Pular para o conteúdo principal

Da retrogradação (em trânsitos)

Os planetas retrógrados em trânsitos podem gerar eventos perceptíveis. o que me deixa dúvidas é prever se estes serão bons ou ruins.

Mercúrio entrou em retrogradação na segunda-feira, aproximadamente. Esse evento pontual sugere outra verdade: para uma corpo parar, ele tem de se desacelerar gradativamente. Essa desaceleração representa um período de atividades mais intensas na casa onde o planeta se encontra.

Para entender essa afirmativa, pense numa viagem de carro pelo interior do Brasil. Imagine que você é localizado num mapa por um sistema de GPS, e alguém fica lhe observando e anotando o tempo que você fica em determinada cidade. Pois bem, esse observador constata que você fica mais tempo em algumas cidades.

Muitas pessoas que olham o mapa pensam que vocês pararam de verdade, que não estão fazendo nada, mas você é humano, tem necessidades fisiológicas, e precisa ocasionalmente parar para se alimentar e dormir. Para fazê-lo, você pára em determinada cidade.

Mas isso não implica que você parou no tempo e no espaço! Dentro da cidade, você está agindo, conforme a sua natureza. Pode passear, conhecer as redondezas. Comprando souvenirs dessa terra, comendo e se hospedando você está investindo nesse município.

Imagine que você "passa batido" no mapa do GPS: por acaso estaria investindo ou melhorando alguma cidade com seu dinheiro? ´Se você passa rápido, não há tempo o suficiente para isso!

A mesma coisa com os planetas. Minha dica é que você anote os eventos ao redor do dia da retrogradação. O dia da mudança de sentido é muito importante, é o período em que o planeta fica com velocidade zero, o que recebe o nome de "estacionário", representado nos programas de astrologia pela letra "S" (do inglês stationary). Resta enfatizar que os efeitos dependerão da natureza do planeta no seu mapa! Imagine o mesmo radar GPS instalado na motocicleta de um bandoleiro assassino!

Esse conhecimento não é muito enfatizado pela astrologia medieval, que não prioriza trânsitos em sua abordagem. A astrologia védica enfatiza uma série de fatores nos trânsitos (chamados de gochara) além dos aspectos e posições por casa, sendo a retrogradação um deles.

Comentários

  1. Como escrevi sobre o mesmo temavao achar que a gente combina antes !

    ResponderExcluir
  2. Nunca reparei o momento q fica retrogrado até ficar estacionário.
    Um coisa é certa eu sempre vejo a posiçao e a data dos planetas estacionário em cima de algo importante no mapa é muito eficaz.

    ResponderExcluir
  3. Caramba 3 mil e 500 pratas?! Se fosse vc tirava isso dai se não podem querer sequestrar seu blog.:-)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …