Pular para o conteúdo principal

Achando o Hileg e o Alcohoden - mapa 1 - Maria

O objetivo dessa série de posts é pesquisar o tempo de vida nos mapas estudados. Hoje vamos eleger o planeta que representa os anos de vida no mapa de Maria (nome fictício).

Como o mapa é diurno, pesquisamos primeiramente o Sol: está na casa nove, em signo feminino, e portanto é descartado (o sol na nove deve estar em signo masculino).

Em segundo lugar, pesquisamos a lua. Ela se encontra quase na segunda casa. Opto por ela pois as únicas restrições a sua escolha são a posição em setores cadentes (lua nas casas 3, 6, 9 e 12) e em signos masculinos. Como ela está em signo feminino e é angular, quase sucedente, a lua é o Hileg.

Agora precisamos ver se a Lua é aspectada (qualquer aspecto) pelos regentes de Virgem. Costumo usar os regentes mais importantes, (domicílio, exaltação e triplicidade) e se estes não a aspectam, recorro ao regente do termo no qual a lua se encontra, apenas por uma questão de praticidade.

O signo de Virgem possui os seguintes regentes:

Domicílio: Mercúrio
Exaltação: Mercúrio
Triplicidade (segundo Dorotheu): Vênus (dia), Lua (noite), e Marte (participante)

Ao analisarmos a figura, percebe-se que Marte quase aspecta a lua (por dois graus), porém quando isso acontece nós podemos usar o planeta como Alcohoden. Marte foi escolhido.

Como Marte está numa casa sucedente, damos ao indivíduo seus anos médios, 40 anos e seis meses. Júpiter está em oposição a marte, então um benéfico em aspecto difícil não adiciona nem retira anos. Interessante notar que marte está sendo recebido por júpiter. Será que isso adicionaria anos a marte? Como disse anteriormente, isso é uma pesquisa, então apenas com a confirmação da fonte de dados é que ousaremos deduzir qualquer achado.

conclusão: 40 anos e 6 meses

Se a pessoa nasceu em maio de 1945, a data aproximada do óbito é novembro de 1985.

Comentários

  1. Ficou faltando colocar a data em que a mulher realmente morreu, Rodolfo

    ResponderExcluir
  2. Oi! Rodolfo,
    Como forneci os dados, acho importante que vc informe que a pessoa cuja cartal natal foi analisada, faleceu em 2003 e não em 1985. E que vimos a possibilidade (especulativa) de somar os anos atribuidos a jupiter. Acho importante, pois isto mostra:
    1- que muito ainda há de se estudar sobre o assunto;
    2- que em uma pesquisa, os "erros" também orientam e reorientam a análise.
    Abraço
    Tetê

    ResponderExcluir
  3. Constatando após o fato: a lua seria o Hyleg, pois ela rege o sol por exaltação. O sol aqui está pelo sistema de signos inteiros na casa dez a partir do ascendente. Na época, fui impreciso devido a falta de material sobre o tema, e considerei apenas a posição quadrante tradicional do sol.

    A lua em casa sucedente dá 66 anos e seis meses, mas o aspecto com marte em peixes muito dignificado (triplicidade, termo e face) lhe retira um terço dos anos menores de marte, chegando a data aproximada de 61 anos e 5 meses. A grande questão seria perceber que o aspecto com marte é efetivo para retirar anos mesmo fora de orbe. À medida em que pratico, percebo que aspectos aplicativos fora de orbe são importantes.

    Maria faleceu em 2003, com 58 anos. Confirmar essa data depende da direção do Hyleg aos raios dos maleéficos. Uma direção interessante seria a da lua em oposição a marte, mas 12 graus de longitude nunca se igualariam a 58 de ascensão reta. Outra tentativa é considerar a direção do Ascendente a Marte em peixes. Por longitude isso dá cerca de 42 graus, e por ascensão oblíqua pode dar mais, o que representa uma oportunidade de se retificar o mapa de Maria: masta haver uma distância de 58 graus de ascensão oblíqua entre marte e o ascendente.

    Vou testar essa idéia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …