Pular para o conteúdo principal

A Sabedoria na interpretação

Quando o estudante inicia a delineação do mapa natal à luz da teoria das determinações de Morin, ele se perde em milhares de combinações possíveis dentro do mapa. De fato, este assunto rende um curso inteiro de astrologia, e, mesmo assim, é necessária a boa foice da experiência para ceifar toda a gama de eventuais combinações inúteis que encontramos no mapa.

Apesar da grande dificuldade inicial em nos orientarmos no mapa, o estudante pode contar com uma lâmpada para lhe guiar: as analogias planetárias. Vejamos o quão simples é esse conceito, e as dúvidas que surgem dele.

Pegue um planeta qualquer do seu mapa, anote os significados mais tradicionais dele e compare o planeta com os significados das casas com as quais ele tem relação de regência e posição. Supondo que marte esteja debilitado na casa oito, regendo as casas cinco e doze, temos as seguintes combinações:

Marte - Guerra, conquista, sangue, morte, ambição.
Casa VIII - Morte, angústia, heranças.
Casa XII - Confinamento, exílios, inimigos secretos.
Casa V - Sexo, prazer, filhos, entretenimento.

Podemos observar que há uma associação entre marte e as casas que ele rege, exceto a casa cinco. O fio condutor é desgraça, se pudermos resumir isso com uma palavra, mesmo que esta deixe os astrólogos new age de cabelos em pé... De fato, a casa V é regida pelo planeta vermelho, mas estamos aqui inclinados a pensar que marte nesse mapa terá um papel muito destrutivo, por quatro razões:

a)Ele é um maléfico essencial;
b)Ele está em queda;
c)Ele está posicionado numa casa maléfica;
d)Ele rege uma casa maléfica.

Somos levados a concluir que marte, por "maioria de votos", possui no mapa em questão um papel nocivo por posição e dominação, e nos indagamos se ele é capaz de cuidar dos assuntos de casa cinco, cuja cúspide recebe o signo de Áries. Os períodos que marte representa podem representar momentos de muita angústia e perdas ao nativo em questão.


Exceções a regra

O segundo exemplo que possuímos pode ser dado pela minha própria carta natal. Nela encontramos mercúrio, regente das casas três (comunicação, parentes e vizinhos) e seis (doença) na casa doze (hospitais, confinamento). Temos então os seguintes significados alinhados:

Essencial de Mercúrio: comunicação, intelecto, escribas.
Casa III: Comunicação, irmãos, parentes em geral, carro.
Casa VI: doença, empregados, servidão.
Casa XII: Confinamento, hospitais.

Essa é uma configuração mais complexa que a anterior, e é preciso bom senso para julgá-a. Ela pode se manifestar simultaneamente de diversas formas, que podemos expor pela experiência do nativo. Antes, contudo, vamos levantar de qual forma esse mercúrio pode se manifestar:

a)mercúrio está em detrimento.
b)Seu dispositor é Júpiter, e se encontra angular na casa sete.
c)Está conjunto a parte do espírito;
d)Ele se encontra uma casa maligna;
e)Rege uma casa maligna;
f)Rege uma casa "neutra", que representa irmãos e parentes, além da comunicação.

Como mercúrio está em detrimento, não podemos esperar coisas boas de sua posição. Isso faz com que a interpretação seja norteada para significados no mínimo complicados. Como ele não se encontra aflito por um maléfico, isso torna as coisas menos piores: não diríamos que seja algo fatal. Entretando, mercúrio fala aqui mais a favor de doença. O leitor deve se fiar na frase anterior para entender o próximo parágrafo.

Revelando como a configuração se manifestou, o nativo do mapa teve, no período de mercúrio, a sua entrada na faculdade de medicina. Estudou, comunicou e aprendeu em diversas instituições de confinamento, como manicômios, hospitais e laboratórios; teve a morte de dois vizinhos muito chegados, dois tios e um primo; passa a vida num isolamento constante devido a sua profunda introspecção. Todavia, nesse período, a sua comunicação "isolada" pela internet lhe rendeu muitas amizades e parcerias generosas, um namoro que o deixou muito feliz, e uma grande pesquisa do "oculto", representada pela busca astrológica e a psicanálise. Ele encontrou no ensino e aprendizado da astrologia um grande prazer.

Todos os posicionamentos de mercúrio se manifestaram, os bons e os ruins. Dessa forma, é preciso aprender a julgar uma carta com essa inteireza no olhar. Soma-se a isso que os posicionamentos difíceis subjulgaram os posicionamentos bons e neutros, e isso se deve em muito ao predomínio de casas maléficas sobre benéficas. Por exemplo, os parentes sofreram doença e hospitalização (casas 6 e 12).

Posicionamentos ambíguos não se anulam, mas acontecem simultaneamente. Essa é a grande lição da mãe experiência.

Comentários

  1. Oi Rodolfo

    como não estou mais no orkut, quis vir lhe dar um abraço aqui no seu blog. Muuuuito legal, me orgulho de ver um trabalho assim, bonito e sério.

    abraço amigo
    Greg

    ResponderExcluir
  2. Oi Rodolfo, esses dias temos tido pouco contato, mas sempre dou um pulo aqui pra ver se tem algo novo.
    Bjs
    Ana Bednarski

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…