Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2005

A casa vazia

Ao ver meus amigos veteranos pululando conhecimento médico, sinto-me tão atrasado que começo a pensar porque há tanta exigência se não há esforço da minha parte. Estou a par de muitas questões acerca do ensino médico; seus paradoxos, suas deficiências, seu limite. Talvez me certifique de tudo isso pelo simples fato de ser um aluno medíocre, e queira me armar contra um superego gigantesco. A promessa de ser um médico mais humano não deve se contrapor ao fato de se saber muito. O saber não transforma ninguém num robô, mas o modo como apreendê-lo sim. Nesse último episódio de Star Wars, George Lucas retratou os médicos que realizaram o parto de Padme como robôs. Eles captaram o que ela queria: "ela não quer mais viver", foi o que um deles disse a Obi wan Kenobi. Foi o primeiro robô médico, caridoso e preocupado com a essência de um ser humano que eu já vi no cinema (o menino de AI não era médico!). Fora da sala de partos, fora do centro hospitalar, talvez eles fossem desligados, …

as preferências musicais de plantaleão

Adoro rock progressivo e psicodélico.

Importante diferenciá-los, porque o psicodélico antecede o progressivo, pra quem não sabe. (Vou fingir que ninguém sabe de nada, e assim darei meu ponto de vista...)

Tecnicamente falando, o progressivo possui músicas de longa duração (mais de dez minutos), com submúsicas incluídas dentro dessa música enorme, tal qual os andamentos de uma sinfonia. As "submúsicas" geralmente tem pouca relação. Aí que está: poderiam ser encaradas separadamente, se não fossem tocadas em conjunto. Essa é a impressão que tenho. Ainda assim, nota-se um senso de conjunto. Esses andamentos do rock, ao invés de se chamarem allegro e andantino, recebem nomes estranhos, como funky dung (esterco funk) e mother fore (focinho da mãe), a depender da imaginação da banda.

O psicodélico envolve sons variados, bizarros, combinações contrastantes obtidas de instrumentos como apitos e chocalhos (Bike), bem como o arranjo desorganizado das composições; os tons reunidos sem rel…

Reverendo RR Soares, professor de ortopedia e pastor nas horas vagas

O professor que está me dando aula é a cara do reverendo RR Soares, não só a cara mas como também o jeito de falar.

Pena eu não dispor da foto dele para vocês conferirem. Também não encontrei uma maneira de mandar a foto do RR Soares: deu problema no picasa.

O que mais me irritava nele é o modo como conseguia passar de um assunto ao outro sem que percebamos. Que ódio!

Aos professores que conheçam o blog: tenham sensibilidade! Tenho às vezes a nítida impressão de que muitos de vocês dão aula pras paredes!

Os aspectos

Aspectos são relações angulares entre os planetas. Como você pode ver pelo mapa do site, o zodíaco é uma cincunferência na qual se inserem os planetas e o sol. Quando determinado planeta se encontrar distante de outro um número característico de graus, ele chegará ao aspecto considerado. Por exemplo, no trígono os planetas se distanciam 120 graus um do outro. Até aí se acabam as concordâncias entre os astrólogos. E começam as milhares de descrições que pululam nos livros de astrologia. No que tange à significação de cada aspecto, e baseados em que tipo de processo eles se inserem, há muitas divergências e contradições . A grande questão é: como surgiram os aspectos? Porque eles surgem? Existem duas visões que provavelmente formaram os conceitos de aspectação: o ptolomaico e o da observação das fases da lua. Vamos nos ater primeiramente a este, já que depende apenas da observação humana. A lua muda de forma no seu relacionamento com o sol, à medida em que se desloca pelo zodíaco. De no…

Netuno

O planeta Netuno representa uma energia que é muito incompreendida pelos iniciantes do estudo da astrologia. Incompreendida e, com isso, mal interpretada. Sempre dão a Netuno uma conotação de esoterismo, misticismo, religiosidade... Mas uma pessoa pode ser atéia e mostrar configurações poderosas de Netuno. O que isso representaria na vida desta pessoa? Netuno não representa um grupamento de experiências místicas, ou de concepções religiosas alternativas, mas sim como observamos qualquer fenômeno, como encaramos uma determinada realidade. Ele representa olhar além, além de todas as coisas perceptíveis: não crer nos limites estabelecidos. Como muitas correntes místicas apresentam concepções muito netunianas, pessoas com essa energia que não possuem uma forte criação cética se sentem atraídas a esse tipo de religare. Se pudesse descrever netuno atualmente, nos meus dois anos de aprendizado, diria que é uma força que nos incita a agir através de determinada crença, ação, instituição, sem qu…

Gostei, e recomendo.

Olha só como as coisas acontecem.

Vi um amigo meu de escola na rua, de dreadlocks e chapéu laranja (ele sempre foi muito original em sua indumentária, mas agora o visual ficou muito legal; acho que se sente melhor com os dreadlocks do que com o antigo black power).

Nesse mesmo dia descobri através do orkut que sua irmã, também minha colega de colégio e de turma no ensino médio, faz aniversário hoje. Feliz aniversário, Nanda Maria!

Ao visitar a página pessoal dela, descobri um link para o blog do qual participa:

http://www.lotionless.blogspot.com

Literalmente eu soei o nariz de tanto rir com alguns posts! A conjugação de imagens ridículas com um texto irônico faz do blog uma comédia. Experimente ler a crítica do livro "o que podemos aprender com os gansos", hahaha, bom demais.

Sabe a coisa que quando você vê dá vontade de fazer igual?

Igual, mas do seu jeito. Isso que é foda.

Mas o que mais me chateia é que não consigo mudar a frase-link dos comments, e elas conseguem! Buáá!

Um dia e…

Plantaleão e os plantões

Estou vivendo uma tensão que deveria inexistir. O ser humano cria seus problemas. Uma dualidade pode ser criada, para então ser sentida como um problema. Entidades podem ser conflituosas para uns e cooperantes para outros. Basta constituir uma situação como tal. Fazer um plantão sábado ou em qualquer dia da semana não deveria ser sentido como algo que impeça o estudo na mesma hora, porque nessas horas eu não costumo estudar! Mas essa é a questão! Eu deveria aproveitar! Eu deveria me lançar àquilo com o sabor da novidade, ler cada caso a fim de procurar a doença referida no livro de clínica médica, mas minha perspectiva só faz encontrar problemas, criar impedimentos, sentir náuseas com os pacientes mal-cheirosos (tenho de admitir isso, por mais triste que seja)... Será que no fundo odeio os plantões? De outra forma não sentiria essa náusea que me abate quando penso que tenho de ir a um deles. Simplesmente porque sei que não encontrarei nada lá. E, se encontrar, não saberei aproveitar, p…

mapa do blog e interpretações (Agora sim!)

carta natal do blog

Primeiro de maio de 2005, 14:01, Rio de Janeiro - RJ Essa é a data do primeiro post. O mapa do blog é fascinante. Touro com ascendente virgem, lua em Aquário, conjunta a Netuno. O regente de Touro, Vênus, está em seu domicílio. O sol em touro entre a oito e a nove indica a vontade do pai do blog de se manter perseverante nos seus intentos criativos, para isso buscando uma necessidade de transformação e ocultamento de sua identidade, por motivos que não parecerão perigosos ao leitor. Curiosamente, essa é a tônica do primeiro post. Júpiter está na cúspide da segunda casa, e recebe um yod do sextil sol-urano. Ele forma junto com a parte da fortuna, conjunta ao meio do céu em gêmeos, um grande trígono em signos de terra. Cabe então, à pauta do blog, assimilar harmoniosamente (júpiter em libra) o desejo de criar dispositivos que ofereçam à humanidade mais liberdade e igualdade (sextil sol-urano), no campo dos regentes e das casas envolvidas: trabalho (6), 7 (parcerias o…

O vício dos blogs

Realmente, dou razão a um amigo meu, que invade a casa de outra amiga, a fim de se conectar. Ter um blog é viciante. Quando você vê seus pensamentos publicados, se sente muito bem, mesmo que eles sejam uma merda. Qualquer coisa registrada aqui, cada frase, cada palavra difícil, faz você se sentir merecedor do prêmio Nobel de literatura. Bendito isolamento esse dos blogs! Você escreve sozinho, e se não gostar de algum comment, basta deletá-lo. Prometo aos leitores que, pelo exercício da democracia, não apagarei nenhum comment, por mais mal-educado que ele seja.

O que é ciência?

Ciência é diferente de empirismo.

