc

    ResponderExcluir
  6. Quando o planeta Inheco-Inheco-Xique-Xique-Balancê estiver na casa 10, bimbinha aparecerá...!

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Rodolfo,
    Por favor, gostaria de entrar em contato via email com você.
    Um abraço,
    Fabiana.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …