Pular para o conteúdo principal

off topic - midpoints

O blog é de astrologia tradicional, mas o autor não se furta em omitir técnicas modernas que funcionam de alguma forma, mesmo não sendo antigas.

Há quem diga (se não me engano, foi Robert Hand) que os midpoints já eram usados na renascença, mas como eu não disponho dos autores que os citaram, prefiro concluir que se trata de uma técnica recente, do século XX.

Para quem não sabe, a metade da distância entre dois planetas é um ponto sensível e que abriga o significado de ambos. Os autores enfatizam que, se houver aspecto entre os dois planetas, a manifestação do midpoint é mais nítida. Eu discordo dessa afirmativa, pois no caso que relatarei a lua não faz aspecto com vênus.

No mapa natal de exemplo, em meados de julho, o aspecto de sesquiquadratura, entre Saturno transitante e o meioponto lua-vênus natal, atingiu sua exatidão.

O entendimento do midpoint é facílimo: basta unir os significados dos dois planetas, num todo coerente. Assim, se a lua representa as necessidades emocionais, e vênus a vida afetiva, a união desses dois pontos representa a necessidade de afeto dentro de uma relação de conteúdo sexual e afetivo.

Saturno, o astro que muitas vezes traz castração, no caso privou o indivíduo de qualquer contato de natureza emocional com sua parceira no momento. Segundo seus relatos, parecia que estava a falar com uma "parede de chumbo". Ou seja, as necessidades emocionais claramente não são supridas, e as reações dependerão não do midpoint per se, mas de outros fatores do indivíduo. No caso referido, isso causou por um curto período de tempo muita revolta, pois todos os contatos feitos por ele, nas tentativas frustradas de reconciliação, eram respondidos com "monossílabos" pela sua "ex".

Saturno, aparentemente, sempre castra em decorrência de uma exigência "real", mas, nas palavras de Robert Hand, também ele em si pode ser a "ilusão do real", se o indivíduo quer se iludir, achando que a sua ex tinha muitas coisas para fazer, e por isso quis "dar um tempo". Nem o autor, tampouco o nativo, sabem quais seriam as razões para esse comportamento, todavia Saturno representou essa privação de carinho, e isso que importa ao indivíduo. No momento o autor prefere concluir que saturno representa uma sensação de peso, mais do que uma decisão séria a ser tomada em alguma área da vida. Saturno sempre será melancólico, ou no mínimo sério e discreto, na astrologia medieval tal comportamento era claramente atribuído ao astro. Existem muitas decisões sérias que passam pelo crivo do planeta de chumbo, decisões que podem nos deixar felizes, e todos os planetas na astrologia medieval podem ser benéficos, a depender de sua configuração, contudo, para chegarmos a esses frutos, às vezes é necessário muito esforço, o "peso" saturnino na rotina e nas decisões, como, por exemplo, as decisões sobre a vida afetiva.

No caso, ao investigar mais sobre a vida do nativo, ele observara que semanas antes do fim, este já sentia uma grande falta de retorno às suas demandas emocionais. No instante da decisão, a iniciativa foi dele, já que "não suportava mais a indiferença" dela.

O meio ponto lua/vênus não foi o único a ser atingido por Saturno no mês de julho. Observe a área circundada por uma linha preta. Temos em seqüência uma série de midpoints que representam relacionamentos íntimos, como o nodo norte, asc, mc e o mais importante, o meio ponto sol/lua, este indispensável a meu ver, mesmo se o astrólogo não for adepto da escola cosmobiológica. Um midpoint isolado pode receber um trânsito e representar alterações na área da vida que ele rege, porém, normalmente, as eventos mais importantes são representados por configurações como a da foto. O nativo refere, no mesmo período, que a sua vida social foi restrita também entre amigos. Quais as razões para isso? Escolha a sua. Podemos culpar as demandas da existência, a falta de tempo, mas no exemplo o nativo dispunha de tempo para se encontrar com quem quisesse. Então atribuímos isso a um desejo inconsciente do nativo, algo que ele insiste incoscientemente em repetir na sua vida.

Se quisermos traçar um prognóstico, temos ótimas razões para crer que tudo ficará bem, esteja com quem ele estiver. Note a área circundada por uma oval vermelha: em agosto de 2006, o nativo receberá um trânsito de júpiter, pelos mesmos pontos onde Saturno passara relegando a ele um estado de "penúria afetiva". Júpiter, provavelmente, representará felicidade e satisfação. Duvidamos se o mesmo quadro se repetirá em dezembro de 2006 (área vermelha da extrema direita), já que vemos Plutão se aproximando cada vez mais do meio ponto lua/vênus. Certos trânsitos de júpiter passam completamente despercebidos na vigência de um trântito de plutão, combinados a trânsitos de saturno em outras áreas do mapa. Como mostrei apenas um fragmento, fica difícil avaliar. É preciso ver o mapa como um todo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

o melhor livro de astrologia dos últimos tempos.

Você, leitor que começa a se interessar em astrologia, está diante de uma chance única de começar a aprender a arte da melhor forma possível. Nesse artigo, eu apresento um link com o download para o melhor livro de astrologia medieval com o qual eu me deparei nos últimos tempos.

Acho que não estou exagerando. Invejo quem começaria a estudar astrologia pelo que vou apresentar nesse artigo. Se em 2003, ano em que comecei a me interessar por astrologia, alguém me oferecesse esse livro, teria poupado minhas retinas de uma colossal quantidade de lixo.

Talvez, por ainda não ter visto tanto lixo, eu não saberia valorizar o momento em que me deparo com uma obra como essa. Valorizando ou não, se tivesse essa obra nas minhas mãos inexperientes em 2003, teria começado a estudar astrologia em alicerces sólidos o bastante para que deles eu não saísse nunca mais.

Livros bons, trabalho árduo (para obtê-los)  A astrologia praticada de forma mais aprofundada é um saber não tão popular quanto se pen…