No empirismo, os fenômenos são observados na natureza, sem que se isolem suas variáveis.

Quando surge o hospital como local de internação, ele é homogêneo: vôcê observa o doente fora do ambiente dele, o que pode se enquadrar numa definição de ciência. Você está isolando o doente, mas isso pode ser completamente empírico em outras questões.

O importante a ser lembrado é saber que a ciência simplesmente é o que as instituições que a produzem denoninam como tal, pois se nos basearmos nos inúmeros filósofos que postularam o que esta seria, sempre haverá alguma contradição, pois duas ciências, de qualquer uma que seja exemplificada aqui, possuem abordagens diferentes.

A ciência criou até a margem de erro, o que significa que, se o fenômeno não foi explicado por ela, é passível de ser explicado: ainda não se tornou congoscível, mas um dia será. A introdução do erro é fenomenal: qual a diferença entre esta definição e os designios insondáveis de Deus??? Apenas…

o mapa da fundação do blog

Primeiro de maio de 2005, 14:01, Rio de Janeiro - RJ

Essa é a data do primeiro post. O mapa do blog é fascinante.

Touro com ascendente virgem, lua em Aquário, conjunta a Netuno. O regente de Touro, Vênus, está em seu domicílio.
O sol em touro entre a oito e a nove indica a vontade do pai do blog de se manter perseverante nos seus intentos criativos, para isso buscando uma necessidade de transformação e ocultamento de sua identidade, por motivos que não parecerão perigosos ao leitor. Curiosamente, essa é a tônica do primeiro post.
Júpiter está na cúspide da segunda casa, e recebe um yod do sextil sol-urano. Ele forma junto com a parte da fortuna, conjunta ao meio do céu em gêmeos, um grande trígono em signos de terra. Cabe então, à pauta do blog, assimilar harmoniosamente (júpiter em libra) o desejo de criar dispositivos que ofereçam à humanidade mais liberdade e igualdade (sextil sol-urano), no campo dos regentes e das casas envolvidas: trabalho (6), 7 (parcerias ou rivais), 8 (morte ou…

Obrigado a viver

Existe a ditadura da vida.

Ninguém pergunta a um paciente se ele quer viver ou não. Está implícito, diriam aqueles que acham essa uma pergunta absurda.

A vontade de viver se constitui atualmente como sagrada. Parece o último dogma cristão ossificado em uma sociedade que tenta emergir de um passado recente onde a igreja, com suas mãos insidiosas, manipulava as decisões do estado, no que tange à ética.

A morte é evitada, e aqueles que a defendem são considerados os responsáveis por uma hipotética hecatombe da raça humana, posto que, caso se infrinja esses "estatutos essenciais", a espécie homo sapiens sapiens não se fiará em mais nada racional, ficando à mercê de sentimentos de ira ou vingança. Como se a ética da vida, testamentada a todos e acessível até mesmo em conversas informais, de tão impregnada que está nas mentes, fosse de fato unânime.

Acho que deveríamos dar o direito de morrer a todos que assim a desejam. A morte é usada como indicador de incompetência da sociedade,…

Mensagem-teste 1 (mudanças que gostaria de fazer na página)

Essa é uma mensagem de teste, para entender porque o último post não foi publicado.

Gostaria de deixar o blog mais pessoal. Ao invés de comments, como em outros blogs que já vi, queria colocar uma frase mais sacaninha ou coisa do gênero. Sei que isso é possível; basta realizar mudanças no template. É preciso fuçar!

Com o passar do tempo espero que o blog adquira uma linha mais pessoal e única, que seja, como o nome diz, nem planta nem leão, mas a síntese de uma coisa a partir dessas duas. E de outras milhares. Digo isto porque há uma tendência a tornar as informações meio desconexas: conjugar astrologia e críticas 'a medicina faz parecer que o blog é escrito por duas pessoas, que ele tem a sua personalidade fragmentada, que não é uma obra enxuta. Todavia, assim como um jornal tem a sua seção de esportes, pode ter sua seção de saúde...

Enfim, espero que esse post apareça!

A capacidade de cagar regra

Fico espantado com a minha capacidade de não ser informal nas horas em que fica ao meu critério sê-lo. Posso jurar a vocês que isso me é espontâneo. Começo a relacionar tal verborragia a períodos de medo e intimidação intelectual, como por exemplo, a tensão ao se criar algo novo - e pior - que será publicado.

Fluência no texto se ganha com o tempo - e vocabulário também - então peço as únicas leitoras desse blog um pouco de paciência, não para "cagar regra" melhor, mas para criar um texto mais informal, e nem por isso, feio.

Uma coisa a se pensar é como vou noticiar a existência do blog. Vou perguntar algumas coisinhas a Marina, minha namorada (nome fictício).

Minha vida perante a medicina (Título alternativo: Plantaleão e os palm-tops)

Para definir minha posição quanto a minha escolha vocacional preciso assinalar aqueles que não se parecem comigo.

Não sou como Clementino Fraga Filho, que em uma entrevista concedida à equipe de História da Medicina da FioCruz revelou que nunca pensara em ser outra coisa.
Igualmente não sou como Aldir Blanc, que ficou indeciso entre a medicina e a música até o fim da faculdade, e no último período, largou. Eu me situo num limbo entre Crementino Fraga e Aldir Blanc. Gosto de medicina, mas me sinto impelido a um destino mais criativo.

Falando da minha postura na faculdade: não sou muito dado a eventos, congressos, porque acho isso dispensável para mim atualmente, enquanto sou estudante. Eu mal formulei os conteúdos básicos na minha cabeça ainda, quanto mais ir a congressos! Não vou muito a chopadas e encontros dos estudantes de medicina, porque sempre fui caseiro e minhas preferências não são muito coniventes com o gosto preponderante nessas reuniôes. Também não nutro antipatia por ninguém…

O infalível Doutor Topeiramato

Acabei de sair de uma prova de psiquiatria, e já estou (em tese) atrasado para uma aula.

Três professores aplicaram a prova. Um deles me faz rir mais que outros pois me lembra de algumas associações nonsense que criei dele.

Seu nome é Max, é baixinho, tem olhos verdes, cabelo de surfista e tem os dentes levemente protusos, dando o aspecto de toupeira engomadinha que pega onda em itacoatiara nos fins de semana.

Em suas aulas ele indicou muitas vezes o anticonvulsivante Topiramato como tratamento de transtornos de personalidade borderline, dentre outros, a ponto de eu associar indistintamente o remédio a pessoa.

Como ele tem cara de topeira, atribuí-lhe o nome de Doutor Topeiramato, e revelo esse furo cômico em primeira mão aos leitores, antes mesmo dos meus amigos e namorada (que também é amiga, ora!). Afinal de contas eles são também leitores do blog, e no momento em que escrevo esse post talvez sejam os únicos!

Doutor Topeiramato seria também um bom etiquetador de supermercado, pois é e…

O porquê do nome

"Plantaleão", para quem me conhece, não diz respeito a nada na minha vida. O processo criativo que deu origem a ele, isso sim, muitos amigos meus reconhecerão nele a aleatoridade característica dos "sinais" nos quais me fio para nortear algumas escolhas.

Simplesmente foi uma frase de meu amigo que foi mal entendida, mas o mal-entendido foi tão bonito que me senti impelido a utilizá-lo. Nome sintétrico e original, junção de duas coisas e paródia de terceira.

Prontamente passei a esmiuçar sua simbologia íntima a mim. "Planta", para mim, reflete assimilação, e "leão", reflete imposição da vontade e da criatividade. O leitor talvez se indagará como eu cheguei a esses dois significados, mas eu me baseio nas interpretações mais convencionais de yin-yang, passividade-atividade, percepção-ação, estática- movimento. Planta yin, leão yang.

Voltando ao raciocínio do segundo parágrafo, a junção de duas coisas que evoca uma terceira me lembra tese, antítese e …

BOM DIA!!!

Domingo nublado na casa da namorada. Escapando das tentativas inúteis de escrever algo retumbante, aqui está meu primeiro post.
Sempre achei interessante a idéia de ter um blog, publicar suas idéias, uma crônica virtual por dia, mas meu modo de agir me impedia sua continuação.
Sou um produtor de obras inacabadas.
É claro que sempre pretendemos não repetir as condutas do passado. Dessa vez não é diferente.
E assim continuamos a exigir de nós mesmos uma certa constância.
Não sou poeta, não sou desenhista, não sou astrólogo, mas é bem capaz de vocês encontrarem nesse blog algo do gênero.
E tenham um pouco de tolerância, porque não sou humorista.