Pular para o conteúdo principal

A doutrina da recepção.

Este assunto é um tanto polêmico, como é a questão do sistema de casas e o celeuma das orbes dos aspectos.
Me parece que, numa astrologia que diagnostica sucessos, fracassos e mediocridades, a doutrina da recepção seria uma maneira de melhorar o estado cósmico do planeta e mostrar-nos o que realmente acontece conosco. Eu concordo com essa afirmação, mas o grande problema da recepção é aceitar que nem sempre ela funcionará! É aqui que todas as ilusões são dissolvidas pelas regras da arte.
Talvez você tenha começado a estudar astrologia medieval e tenha se espantado com seu saturno na casa sete em leão, pois ele vaticina um casamento que pode não ir até o fim, e isso lhe desesperou, pois sonha em ver sua sua casa cheia de netinhos e sua velha assando bolos de chocolate.
Mas seu saturno em leão conta com um trígono ao Sol no signo de Áries, na casa três. Há esperança! Seu casamento pode ser salvo por coisas de casa três! Quem sabe, seu irmão aconselhará sua parceira a ficar. "Por favor, Claudete, fique. Amâncio o ama, eu conheço meu irmão. Ele nunca amou a ninguém como a você!"
Você passa algumas semanas cantarolando essa verdade pela internet, usa em clientes, tudo é maravilhoso com a recepção. Todos se salvam. A mulher que corria risco de perder o emprego está feliz pela horária que você fez, pela qual jurou de pé juntos que ela manteria o seu sustento graças a maravilhosa recepção entre a lua em leão e o sol em escorpião. A lua, representada pela querente, seria recebida pelo sol! Você dá um tapinha nas costas da cliente e diz: "Quem diria, hein? Por essa você não esperava!"
Semanas passam e você se acalma com essa verdade. Agora domina a leitura dos aspectos! Enfim, a astrologia não lhe parece tão fatalista, já que em inúmeras situações há recepção. Seus clientes podem dormir em paz. E agora que estuda astrologia medieval, descobriu que existe a recepção por triplicidade, termo e até mesmo por face! O mundo pode ficar mais tranquilo, pois há recepção!
Você até se esqueceu de que existe o fracasso, a perda e a não-realização, dimensões mais chatas da vida, mas sempre presentes. Como se todas as pessoas realizassem subitamente suas maiores fantasias. Que estranho, nem sempre foi assim, pois há pouco tempo atrás, quando você lia Liz Greene e Howard Sasportas e temia uma quadratura com Saturno.
Você acaba de encontrar uma racionalização para confortar seus clientes, chamada recepção. Infelizmente, como toda verdade construída para confortar as pessoas, mais do que prepará-las espiritualmente, isso pode acabarde um modo trágico: desilusão.
O telefone toca. Você atende e ouve, aos prantos, sua cliente da astrologia horária, em cuja pergunta constava a recepção entre o sol em escorpião e a lua em leão. Ela perdeu o emprego. Gradativamente, ela e seus clientes que receberam o dom celeste supremo da recepção passam a difamá-lo com seus fracassos - logo a você, que tinha uma recepção entre marte em libra e o sol em áries, lhe ajudando a fama! Mas como isso pode acontecer!?
Abatido, cansado, e deprimido, você pensa em largar a astrologia, mas ainda vê alguma esperança na astrologia védica e na Kaballah. "Quem sabe, as recepções funcionem no zodíaco sideral, você pensa". Mas ainda há esperança.
Um belo dia, você entra num curso de astrologia medieval, dando o último crédito a ela. Chega de estudar astrologia em fragmentos dissonantes via internet! Dessa forma, vem parar nas suas mãos um artigo chamado "a doutrina da recepção". Essas e outras leituras o ajudam a perceber seu erro! "Como fui tolo!" A recepção não funciona nessas condições:
  1. Planetas em detrimento ou queda;
  2. Planetas aflitos (qudratura ou oposição) por marte e saturno (sem recepção entre Marte/Saturno e o planeta, é claro);
  3. Planetas em combustão ou sob os raios do sol (orbe de 12 graus do Sol)
  4. Planetas retrógrados;
  5. Planetas cadentes;
  6. A mais difícil de perceber: aspectos no qual um se coloque na queda ou detrimento do outro.

Vamos ao exemplo da cliente, na qual havia o sol em escorpião em quadratura com a lua em leão. Se o leitor observou cautelosamente a lista acima, notará que esse caso pode ser enquadrado no item 6: O sol se encontra na queda da Lua.

Não existe melhor maneira de estudar astrologia senão personificando os planetas. Se mantermos isso em mente, tudo será mais fácil. O sol está num local onde odeiam a lua. Esta, em escorpião, seria tal qual um dirigente do Vasco da Gama na torcida do Flamengo. Em contraste, a lua em Touro seria Eurico Miranda recebendo honras da torcida pelo título do Campeonato Brasileiro.

Ou seja, se o sol está em escorpião, ele deseja estar entre os Flamenguistas. E isso é motivo de ódio para a Lua! Como pode o Sol não ser Vascaíno! Insatisfeita, ela contribui para destruir os assuntos que o sol representa! Definitivamente, não há recepção!



No mapa acima, percebemos que não há recepção entre marte e saturno. Apesar de não se localizarem em casas cadentes, marte está em detrimento, se juntando o senhor do local onde os habitantes o odeiam! Nessa união com Saturno, ele tentará de todas as formas destruir o que o lento planeta representa. Perceba que a conjunção depende da natureza dos planetas: um planeta quente e seco com outro seco e frio gera uma certa supressão de um pelo outro. Em outras palavras, não falamos de uma união estável: marte sempre pentelhará Saturno, atrapalhando o que este deseja produzir. No caso, Saturno tenta ser responsável com as Finanças (casa 2), mas vem marte (dinheiro feito via parcerias, pequenas viagens e irmãos) e tira um pouco do foco de Saturno. Eu já imagino Paula (a dona do mapa) pensando em juntar um dinheiro para suas férias, mas aí vem seu irmão e pede dinheiro emprestado.

Num próximo artigo, eu comentarei sobre as dignidades planetárias menores e seu uso na recepção. Você verá recepções eficazes onde nunca imaginou!

Comentários

  1. Apesar de você não gostar muito dos seus visitantes e "gurus" e não responder aos comentários, não dá pra dizer que seu senso de humor nos textos faz mal a um mosquitinho. ;-) Texto água com açúcar ia ser horrível, realmente. Ah, só mais uma coisa: se alguém precisa visitar o tal "caminho" pra ser zen ou precisa ler livros do "empresário-mago" então o mundo está perdido. Quando dei o exemplo da astrologia como talvez uma "religião" (sem excluir absolutamente outras), não falei que eu era assim.

    O mal das pessoas é achar que para estudarem religiões é preciso entrar num grupo e cantar o mantra "om". Nem na aula de Yoga dá. ;-)

    Abracinhos

    ResponderExcluir
  2. Estas recepções, e suas condicionantes, dizem respeito a aspectos (onde tais planetas estão interagindo)?

    Não inclui as recepções mútuas, quando um planeta ocupa a queda de outro, que está em sua dignidade, e vice e versa, certo ?

    ResponderExcluir
  3. No mapa do exemplo, ainda, outra possibilidade de Marte atrapalhar as responsáveis finanças de Saturno, é por conta de temas da casa VIII - confere ?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…