Pular para o conteúdo principal

Breve análise de uma casa

Uma casa no mapa possui vários regentes:

1 - Regente do signo da cúspide da casa;
2 - Regente que se exalta no signo da cúspide;
3 - Regentes das triplicidades do elemento da casa;
4 - Regente do termo da cúspide da casa;
5 - Regente da face da cúspide.

Você descobre os regentes lendo as tabelas de graus encontrados no site http://www.astrologiamedieval.com. Vá até a sessão de downloads (arquivos) e baixe as tabelas em pdf.

Há um total de sete pontos para cada casa, mas em alguns deles um planeta sempre se repete. Por exemplo, você pode ter um regente do termo igual ao regente da exaltação. Dessa forma, como isso sempre acontece, temos em média quatro a três planetas regendo um determinado ponto do zodíaco.

O estudante precisa transcender as usuais críticas a astrologia medieval e perceber que esse número de planetas não complica a interpretação. Ao contrário, ela oferece expressões possíveis para cada casa, caso o regente tradicional (do signo) esteja combusto (em conjunção com o sol), recebendo aspecto tenso de Saturno ou marte, e/ou retrógrado, além de estar numa casa cadente ou maléfica (casas 6, 8, 12, e em menor grau as casas 3 e 9): são as aflições , que impedem a realização de um planeta.

A teoria é melhor explicada através de exemplos. Supondo que eu tenha uma casa 2 (posses) em touro. A posição do regente da casa 2 (vênus) vai indicar onde conseguimos renda. Se esse regente está aflito, então temos de ver outro regente. Esse indicará a área da vida que possibilitará o melhopr fluxo de capital.

Uma coisa que devemos perceber é a similaridade entre a vida e a técnica de interpretação do mapa: na vida, olhamos as opções apresentadas e escolhemos uma dentre elas para nós. Algumas opções vem acompanhadas de dificuldades, sendo evitadas. O mesmo raciocínio procede na escolha de um planeta.

Nem sempre a opção escolhida será também fácil, mas ela foi, para nós, a melhor escolha dentre outras mais flitas ainda. Com o mapa natal, é a mesma coisa.

Comentários

  1. Ok, mas e se o regente estiver numa casa maléfica mas bem aspectado c/ um planeta, ou se estiver mal aspectado com um planeta e bem aspectado com outro?

    E se estiver na casa 7, por exemplo, significa apenas que vai viver às custas de outro ou pode obter lucro de algum tipo de trabalho?

    Abraços

    Sharles

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…