Pular para o conteúdo principal

As dignidades essenciais (por Morin de Villefranche)

Para se clarear o tema das dignidades essenciais, resta-nos valer da citação do excelente Livro XVIII da Astrologia Gallica, trabalho do grande astrólogo francês Morin de Villefranche (vide foto).

(...)Por outro lado, um planeta en seu domicílio atuará com força e continuidade, ao menos nos assuntos permanentes do tema natal, como são: o caráter, a inteligência, temperatura, etc(...)

ou seja, Morin atesta aqui que um planeta em seu domicílio representa coisas duradouras.

(...)Segundo, na medida em que está em sua exaltação, pode então atuar de forma mais intensa e eficaz sobre o mundo inferior que se estivesse em seu próprio domicilio, a causa da posição que ocupa no zodiaco, a mais proporcionada a sua virtude e de onde a dita virtude mais força cobra. E pode produzir grandes e repentinos efeitos -umas veces bons; outros, maus- segundo sua própria natureza e estado e os de seu dispositor, e segundo sua posição na figura(...)

Quando Morin fala de um planeta em exaltação, ele ressalta o caráter repentino da ação do planeta, mas o que é digno de nota é que um planeta em exaltação pode ter também, segundo o texto, efeitos maus repentinos, contrariando a posição em domicílio, que converte os planetas maléficos em benéficos. Schoener também fala a respeito da crueldade representada marte em capricórnio em determinados mapas, e fica algo a se pensar: será que o fato do planeta em exaltação não salva o indivíduo também de ter problemas decorrentes da natureza do planeta?

(...)Assim pois, Cardano disse (com mais propiedade) em otro local que um planeta que está em seu trono ou en seu Domicilio e é regente do Ascendente ou da carta natal, confere ao nativo uma grande autoridade, uma vida feliz e tranquila, tanto entre os seus como os de fora, e há de alcançar o bem com facilidade. Mas em sua exaltação, outorga, de repente, honras de un tipo maior e potestades, mas com dificuldades medianas e sujetas a frequentes mudanças. E, em suma, pressagia um status egrégio e ilustre, mas na maior parte das vezes turbulento, sobre todo se (um complemento meu) reciben maus aspectos de Saturno ou Marte. Por fim, um planeta em sua triplicidade tão somente faz que o nativo seja afortunado por seus conselhos, preces, advertências e negociações com os demais, e que seja escutado por eles(...)

As dignidades essenciais podem nos trazer importantes insights na interpretação do tema natal. Tomemos um exemplo: se um planeta está na segunda casa, em sua triplicidade, traz lucros pela natureza do planeta em questão, mas a produção planetária contará com a ajuda de parceiros e amigos em negociações, nas quais ele será escutado, segundo Cardan e Morin. Conheço uma pessoa de júpiter em aquário na casa 2 que ganhou, durante um certo tempo, somas consideráveis com um sistema de vendas de produtos importados (júpiter) que dependia de uma rede de pessoas para a manutenção do negócio (triplicidade de ar). O negócio durou alguns anos, e me pergunto se o fato de não se manter pode ser representado pela dignidade de júpiter não ser tão forte assim quanto o domicílio, que representaria efeitos mais duradouros.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …