Pular para o conteúdo principal

Netuno

O planeta Netuno representa uma energia que é muito incompreendida pelos iniciantes do estudo da astrologia.
Incompreendida e, com isso, mal interpretada. Sempre dão a Netuno uma conotação de esoterismo, misticismo, religiosidade... Mas uma pessoa pode ser atéia e mostrar configurações poderosas de Netuno. O que isso representaria na vida desta pessoa?
Netuno não representa um grupamento de experiências místicas, ou de concepções religiosas alternativas, mas sim como observamos qualquer fenômeno, como encaramos uma determinada realidade. Ele representa olhar além, além de todas as coisas perceptíveis: não crer nos limites estabelecidos.
Como muitas correntes místicas apresentam concepções muito netunianas, pessoas com essa energia que não possuem uma forte criação cética se sentem atraídas a esse tipo de religare.
Se pudesse descrever netuno atualmente, nos meus dois anos de aprendizado, diria que é uma força que nos incita a agir através de determinada crença, ação, instituição, sem que contudo nos limitemos por ela.
Enfim, diria que a minha conclusão atual é que Netuno é não levar nada a sério, pois tudo passará. O mais importante de tudo, é o amor universal.
Por essas razões, quem possui esta energia muito forte dentro de si não consegue levar as coisas muito a sério, mas nutre muita compreensão pelo outro. Indolência de um lado, compreensão do outro. Ele não está muito preocupado com formalidades, restrições legais, credo, raça, religião. Ele só quer ajudar e amar ao próximo.
Algumas pessoas dizem que este planeta estaria relacionado com os movimentos populares inconscientes, as ondas e as febres, os modismos, pois Netuno dissolve o ego e faz o indivíduo sentir-se parte de algo maior. Essa é a definição mais pregada de Netuno, e o leitor deve ter bom juízo para perceber quando Netuno é místico, quando é modismo, quando é apenas filosófico.
Por que depois de tudo que disse sobre ele, sem dúvida ele, junto a Júpiter, é muito filosófico...
Netuno na casa nove em quadratura com mercúrio na casa 12 diz que o aprendizado que coletamos em instituições sociais é desafiado a elevar a sua compreensão a um nível transcendente. Também indica uma grande tendência a perder o foco da consciência, a atenção. Eu possuo esse aspecto na minha carta natal.
Planetas yin ganham mais sensibilidade; planetas yang ganham mais compreensão e agem por algo maior que o self; podem representar também problemas em se afirmar. Mercúrio recebe uma capacidade de compreensão fora do normal, mas também muita distração, pois a mente pode perder seus limites. Ainda não possuo dados para relacionar Netuno a problemas psiquiátricos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …